Amaenaide yo!! – Indicação: Aquele Anime Ecchi do Monge Taradão e das Monjas Também!

Tem algum tempo que não posto aqui no site, né verdade? E como é que pode eu não postar nenhum anime? É chegado a hora de indicar um anime ecchi muito conhecido… para aqueles que gostam de ecchi. O nome dele? Amaenaide yo!! Ou como apelidei: “Aquele anime ecchi em que o monge é taradão e as monjas também são“. Venham comigo descobrir mais desse anime e se ele vale à pena. Vamos lá!

Amaenaide yo!! – Indicação: Aquele Anime Ecchi do Monge Taradão e das Monjas Também!

Estava eu comentando o post do Harém moe “Boku wa Tomodachi” (siga o link para você lê-lo também) com um amigo, quando ele mesmo me perguntou: “Esse Harém tem Ecchi?”. Boku wa Tomodachi como todo bom harém tem algumas doses de ecchi sim, mas ele não tem cenas de “ecchi extremamente fortes”, como vemos em Kiss vs Sis por exemplo. Aliás… Boku Wa é o que eu disse, um “Harém Moe” — tanto que ele não aparece no nosso Top 15 Animes Ecchi para pessoas que gostam de Safadezas.

Aí eu cá pensando com meus botões, “Tem um harém bastante ecchi?”. Acabei lembrando deste que vos trago hoje: Amaenaide yo!! Ele é um harém Bastante Ecchi — mas com um enredo deveras interessante, e porque não dizer emocionante. Digamos que você pega (pega quem, como assim?) para ver um ecchi, e recebe de brinde um anime muito bom. Eu preciso dizer que me surpreendi demais enquanto via esse anime do monge safadão e das monjas taradinhas.

A Sinopse Taradinha

Imagem meramente ilustrativa nº1

A historia de Amaenaide yo passa em volta do herói Satonaka, que na verdade é um “monge taradão em treinamento”. Ele foi chamado pela vovô para terminar seu treinamento “mongivico” num templo que só tem Sacerdotisas LINDAS, Moe e “bem apessoadas”. Mas se engana o amigo/a se acha que ele é “timidozinho” e bobão como a maioria dos heróis de animes harém comuns e água com açúcar.

Satonaka foi chamado pela vovó porque ele tem um poder interior muito forte, que desperta sempre que ele TOCA ou vê alguma coisa “pervertida” — daí as sacerdotisas boazudas e safadonas. Não ia adiantar ele ser um taradão se elas também não fossem. Mas o verdadeiramente interessante é que o poder dele é de “Libertação”, capaz de fazer as “almas perdidas” dos mortos , alcançarem a iluminação. Ou seja, apesar do anime ter um plot totalmente voltado ao ecchi e à… safadeza, ele acaba citando temas profundos da espiritualidade. Pois é.

Um anime ecchi com foco na Espiritualidade

Imagem meramente ilustrativa nº2 (A irmãzona e a irmãzinha)

Assim podemos ver que apesar do plot inicial focado em taradíces, a história central na verdade é bem séria e acompanhamos o Satonaka (junto às suas sacerdotisas boazudas e safadinhas) lutarem para fazer exorcismos.

Na verdade a luta é para fazer com que as almas dos mortos alcancem a luz e a paz de que tanto elas precisam. E o mais interessante é que cada história é densa, intrigante, emocionante, ou mesmo Muito Difícil, para que cada alma encontre o descanso que precisa.

Imagem meramente ilustrativa nº3 a Chitose (Tsundere)

Ahh sim… a “sacerdotisa” que o nosso heróis mais gosta é a doce, meiga e “Dou porrada em quem ver a minha pantsu”: Chitose (a ruivinha da imagem acima). Para os entendidos, ele gosta mais da Tsundere (click e veja nosso Top Tsunderes que mais amamos). A Chitose assim como todas as outras é uma gata, tem seus poderes Especiais, e vai ajudar o nosso querido monge “Iluminado” a salvar as almas errantes, enquanto admiramos bastante ecchi.

Fica ai dica para vocês meninos e meninas de um “Harém Ecchi” Muito Bom e com uma história maravilhosa. Certeza de que este é um anime que agrada todos os gostos (monges e monjas) e que ainda traz uma mensagem legal… por trás (como assim?).

Imagem meramente ilustrativa nº4

Abração!

Anúncios

Trilogia da Morte de Nacho Cerdá: Resenha – Grotesco, Peculiar e Imaginável

Nosso bom amigo Aldair retorna para as suas reviews de filmes escatológicos, sombrios, lotados de gore e que causam medo até em mim que gosta tanto de animes grotescos. Venham com ele ver a Trilogia da Morte de Nacho Cerdá, mas tragam lencinho caso vomitem ok? Vamos lá!

7477446.3

Trilogia da Morte de Nacho Cerdá: Resenha – Grotesco, Peculiar e Imaginável

Nesta breve resenha irei falar de três curtas que compõem uma trilogia peculiar que se concentra no paralelo do bizarro. Uma trilogia interessante e grotesca ao qual tentarei não dar spoilers.

The Awakening (1990)

The Awakening

Sinopse: Um aluno acaba por dormir durante a aula e percebe que o tempo parou, exceto o dele.

Um curta de oito minutos extremamente rico em simbologia ao qual dá uma imersão desconfortável e de forma agressiva e oportunista , tornando-o  impertinente. Om ótimo começo pra uma Trilogia que aborda a Morte.

Picture 5

Aftermath (1994)

Aftermath

Sinopse:Quando todo mundo sai, o último patologista restante começa a acariciar os cadáveres. Então ele rapidamente vai para o cadáver de uma menina morta em um acidente de carro, tira a roupa e começa a executar seu “trabalho” macabro.

Este curta já possui meia hora e deixa os simbolismos de lado pra ir para o horror da mente humana. Nos é apresentado cenas nojentas que resultam em necrofilia. Apesar disso não ser claro desde o inicio não se pode dizer que é spoiler pois seu começo atado ao fim é envolto em “mistério”. Uma observação singela é que nos três curtas não há diálogos, porém neste em especial podemos ouvir a respiração ofegante e gemidos do protagonista. Isso não é nem de longe inconveniente ou desconfortável… É bem pior.

aftermath (1)

Genesis (1998)

Genesis

Sinopse: Um escultor fica chocado com a morte de sua esposa em um acidente de carro. Ele então decidiu construir uma estátua em sua memória. Mas quando a estátua realista começa a sangrar através das rachaduras no barro, até mesmo a carne do homem começa a mudar e necrosar.

Este curta também possui meia hora e mais uma vez se diferencia dos demais por ser um drama. Um viúvo em ato de desespero e amor à sua falecida esposa tenta com todo empenho fazer uma estátua da amada e a a partir disto veremos uma transformação bizarra até um desfecho dramático e ainda mais sofrível.

bscap0265nq

Conclusão

cfENj6oqhTuXty7N8XmgEt09cQJ

Sua trilha sonora é bem ambígua e receptiva com a troca de temas e gêneros da trilogias e tornando um dos pontos altos do filme. Apesar de aparentar que estou rendendo elogios a esta trilogia nem tudo é o que parece ser. A mesmo é um tanto quanto fraca e acaba sendo literalmente classificada como “filmes B”, porém tem suas virtudes, bizarras mais tem.

Espero que tenham gostado e até a próxima.

5 Filmes Que Você Já Deveria Ter Assistido! (Parte 5)

Como assim, quer dizer que Aldair retornou para terminar a sua série semi-infinita de Top 5 Filmes que pelas minhas contas já somam mais de 25 filmes? Pois é amiguinhos e amiguinhas, se você está procurando pelo menos 5 filmes maneiros para esse final de semana, vamos cá com ele ver o último Top 5 Filmes que Vocês já Deveria ter Assistido!

maxresdefault (1)

5 Filmes Que Você Já Deveria Ter Assistido! (Parte 5)

O ultimo desta saga que eu tinha esquecido de terminar (risos) espero que gostem do que há por vir e sigam meus conselhos e assistam essa maravilhas.

1408 (2007)

5587f423ecf99150a1ff194eb3a5fb4b

Quinto lugar: Raramente eu curto os filmes baseados nas obras de Stephen King (fora este, o outro se não me engano foi O Nevoeiro) porém este está de parabéns. O filme lhe entrega algo seco e objetivo, sem entrelinhas, sem enrolação, começa do ponto A e vai até o ponto B sem se perder no caminho, sem pegar atalho, sem falar com terceiros e atrasar a viagem (se entendeu toda essa enrolação de encher linguiça no texto eu agradeço). Ele carece de terror como de costume se concentrando na historia e consequências dos atos, além de que também possui atuações satisfatórias e tem Samuel L. “FUCK” Jackson, logo não preciso falar mais nada.

1408 2007

Maldição (2005)

185582.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Quarto Lugar: Mais um filme baseado em exorcismo como muitos outros (ultimamente tem tido cada filme bosta de exorcismo quanto filmes do Steve Seagal). O que se destaca neste é sua ideia um tanto quanto simples que só impressiona no seu final apesar de ser de um clichê que admito já ter visto em muitos outros filmes. Neste em específico me deixou muito satisfeito, o roteiro é despreocupado mas não chega a incomodar. Os efeitos especiais e acontecimentos bizarros não são nada que já não tenha visto (apesar que tem um acidente com a carroça que eu praticamente AMEI). Falando assim nem parece que esse filme merece tanto destaque, mas peço que lhe dê uma chance.

Maldição 2005

Edison: Poder e Corrupção (2004)

Sem título

Terceiro Lugar: Esse vai ser fácil de indicar e vou explicar o porquê. Pense em um filme que aborda uma justiça corrupta onde quase todo mundo é “fdp” (mais tô falando de “fdp hardcore”) e que tu acaba querendo que maioria morra da pior forma possível, imaginou? Gostou de imaginar isso? então não preciso falar mais nada, assista e tire suas próprias conclusões.

Edison Poder e Corrupção 2004

A Orfã (2009)

th

Segundo Lugar: Caraca que atriz, que filme, apesar da historia ser baseada de certa forma em algo real de resto não tem veracidade alguma no roteiro mas f*da-se o filme é muito do ***lho e é bem conhecido, sendo assim se tu já não o conhece corre atrás que vale muito à pena.

A Orfã 2009

Uma Saída de Mestre (2003)

the-italian-job

Primeiro Lugar: Um filme fantástico, com um desenvolvimento muito bom e envolvente, elenco f*a pra baralho, cenas de ações bem feitas, planos de assalto que são uma maravilha e para completar a obra ele possui um humor excelente que é feito na mesma elevação em cada personagem, enfim se ainda não viu tenha certeza que tá perdendo uma excelente película.

Uma Saída de Mestre 2003

E assim que me despeço desta jornada que foi dividida em excelentes cinco partes. Espero que tenham gostado porque não haverá próxima (ou não).

page

Top 5 Animes de Ficção Científica que todo Fã de Sci Fi deve Ver

E que tal mais um top maneirão? É hora de trazermos o Top 5 Animes de Ficção Científica, que mesmo fãs de Sci Fi devem conhecer porque são bons de mais! Se vocês duvidam, venham comigo para uma breve sinopse de cada um. Eu garanto que vão querer assistir esses animes assim de terminar de ler, até se você não gostar de ficção científica. Vem comigo.

Top 5 Animes de Ficção Científica que todo Fã de Sci Fi deve Ver

Esse é aquele momento no ano que eu resolvo tirar da poeira posts guardados há séculos. E logo de começo, porquê não um Top Anime Alguma Coisa? Breve faço um top animes harém, comédia, animes de ação e porradaria…, shoujos e romances, bem na vibe do Top Animes Ecchi que fiz com meu amigo pierrotGluton. Mas na boa, não tô muito afim de lembrar de outros animes agora, e como eu sei que o Violet Evergarden tem tudo para se tornar um dos novos expoentes do gênero, vamos aos Sci fi.

Lembrando que essa lista não é formada só por animes sci fi que eu adoro, mas sim que muita gente que curte anime considera como os melhores do gênero. Também nesse Top5 todos são Animes Seinen, tirando algumas menções honrosas — sim eu acrescento alguns. E não posso esquecer que um grande anime amado por todos não faz parte desse Top: primeiro porque todo mundo conhece e tá careca de saber; segundo porque eu não gosto de Neon Genesis Evangelion. Mas a gente tem uma review dele aqui no site caso você queira ver — gosto não se discute.

Enfim, vamos à lista!

Serial Experiments Lain

Para ser bem sincero com vocês, eu já perdi a conta de quantas vezes falei de Serial Experiments Lain aqui no site. Falei no Top Curiosidades dos Animes. Citei a linda ninfeta Lain como uma das Mulheres mais Lindas dos Animes e  também no Top Mulheres +Poderosas dos Animes, quem estava lá? Pois é. Serial pode não ser um anime que eu ame tanto, mas com certeza merece estar aqui — e em primeiro lugar mesmo eu não colocando notas ou posições nesse top.

O anime começa focando Lain, uma simples estudante do ensino médio, aonde uma amiga de sala acabou de cometer suicídio — essa mesma amiga mandou emails perturbadores para outras meninas… (depois de morta…). Lain não entende bem do mundo digital (chamado de Weird no anime) e nada sabe sobre “email”, porque nunca havia sentido vontade de usar. Mas talvez por causa do suicídio de sua colega, ou por curiosidade de ler as mensagens, ela resolve procurar mais desse mundo virtual que permite com que a mente do usuário penetre nele durante algum tempo (a Weird é mais como um VR, compreende?).

Serial Experiments Lain é uma grande “Teoria da Conspiração”, misturada com “Teorias Pseudocientíficas”, o que torna tudo ainda mais complexo. Mas Lain demonstra ter uma aptidão enorme em lidar com a Weird. O porquê você só vai descobrir, vendo esse clássico.

Ghost in the Shell

Depois de quase quebrar a cachola para entender Serial Experiments Lain, Ghost in the Shell é outra história. Mas não vou falar nem do filme da Scarlett (porque eu não vi) e tampouco da série de animes que ficou conhecida como SAC. E nem dos ovas também porque eu sou muito over, eu gosto só de clássicos. Vamos falar dos dois filmes clássicos de Ghost in the Shell que além de serem ótimos sci fi, também são animações que eu gosto muito. E claro, Mokoto também aparece no meu Top Mulheres +Poderosas dos Animes.

Num resumo muito básico e numa sinopse meia boca, o anime se passa no futuro, no ano de 2029. Lá existe o processo de “tornar um ser humano um cyborg por completo”. Sua “mente” é extraída do corpo e colocado num corpo de cyborg. Motoko é uma das pessoas que passaram pelo processo e trabalha para a Seção9 — como se fosse uma FBI. O primeiro filme animê começa de forma espetacular com a clássica cena do Motoko pulando nua e invisível num prédio para cumprir uma missão de… não posso falar.

Se vocês gosta de ficção científica como eu, além de ver boas cenas de ação animadas lindamente, veja Ghost in the Shell. Os dois primeiros filmes.

Akira

Sem dúvida alguma o anime mais conhecido dos top5. Se você nem ao menos ouviu falar de Akira, eu te pergunto: Você gosta mesmo de Ficção Científica? Akira é um filme animado feito em 1988 e é totalmente “must to have”, mesmo não sendo nem de longe tão complexo como a maioria dos animes que cito aqui. Mas como explico no meu texto sobre “Ficção Científica X Filmes Space Opera“, AKIRA se enquadra perfeitamente como um autêntico sci fi por mostrar o medo que a humanidade tem diante da Ciência.

O anime se passa numa Tóquio pós-apocalipítica do futuro com toda cara de Mad Max futurista, com motocas maneiras e roupas transudas dos anos 80. Engraçado que o futuro lá é 2019, o que significa que temos exatamente 1 ano para termos uma Terceira Guerra Mundial que destrua a cidade e que o povo japonês a reconstrua com o nome de Neo-Tokyo.

Voltando ao anime… a história fica em volta do Kaneda, que é líder de uma gangue de motoqueiros que usam motos da hora, e do seu amigo Tetsuo, que acaba sequestrado pelo governo que faz experiências científicas nele objetivando uma arma final… O final? Assistam esse clássico!

Ergo Proxy

Se Serial Experiments Lain é complicado Ergo Proxy sem dúvida chega perto do nível de “Animes que te fazem quebrar a cuca para entender”. E sim, eu acabei também por citar a linda Re-1 Mayer no meu especial de Top Mulheres Lindas dos Animes… porque olha para ela. Ela é a Amy Lee Saradona. Mas enfim, a gente não tá aqui para falar do quanto a Re-1 Mayer é gostosa linda, e sim para falar do anime.

Imagine um mundo completamente destruído por algo… que você não sabe o que é. E existem pequenas cidades, pequenos “domos”, que conseguiram escapar (ou melhor, sobreviver) da completa destruição lá fora. E mesmo assim, há pessoas que vivem fora dