Top 6 Hentai para começar o Ano com o Pé na Jaca!

Como fazer merda no começo do ano? É só fazer um post de Hentai que não vai dar nada! Deixando o aviso desde agora pra não ficar criando textos enormes depois e repetindo o mesmo processo, isso são animes de gêneros de certa forma duvidosos e não estamos fazendo apologia, defesa nem incitação a nada, assiste e ler quem quer e for maior de idade. Enfim, vamos aos Hentai!

Top 6 Hentai para começar o Ano com o Pé na Jaca!

Todo mundo gosta de um bom hentai não é mesmo? Inclusive um dos posts mais lidos do ano passado foi o Top 5 Animes Hentai também feito pelo nosso querido amigo onanista Aldair. Ele curte bastante essas paradas.

Mas lembrando mais uma vez duas coisas: a primeira que este post faz referência à Animes +18 (para adultos), então fica o aviso aos mais jovens, ok?!A Segunda é que esse Top Hentai conta com animes de temática lolicon, então devo deixar o aviso que o autor não está fazendo em momento algum apologia ao sexo entre menores e tampouco à Pedofilia. Estes atos são crimes, imorais e abomináveis!

E sim, esse top não seguirá ordem de sexto pra primeiro todos tão  nivelados possivelmente no mesmo patamar de escrotidão com certeza.

Bakunyuu Oyako

Gênero: Escolar (apesar de não se passar no mesmo)

2 Episódios

Seu roteiro é básico: um garoto tarado dando banca a uma colega de sala que tem uma queda pelo mesmo e que aproveita a situação apra ter relações com ela. De quebra com a mãe da dita cuja porque ela também quer lanchar dogão.

Um Hentai que até tira um risinho e com clichê dos velhos conhecidos haréns. O traçado é feio mais dá para passar, com aquele roteiro clássico café com leite. Aqui o link (clique aqui) pra aquele gif maroto pra ter uma ideia da animação.

Lo Re Pako Sukusuku Mizuki-Chan

Gênero: Lolicon (Quase um toddlecorn pela bizarrice na altura da personagem em algumas cenas ou só tô exagerando)

1 Episódio

Não precisa ser dito nada do roteiro, é o tipico de lolicon. O destaque neste é que a personagem não cresce o corpo ou tem ângulos que favorecem a ela aparentar ter mais coisas do que ser apenas uma “garotinha”.

Esse aqui leva o pé da letra. Assista em risco de achar ruim depois. Antes que me esqueça este hentai possui mais duas continuações  separadas por capítulos, cada um com apenas um episódio. Este é o primeiro e mais pesado, apesar dos demais ainda serem lolicon. Dois links o primeiro (clique aqui) é referente a capa original que foi censurada e o segundo (clique aqui) é o gif.

Nee Summer!

Gênero: Incesto (Sei que só to colocando um e obviamente neles existe vários mais é pra priorizar cada um com um gênero que não se repita nos demais)

2 Episódios

Aqui a historia se concentra no amor de dois primos que acontece depois de uma relação forçada por ambas as partes. É legalzinho o romance, mas claro que o exagero nas mais variadas situações sexuais que o trazem pra esta singela lista. O  traçado é bacana e o desenvolver da trama é bastante óbvio mais não chega a estragar. Clique aqui para ver o gif.

Mezzo Forte

Gênero: Rape (Apesar de eu querer por ação ou comédia as cenas de sexo apesar de com consenso são geradas por “rape” logo tive de por em evidência por motivos óbvios)

2 Episódios

Este anime tem uma dose de comédia, uma ação do caralho, um traçado muito foda, um enredo bem legal e é OVA de um anime chamado Mezzo DSA.

O por que dele ter cenas hentais já que o anime em si não é deste gênero eu desconheço e nem sei dizer quem  veio primeiro (se foi esses OVA ou o anime em si), porém vale muito a pena e suas cenas calientes são um show a parte apesar do contexto repugnante. Este serão três gifs, clique no primeiro, segundo e terceiro.

Sei Yariman Gakuen Enkou Nikki

Gênero: Peitões

1 Episódio

Um senhor na casa do 40~50, divorciado tem a sorte de encontrar uma jovem doida pra “compartilhar” a chama que sempre está ativa no meio de suas pernas e assim que ele descobre um motivo para viver feliz e solteiro.

Este hentai possui derivados mas este é o mais bem acabado, tanto em “ação” quanto em traçado e até em roteiro. Vale muito à pena tanto para novatos e ainda mais pra quem já é velho na casa. Trouxe dois gifs, clique no primeiro e no segundo.

Boku To Misaki Sensei

Gênero: Shotacon

1 Episódio

Uma professora acaba por ceder as vontades de seu aluno apaixonado e daí veremos as aventuras sexuais para lá de calorosas desta dupla do barulho.

Sinceramente este hentai fez um trabalho tão “bem feito” que até live action ele ganhou. Para quem não conhece o gênero shotacon, é o inverso do lolicon, porém pra deixar a situação mais bizarra ele é mais conectado com o gênero yaoi, lembrando mais uma vez que não estamos fazendo apologia nem defendendo a propagação de tal coisa. Fora isso  o roteiro é na pegada kawai desu, o traçado é muito bom e os personagens principais tem seu encanto.

Finalizando este post com dois gifs pra ele, o primeiro e o segundo.


Espero terem gostado das info colocadas neste post, lembre-se que Pedofilia e Rape são crimes Hediondos que nem deveriam existir.

Até a próxima

7 Truques e Simpatias dos Games para se fazer fim de Ano

Não deve ter melhor época para se falar de games que no final do ano, eu suponho. Pois então, sabe aquelas simpatias, magias e macumbas que as pessoas fazem fim de ano para atrair boa sorte, dinheiro, e etc? Resolvi trazer 7 delas mas que só funcionam caso você seja uma gamer ou um gamer… porque são dos video-games. Tá com duvidazinha, não acredita seu incrédulo? Vem comigo!

7 Truques e Simpatias dos Games para se fazer fim de Ano

Olá meus amigos e minhas amigas… quer dizer então que vocês vieram saber alguns feitiços, truques, magias e macumbas para se fazer fim de ano, não é verdade? Mas você é uma gamer ou um gamer, e acha que pular ondinha na praia, comer lentilha e essas coisas não fazem seu estilo. Afinal, você é true, mas truezão mermo, e se for fazer magias tem de ser as que envolvem aquilo que você mais gosta: games.

Pois bem, eu escolhi 7 Truques e Simpatias para se fazer nos games bem na época da virada do ano, que eu garanto, vão te fazer conquistar aquele empreguinho, arrumar aquela namoradinha ou pelo menos… dar aquela sensação boa de que venceu na vida. Mentira, com elas até Emagrecer você vai, só confiar em mim e fazer pelo menos uma das 7 (melhor seria fazer todas) que eu “agaranto” o resultado.

Vamo lá!

7 – Zerar Diablo

Não importa se você vai jogar o Diablo 1, o II que é considerado o mais amado pelos fãs, ou então o malfadado 3 que somente fãs roots  curtem jogar. O importante é vencer o cramulhão bem na virada do ano. Por que afinal, o que pode atrair mais boa sorte que vencer o diabo em pessoa em pleno 31/12?

Eu tenho certeza que você vai ficar bem feliz e contente de ficar nas catacumbas para vencer o capetão enquanto as pessoas chatas ficam pulando ondinhas.

6 – Matar na “faquinha” 7 oponentes em Counter-Strike

Como vocês podem ver, 7 é um número cabalístico. Se funciona na cabala e na magia em geral, funciona nos games também. Mas vai que você é uma pessoa que não curte muito esses games de catacumbas “rogue like”, e prefere um velho e bom fps dos tempos da lan house? Eu tenho uma macumbinha para você também.

Basta você entrar numa sala online de CS 1.6 e vencer seus oponentes… na faquinha. Se você vencer pelo menos 7 do jeito mais sinistro que tem no joguinho (lembrando que é apenas um JOGUINHO, pelo amor de Deus) vai conquistar tutu o que você mais dessa nesse ano de que vem.

Até aquele seu namorado que promete casar com você há 7 anos, vai casar. Sério. Não falha.

5 – Usar o Konami Code e o código ABACABB no Mortal Kombat de Mega Drive

Agora as coisas estão ficando mais roots. Bom… eu acho que as duas primeiras são mais difíceis que essa, mas usar esses códigos e macetes é roots no sentido mesmo da palavra.

Primeiro você tem que usar o clássico Konami Code em pelo menos 3 games antigos da Konami. Eu indico você usar no Gradius de NES, Super Gradius de… Super Nes e por fim em algum Contra de sua escolha. Zerar essas três pedreiras é opcional. Não deveria ser, mas o importante é usar o código pelo menos em 3 games para o truque funcionar.

Por fim você não pode esquecer de usar o código ABACABB que tem no game Mortal Kombat 1 de Mega Drive. Eu sei que o número 3+1, ou seja, 4, não é tão cabalístico quanto o número 7, mas façam as contas comigo: 3 é o numero da Triforce, mais 1 da Espada Mestra que dá 4. E como todos sabemos que Zeldinha é Sagrado, logo o número 4 também é.

4 – Zerar alguma Visual Novel que faz chorar pra Caramba

Digamos que você é daqueles solitários ou minas sozinhas que não gostam de ninguém, e nem gostam de games roots, fps, ou caçar o cramulhão nas catacumbas do inferno. Você é um cara que muito gostaria de ter uma namoradinha e tem muito tempo sobrando neste fim de ano… Eu tenho a solução para vocês dois (e não é ficarem juntos, porque isso seria muito fácil; true gamers não gostam de coisas fáceis, a gente sabe disso).

Pois então, eu indico para vocês jogarem algum “cry game”, daquelas visual novel japas que faz até caminhoneiro fã do Metallica chorar lembrando da mamãe, tipo o Yoga de Cisne. As que considero melhor para  vocês jogarem, são alguma da Key/ Visual Arts. Mas lembre-se, tem de ser até o final, todas as rotas e precisa zerar principalmente quando for a hora da virada, para você ficar chorando enquanto a Nagisa morre no joguinho e as pessoas comemoram na vida real.

Pode ser Clannad, Kanon… eu indico Planetarian que é curtinha e no dia 31 dá para chorar muito antes dos fogos. Porque como você sabe, se você chora no mundo virtual é porque vai comemorar no mundo real. Eu acho.

3 – Jogar algum Mario Kart ou algum Mario Party com os amigos em pleno Fim de Ano

Mas quer dizer que você não gosta de nada que eu falei até agora, porque você é um fã da nintendo, seu nintendista. E além disso você é daqueles sortudos que tem vários amigos, namorada, esposa, marido, família grande. Você é uma daquelas pessoas invejáveis que não deixa de amar video-games. Eu tenho uma boa simpatia para você.

Reúna a maior quantidade de pessoas na sua casa no dia 31 de Dezembro. Seus amigos, namorado, familiares que mais você ama e faça todo mundo jogar algum party game da nintendo até os fogos começarem. Pode ser algum Mario Kart, ou até o Mario Party 4 de gamecube (eu acho que o Super Mario Party de Switch também pode para a magia funcionar). Mas joguem todos vocês até causarem aquele clima de ódio, raiva e fogo nos olhos aonde ninguém ama ninguém e todos se odeiam.

Se alguma das pessoas ainda gostar de você depois disso, é porque é amor verdadeiro, e não inveja porque você pode ter um Switch e elas não.

2 – Zerar Castlevania 3 ou Dracula X em plena virada

Agora sim as coisas estão ficando realmente pesadas e vai dividir crianças de adultos, joio do trigo, true gamers de nutellas. Apenas aqueles ou aquelas jogadoras que realmente tiverem sangue nos olhos vão aceitar este desafio. Eu podia colocar a série Ghouls’n Ghosts, mas na verdade para o feitiço dar certo é preciso que você mate um vampirão no fim de ano. E não, Symphony of the Night não vai funcionar. Tire o cavalo da chuva.

Pegue Castlevania 3 de NES ou Dracula X de Super Nes e zere algum dos dois em plena virada. Não pode usar save state. Prepare seu papel de pão ou tire fotos do password com seu celular. E se você conhece bem a série Castlevania, então tem ideia de que estou falando dos games mais pedreiras que tem o Drácula no meio. Boa sorte. Você vai precisar.

1 – Zerar algum Street Fighter usando 7 Horiuguens

Eu sei que se chama Shoryuken, mas aqui todos nós somos gamers roots, né verdade? E agora vem o desafio mais desafiante de todos aonde voltamos ao número cabalístico sagrado.

Primeira coisa, você pode jogar qualquer Street Fighter, de qualquer época, qualquer versão. Você só pode usar o velho Ryu normal. Não pode ser o Ken, nem o Akuma, shinAkuma, não interessa, só pode ser o velho Ryu de guerra. E por fim, você tem que vencer pelo menos 7 oponentes da CPU com um Horiuguen bem no final, no último golpe.

Isso mesmo 7 Horiuguens bem no final para dar o golpe de misericórdia. Digamos que você pegue algum SF que tenha mais de 7 oponentes e você conseguiu finalizar os 6 primeiros com Horis. Guarde o último Horiuguen para o último chefão: seja o Bison, o Gill não importa.

Você tem que finalizar o último chefão com um Horiuguen para fechar os 7. Porque claro, enquanto outras pessoas pulam 7 ondinhas você finaliza Street Fighter com 7 Horiuguens. Tenho certeza de que fazendo essa simpatia você vai vencer na vida ano que vem!


E aqui eu termino esse post no maior estilo #paiAdminTBdosgames. Creio que você seguindo as 7 dicas ou pelo menos uma delas, mas ficando atento/a todas as regrinhas e requisitos, vai conseguir alcançar tudo o que mais sonha para este ano que vem. Porque ser um gamer você já conseguiu, agora tem que alçar novos voos na vida.

E eu preciso falar também que este post é uma brincadeira, uma zueira e tudo mais? Sei que não. Feliz ano novo a todos, saúde, sorte e paz. E talvez eu mesmo faça alguma dessas simpatias… tô precisando.

Abração!

Resenhas de Filmes Aleatórios: Saló ou Os 120 Dias de Sodoma/ O Experimento de Aprisionamento de Stanford e A Casa Que Jack Construiu

Que tal fechar o ano com chave de ouro? Nosso amigo aldair volta por mais uma com suas “mini-resenhas” de filmes que ele mais gosta. Dessa vez, mais filmes com temáticas… gore, ou difíceis de engolir. Mas vai que vocês gostam também? Vamo ler e quem sabe ver os filmes indicados por ele.

Resenhas de Filmes Aleatórios: Saló ou Os 120 Dias de Sodoma/ O Experimento de Aprisionamento de Stanford e A Casa Que Jack Construiu

Era pra ser três review mais fim de ano e fazer “textão” hoje em dia tá cansativo para quem ler e para quem escreve. Enfim vamos ao meu ultimo post do ano.

Resenha Sobre Filmes Aleatórios

Saló ou Os 120 Dias de Sodoma

Despedida de solteiro nazista.

Tinha grandes expectativas pra este filme mais ele se resumiu a uma orgia deliberada com requintes de sadismo desvairado e cenas de violência muitas das vezes cortadas. Não se engane pelo “market popular” do filme, ele é bastante fraco no que se propõe tendo de pesado apenas seu contexto e nada mais.

O Experimento de Aprisionamento de Stanford

“Abuso de poder a serviço de um bem maior?”

Este filme me conquistou, do  jeito certo é claro. Ele me passou o ser humano em seu lado irracional. Se você o coloca no poder ele pode acabar por não respeitar regras por bel prazer, usando de desculpas visíveis ele leva o outro a nível de humilhação usando o argumento da realidade e do quanto a vítima aguenta sem reclamar ou revidar. Um dos filmes que me prendeu do inicio ao fim. Simples e humilde e que desempenhou muito bem sua proposta.

A Casa Que Jack Construiu

Contos de um Mentiroso?

Sou fã dos filmes de Lars Von Trier, mas confesso que este me decepcionou um pouco (ou muito). talvez pela visão que tive do filme. Em meu entendimento a trama é uma mentira teatral contada por um engenheiro que se acha um arquiteto e que não consegue terminar sua casa.

O filme tem camadas escrotas e narrativas ainda mais escrotas. Muitas delas devem ser verdades contadas sobre o próprio diretor, fora isso o filme não passa nada mais do que contos com brechas literais pra o absurdo.


E com mais um post raso que eu termino este ano. Para quem leu, Boas Festas e um final de Ano de muitas alegrias.

Top 5 Coisas Nerds que te lembram o Natal

Ah… aqueles temas de natal. Coisas que só vemos ou lembramos que é natal, porque acontece justamente nesta data. Mas não estou falando da música “Então é Nataaaal”, nem dos especiais do Roberto Carlos. Tô falando de coisas que já fazem parte do mundo nerd. Eu sei, tá meio confuso. Vem comigo e vamos ler esse Top de Coisas Nerds que vamos entender direito!

Top 5 Coisas Nerds que te lembram o Natal

Olá meus amigos e minhas amigas quer dizer que “Então é Natal”, não é verdade? Resolvi fazer mais um post de Top alguma coisa, porque meio que me deu na telha e também porque eu queria falar algo sobre o natal, sem ter de apelar para curiosidades ou coisas do tipo. Daí eu pensei, que tal falar de coisas do mundo nerd, que automaticamente lembram o natal? Pois é.

Eu sei que é bizarro e muitas dessas coisas, não vão lembrar vocês que é natal, mas de alguma forma eu sempre lembro que a data está perto quando vejo algumas delas em algum lugar da cultura pop: filmes, seriados ou mesmo em comerciais de tv.

E se vocês discordarem de algumas dessas coisas não precisam se fazerem de rogados, comentem, discordem, e digam mais coisas que te lembrem que é natal. Mas não sejam óbvios: a gente sabe que o urso de uma certa marca de refrigerante nos lembra a data.

Enfim, vamos ao post!

5 – O Eric de Caverna do Dragão vestido de Mestre dos Magos

Possivelmente este o item mais sem noção da lista, e não tem mesmo nada a ver. Eu nem sei se o episódio que o Eric se torna o Mestre dos Magos… é natal. Mas por algum motivo bizarro sempre que vejo ele de vermelho, eu penso em Natal. Claro, também tem aquele padre que as fiéis adoram, mas eu olho para o Eric vestido de vermelho e falando de modo zueiro, e penso em natal.

Pode ser por causa da roupa vermelha… enfim, nunca saberemos.

4 – O doce em Forma de J

Vocês já viram esse doce aí na foto vendendo aqui no Brasil em algum lugar? Esse é o tipo de coisa que a gente só vê em filmes/seriados americanos, e quando eles aparecem na tela é porque… é natal. Mais ou menos quando está nevando lá fora em algum episódio (eu aqui me lembro de um do Maluco no Pedaço, não sei porquê), mas junto do fato de estar nevando… tem que ter esse doce em forma de Jota, ou em forma de bota.

Que gosto será que ele tem? Será que dá para mastigar ou é tipo um pirulito? E o formato de Jota, porque será? Eu até acho que sei o motivo, mas vou deixar vocês na curiosidade mórbida.

3 – O cara do comercial de Panetone

Esse daqui sinceramente, quando aparece na televisão é certo que o natal está próximo. Obviamente que não vou falar a marca do Panetone — porque ela não está me patrocinando… não que eu não gostaria, se ela quiser me patrocinar só me mandar um email — mas sempre que vemos um comercial sobre Panetone com este bendito deste ator, é porque o natal é logo ali.

Eu me peguei pensando nisso outro dia quando estava numa consulta médica. Estava lá esperando quando de repente vejo este senhor num comercial… dessa marca que vocês sabem. Foi quando me deu um estalo: “O natal já deve estar bem pertinho mesmo”. Eu tenho certeza que cada um vocês pensam a mesma coisa quando veem um comercial com este ator, vendendo panetone!

2 – Especiais de Natal

Este post é um deles, aliás. Até fizemos aqui um especial de 10 filmes de natal, que eu recomendo vocês verem. Mas é batata. Tudo que é seriado, filme, desenho, praticamente tudo tem algum especial de natal. Desde desenhos brasileiros até mesmo filmes em animação como Shrek — aliás esse especial do Shrek só tem uma coisa boa: o rei baixinho.

Eu de cá gosto muito daquele filme Christimas Carol da Disney, sabem qual é? Que tem o Tio Patinhas. Meio que o natal para mim começa quando vejo esse desenho circulando em alguma grade de televisão. E querem saber? Eu paro para assistir. Claro que hoje em dia têm muitos filmes de natal, especiais em desenho/seriados e coisas do gênero, que possivelmente eu não vou ver porque sou um velho chato. Mas esse do tio Patinhas vou sempre recomendar.

1 – Macaulay Culkin

Sim… é ele!

Se você discordou de todo meu top5 até agora eu tenho certeza que que aqui vai concordar. Não importa a idade, a época do ano, o dia em específico, se você ver o ator Macaulay Culkin em algum lugar, você vai lembrar de natal. Eu garanto que até ele mesmo quando se olha no espelho pensa em Natal!

Claro que por ser um ator mirim depois ele acabou optando por uma vida de ostracismo, mas é certeza que até hoje quando alguém ouve falar dele, lembra do Papai Noel, do Esqueceram de Mim, de atrapalhadas e aventuras de montão. Eu tinha que colocar ele na lista e vamos falar a verdade, um dos grandes motivos de eu fazer esse post foi porque ele apareceu recentemente (porque é natal) num dos vídeos do Angry Video Game Nerd como, “Entregador de Pizza”.

Recomendo vocês verem esse episódio do AVGN… que já se tornou um clássico assim que foi ao ar.


jessica nigri cosplay mamãe noel sexy super sonico xmas

E fico por aqui pessoal. Se vocês quiserem ver curiosidades, acreditem ou não, eu conto a origem e a história da Mamãe Noel no post de cosplays… da Mamãe Noel. Eu sei que é bizarro, mas tem a origem do Papai Noel também. E claro, recomendo deveras que vejam o especial de 10 filmes de natal do site. Ele continua atual e possivelmente eu veja algum dos filmes este dia 25 de dezembro.

Além disso, desejo a todos sucesso, vitórias, saúde e um natal de muito amor para você, e aos seus (ou suas) que você mais amar. Natal é um dia de família, amor, e de receber e dar presentes. Felicidade a todos, Deus conosco.

Abração!

Top 5 Filmes Decepcionantes

Aldair retorna mais uma vez parar falar de um dos assuntos que ele mais gosta: filmes ruins. Dessa vez ele escolheu fazer um Top 5 filmes que não são ruins no sentido do termo, mas que acabam por decepcionar aquela pessoa que estava com aquela hype de ver o dito cujo. Sabem como é? Não?! Então leiam o texto e descubram!

Essa lista não é como a “Não deveriam existir!” e sim focado em filmes que eu estava com “hype” e foram decepcionantes (para mim) mais acredito que muitos irão discordar. Enfim, vamos lá.

Top 5 Filmes Decepcionantes

Angst – 1983

Angst (Medo), já não esperava muito do mesmo, porém ainda assim me decepcionou, mas mais pelas atuações das vítimas (o filme é de um assassino, baseados em fatos reais). O personagem principal e antagonista repassa um ser bizarro e doente (foi um elogio), porém as vítimas são “bizarras” do jeito errado com expressões que não me agradaram. Os pontos fortes do filme são as cenas e clímax retratados de forma crua e seca junto da sua trilha sonora.

Henry – Retrato de um Assassino – 1986

Esse filme é um trash convicto, não impressiona  nem incomoda, simplesmente decepciona. Seu contexto oferece algo bastante escroto e pesado, além do fato de ser parcialmente baseado em fatos reais. Mas apenas o contexto. Suas atuações em partes são caricatas e sem imersão alguma. Sua trilha sonora tenta passar tensão e no fim é apenas um filme esquecível.

Réquiem para um Sonho – 2000

Esperava algo grande mas muitas baixas e poucos acertos. São quatros historias sendo que apenas uma me causou impacto (quase me emocionei com o final trágico do personagem e de seu desejo não concretizado). Os demais são óbvios, com destaque para um que teve o final mais bizarro e digamos auto destrutivo. Sendo assim o filme se tornou previsível em muitos contextos. Porém sua trilha sonora incomoda e muito, sendo colocada em momentos certeiros. Se existe algo perturbador nesse filme é sua trilha sonora e ponto.

The Poughkeepsie Tapes – 2007

Trash garagem que almeja ser cult, porém só consegue dar sono e uma vontade imensa de que termine logo.

O Sacrifício do Cervo Sagrado – 2017

Eu juro que este filme é excelente até metade ou 60% do mesmo, só que a partir do ponto em que a trama é dissolvida e o “vilão” revela seu plano o filme morre, não há mais nada a não ser esperar além do desfecho linear. Esse filme se auto destrói de uma forma tão broxante que o tornou a maior decepção para mim em 2017.

Sei que o post aparenta ser raso mais é que a leitura hoje em dia está morrendo, então espero que tenham gostado do resumo. Lembrando que é minha opinião (cada um tem a sua) e até a próxima.

Autor de Nazo no Kanojo X lança Novo Mangá: Ookumo-chan Flashback

Dá até saudade dos tempos que eu acompanhava as noticias diariamente. Enfim, o autor de Nazo no Kanojo X, Ueshiba Riichi, lança novo mangá na Afternoon, a mesma revista que ele publicou a história da Urabe. O mangá se chama Ōkumo-chan Flashback. Vem comigo para saber um pouquinho mais dele

Autor de Nazo no Kanojo X lança Novo Mangá: Ookumo-chan Flashback

Pois é meus amigos e amigas, se vocês esperam a continuação do mangá de Nazo no Kanojo X eu sinto tirar vossos cavalinhos da chuva, porque Ueshiba Riichi seguiu adiante e já está publicando desde 2017 na afternoon (uma revista de mangás seinen japonesa, em que ele publicou Nano Kanojo X e também foi publicada Ah! Megami-sama) a sua nova história com o nome estranho “Ookumo-chan Flashback” ou “Ōkumo-chan Flashback”.

Dessa vez a história é centralizada no estudante Minoru Suzuki que está cursando o primeiro ano do ensino médio. Acontece que de vez em quando ele tem visões de sua própria mãe…

Só que no passado, quando ela era uma estudante do ensino médio. Calma… lembrem-se que se trata de um mangá Seinen… e se é para deixar aqui uma informação que vocês não encontram por ai… a mãe dele é uma mangaká.

Olha a mãe dele aí

O mangá parece que já está no cap.13 e apesar do hiato que de vez em quando sofre na tradução para o inglês, continua retendo uma quantidade boa de leituras. E o que mais posso dizer? É o Ueshiba, o mangaká que adora tratar de assuntos difíceis.

Agora… Meio que me faz pensar o porquê que ele quis retratar uma mãe mangaká meio milf… será que ela vive sozinha com o filhão? Acredito que sim. Isso meio que aumenta minhas suspeitas do Ueshiba ser uma autora.

Mas são só suspeitas.

Fontes: Página do Afontegeek/ Animefagos/ MAL/ ANN

Resenha Sobre Antologias – Rocky: Um Lutador da Vida (Todos os Filmes)

Aldair retorna para fazer mais “mini-resenhas” de todos os filmes que possuem Trilogias… ou mesmo Antologias. Aqui ele faz um apanhado geral de TODA A ANTOLOGIA dos filmes de Rocky, mas sem falar dos filmes a partir de Creed. Apesar de aparentemente apaixonado pelos filmes, nosso amigo ainda consegue criticar os principais pontos de cada película. Vale à pena a leitura.

Antologia Rocky

Vou me arriscar a falar com total sinceridade sobre este clássico, porém Creed não estará entre eles por motivos óbvios.

 

Rocky – Um Lutador – 1976

Um filme fantástico que transmite a quem assiste valores morais de grande importância. Assisti-lo é como levar sermões e conselhos de pai e mãe para que se tome rumo na vida da forma correta e obviamente, o filme demonstra o que ocorre na realidade: que o senso moral e os conselhos certos não são seguidos e que quando não se tem o que perder tem de correr atrás sem perder a dignidade.

Mostra o porque de se estar lutando de forma honesta e com orgulho de quem você é.

“Não se lembrarão de você, se lembrarão da sua reputação” – Rocky

 

Rocky II – A Revanche – 1979

Um sequencia digna de muitos aplausos. Neste filme veremos o amadurecimento de um lutador; a descoberta de um mundo novo; a superação de falhas; a valorização de si próprio, o amor de forma ampla e demonstrada como um pilar que sustenta uma casa.

Neste filme não vemos uma campeão de boxe e sim um campeão da vida, que com todas suas mazelas e conquistas, teremos o desfecho do primeiro filme em seu maior ápice.

“Quero que faça uma coisa por mim. Vença. Vença!”

– Adrian

 

Rocky III – O Desafio Supremo – 1982

O Campeão está no topo mais ainda há muito a aprender. Aqui a amizade será posta em cheque e evoluirá. O amor de sua esposa se mostrará como a mão que balança o barco mais uma vez. A perda de seu mentor será algo a se superar para que duras batalhas consigo mesmo sejam travadas e que a vitória chegue  pois a vida é assim, altos e baixos a todo momento.

Apesar do “vilão” não ter sido nada do meu agrado, não desmerece o filme e o que ele tenta passar assim como todos os outros.

“Depois de todos esse anos juntos, você ainda não sabe o que fazer? Vá para o ringue e lute” – Mickey

 

Rocky IV – 1985

Pelo o que você luta? Esta pergunta é respondida com veemência e força, além de ser demonstrada com patriotismo e respeito ao semelhante. Aqui não veremos uma luta em busca de vingança pela morte de um grande amigo e sim uma luta para mostrar valores que os indivíduos esqueceram, que os se cegaram por causa de guerras e ideais políticos, muitas vezes vindos de suas pátrias.

Mas mesmo assim há muitas partes desta película que são estranhas ou feitas pra arrastar um pouco o filme, contido isso sou apenas eu divagando por menores desta bela obra cinematográfica.

“Talvez eu não possa vencer. Talvez a única coisa que eu possa fazer é levar tudo na cara. Mas para me vencer ele terá que me matar, e para me matar, ele precisa ter coragem de ficar diante de mim. E para fazer isso, ele deve estar disposto a morrer também” – Rocky

 

Rocky V – 1990

Há tempo pra aprender e tempo pra ensinar. Aqui veremos tudo que o Rocky aprendeu sendo repassado. Porém ainda tem coisas que o professor precisa enxergar e aprender errando.

O filme em si se resume a lições familiares e a definição de personalidade: de ser pai, marido e amigo e que o dinheiro sempre corrompe aqueles que só buscam a ganância e fama como primeiro plano. Admito que esse aqui não foi do meu agrado mas tem seus pontos fortes no contexto, o que salva de seus erros na “estrutura”.

“O medo é como o fogo, ele queima você por dentro. Se você controlá-lo Tommy, vai queimar você. Mas se ele o controlar, vai queimar você e tudo ao seu redor” – Rocky

 

Rocky Balboa – 2006

O Fim de uma saga? De certa forma sim e o que ele lhe passa é de grande valor. Quando você adquire idade e experiência de vida tu aprende a dar valor a tudo pelo que batalhou. A vida é dura e tu tens que mostrar a ela que continua lutando.

Aqui vemos um Rocky querendo expurgar seus demônios e provar pra si mesmo que ainda está vivo. Não há o que reclamar deste, que foi um excelente desfecho para o Garanhão Italiano.

 

“… O mundo não é um mar de rosas. É um lugar ruim e asqueroso… e não me importo quão durão você é… ele te deixará de joelhos e te manterá assim se permitir. Nem você, nem eu, nem ninguém baterá tão forte quanto a vida. Mas isso não se trata de quão forte pode bater. Se trata de quão forte pode ser atingido… e continuar seguindo em frente. Quanto você pode receber e continuar seguindo em frente. É ASSIM QUE A VITÓRIA É CONQUISTADA!…” – Rocky 

Espero que tenham gostado e até breve.

Star Wars: Review de A Vingança dos Sith (Episódio III) – Cumprindo o seu Destino como Darth Vader

Lá vamos nós senhoras e senhores, para mais uma review dos filmes de Star Wars, desta vez a resenha de A Vingança dos Sith, episódio III, o último da filmologia presequel, ou como eu prefiro, o último dos filmes dos anos 2000. Será que ele foi melhor que a tragédia chamada Episódio II? Será que Anakin tornou-se o “herói” que era esperado em Ameaça Fantasma? Vem comigo!

Star Wars: Review de A Vingança dos Sith (Episódio III) – Cumprindo o seu Destino como Darth Vader

Quer dizer que vocês já estão aqui comigo na última review dos filmes Star Wars dos anos 2000? Pois então vamos sentar e desbravar um pouco mais deste clássico longa senhoras e senhorios.

Igualmente dirigido e roteirizado pelo próprio Lucas, assim como foi o episódio II, a primeira coisa que eu devo dizer é que o roteiro está ok, assim como sua direção.O que é um alívio na verdade. Até me surpreendi com a qualidade principalmente do roteiro e da história em si (o enredo), que são muito bons se comparado ao episódio II.

E já que declarei amores iniciais ao filme acredito que os leitores já estão adivinhando que Lucas nos deu o que mais desejávamos: Wars, em Star Wars. Lucas pode não ser mestre em muita coisa, mas é mestre em saber o que seus espectadores esperam.

Anakin preocupado com o que eu falo dele no texto

E como já é de costume, vou tentar mostrar coisas que poucas pessoas  falam e dar um fechamento a esta trilogia do milênio.

Vem comigo.

Consertando os erros do Passado

Na minha última review ficou bem claro que tanto o roteiro quanto a direção do longa de 2002 são ruins. Falas muito meladas, declarações de amor ultrarromânticas, seguidas pela tentativa pífia de contar uma história de amor enquanto Obi Wan queimava os fundilhos atrás do caçador de recompensas…

Sem contar o próprio sentido do Ataque dos Clones, que ao invés de nos dar a Guerra Clônica, nos pediu para que nos contentássemos em saber como ela começou: como a política é um circo de leões e que histórias de amor podem ser ultra-chatas.

Talvez sabendo que episódio II tinha mais amor que guerra, e quase nada de explicações sobre diversos temas, Lucas finalmente percebeu que não é isso que Star Wars se trata. Star Wars se trata sobre família e sobre guerra. Sobre sabres de luz e estrelas da morte. E não sobre politicagem e contar a história de como a República Romana caiu. Ele continua contando mas isso se torna spin off dentro do episódio III.

Não por acaso o foco foi realmente guerras e dramas familiares, mais principalmente sobre o medo de Anakin em perder seus entes queridos — e de como é difícil para alguém crescer frustrado por nunca se tornar o Pelé que haviam dito que ele se tornaria; ou o Fangio. Ou o Jordan. Vocês entenderam.

Calma gente, ele tá frustradinho

É interessante como um diretor/roteirista percebe aonde errou e tenta colocar de volta os pneus no traçado da pista.

Mas antes de ir para os finalmentes, vamos aos pormenores

No texto anterior perguntei se o episódio III nos explicaria porque o conde Dookan (interpretado genialmente pelo Christopher Lee, que infelizmente nada apareceu neste longa) contou todo o grand design para Obi Wan. E como eu “adivinhei”, ele não explica. E pior.

Se Dookan fazia jogo duplo com Darth Sidios, e a Federação do Comércio só queria se vingar dele (por ele os ter enganado no primeiro longa), por que eles voltam a confiar no Darth Sidius? Não era mais fácil procurar os Jedi, contar a história toda e acabar a guerra? Mind blowing, não interessa saber o porquê, só aceite.

Mas na verdade a Padmé é o Grande Problema dessa trilogia milenial. Rainha aos 14 anos (igualzinho ao D. Pedro II)… mas Rainha ELEITA. Senadora que era contra à república ter um exército e que não está nem aí, quando seu suplente é o principal responsável à criação do exército. Agora o mais perturbador é que sendo “da paz e contra guerras e exércitos” ela não liga do Anakin assassinar crianças e mulheres. Duas fucking vezes! Mas vou voltar ao relacionamento deles mais tarde…

Saindo um pouco da Padmé… um Conselho Jedi que não sente um Sith é basicamente o que Palpatine fala para o Yoda perto do fim do episódio III: “Seu orgulho te cegou!”.

E como eu também falei na review anterior, isso não faz o menor sentido. Mas Lucas percebeu que esses furos já estavam feitos. Não há como você contornar erros numa história. O melhor que você pode fazer é acertar o enredo para contar o que seu filme deve contar.

Se a Direção e o Roteiro estão de volta aos trilhos, falta…

Caretas

Boas atuações. Como eu venho falando nos meus textos anteriores, coisa que o próprio Lucas também já disse, Star Wars fala sobre questões de família dentro de um épico espacial. E finalmente temos isso de volta. Na verdade o episódio III é necessariamente a continuação do episódio I — ou seja, uma jornada de crescimento do “herói”, que no caso é o Anakin.

É engraçado isso porque na trilogia original não se trata bem de uma “jornada de crescimento” do trio ternura (Luke, Leia e Solo) mas sim de uma clássica jornada do herói… dos três.

Mais caretas

No caso da trilogia milenial (tirando o episódio II porque este se atém muito à política) a história se passa envolta ao Crescimento do Anakin. Que foi belissimamente interpretado pelo guri Jake Lloyd, mas terrivelmente vivido pelo Hayden Christensen.

Meu Deus… eu lembro que reclamava muito da atuação da Natalie Portman e não entedia o motivo dela atuar tão mal (em 2005 ela também fez V de Vingança). Mas assistindo com um olhar crítico  você percebe que no episódio II ela estava estranhamente desconfortável ao lado do Hayden, que atuava bem mal, o que fazia ela… não ligar muito ao dizer coisas clichê como “vamos morrer juntos”.

…e mais caretas. Vai num banheiro meu filho!

Mas o III como eu expliquei, é o retorno ao trilho da pista. Drama familiar e Wars. E como falei no episódio I, o filme é todo sobre a sensação que aquele menino é muito perigoso para ficar sozinho, mesmo que ele seja tão bonzinho e tenha salvado Naboo. Ou seja, Lucas PRECISAVA de Anakin, porque a história é sobre o nascimento de Darth Vader. Lucas necessitava de boas atuações do Hayden, porque o filme é sobre como Vader surge.

Violência Doméstica e os finalmentes

E nós temos o que a Natalie (que atua aqui como a mulher mais submissa que eu já vi… e atua muito mal como mulher submissa) já havia percebido. Que o Hayden só sabia fazer caretas. Caretas para dizer que está com raiva, para dizer que está triste; para dizer que queria fazer cocô. Ainda bem que Obi Wan está do nosso lado.

Obviamente que num relacionamento tão ruim, numa história de amor impossível, que começou errado com eles jovens demais, terminaria mal. Maria da Penha no Anakin, Obi Wan!

Pega ele Obi Wan

Eu sinceramente não consigo entender os fãs que gostam mais da Padmé que da Leia. Cara… no fim do filme ela sabia que Anakin tinha matado crianças 2x. Padawans e crianças do povo da areia.

Sabia que o cara era mal e cruel (de uma forma bem mal atuada, mas era mal e cruel) e mesmo assim diz: “Vamos fugir juntos Anakin, esquecer de tudo, eu te amo, eu te amo”… eu chego a entender porque a Natalie atuava mal. A Padmé é um personagem quebrado (mulher de ladrão?). Diz querer a paz, mas aceita o maridão psicopata.Engraçado também que Anakin faz tudo pelo medo de perder Padmé, e ele mesmo acaba por bater na sua própria esposa. É irônico. Na verdade todo esse drama familiar do surgimento do Vader com a guerra ao fundo, os Jedi tentando tomar o poder para impedir que um Sith tome primeiro é muito bom! Esse enredo meus amigos é excelente.

E põe para pensar também… Os Jedi iriam destituir o senado, matar o supremo chanceler… pela democracia? Iam mesmo? Ou só é um ponto de vista?

Pega ele Samuel L. Jackson!

Conclusão: Sith, Jedis e Darth Vader

Uma pena que dentro deste enredo excelente o Hayden estraga tudo, né verdade? E a Natalie em certa parte, porque devia ser chato para ela (mesmo ela sendo uma atriz, e atrizes não ficam chateadas), fazer uma esposa submissa ao seu marido psicopata. Enquanto enredo da história, chega a ser poético. Se eles tivessem atuado bem…

Voltando um pouco ao que falei na review do Episódio I, Liam Neeson, o nosso Samurai Hippie, havia descoberto aquele Guri que poderia trazer uma ruptura na força, sendo que ele mesmo, Liam Neeson, achava que havia algo errado e por isso não queria fazer parte do Conselho Jedi (crença que o Conde Dookan também repete no episódio II). Mais tarde, Obi wan, crendo na profecia, acreditava firmemente que ele traria equilíbrio.

Pensem bem. Uma Republica Galática fragilizada. Políticos como ratos. Uma Federação do Comércio que tinha razão em fazer suas disputas e depois foi enganada por um Sith. E o principal, Jedis que queriam destituir o senado e matar o chanceler para fazer uma “transição pacífica”, de volta a um tipo de democracia que eles Jedi, queriam. Bom… ao menos lutavam por Democracia, e não por uma “causa” como nos filmes da Disney…

Mas vou ser claro: quem tinha poder de verdade na Republica Galática era o Conselho Jedi. Eram os Jedi que botavam medo aonde passavam, mostrando seus sabres de luz como um PM mostra sua arma. Aí um Sith foi lá e com ajuda do escolhido pela Força, colocou a balança de volta aos eixos, porque como dizia o tonto do Anakin, Jedis não deveriam ser maus.

Essa batalha, Yoda vs Palpatine, mostra o quão cego yoda estava por ser mais poderoso na força que o Imperador. No fim… ele perde porque caiu de um lugar alto!

Meus amigos e amigas, de modo irônico Lucas nos diz que Darth Vader restaurou a balança da Força. Jedis devem ser caras legais e não cegos pelo poder e pelas suas habilidades. Infelizmente Anakin se destruiu enquanto pessoa no processo ao cair no abismo, como eu falei na review do episódio VI. Coisa que Luke nunca fez.

Mas Lucas nos deu em troca um dos épicos espaciais com um dos enredos mais sensacionais que já vimos.

Melhor cena do Filme

Aquele abraço pessoal!

A maior fonte sobre Cultura-Pop da internet

%d blogueiros gostam disto: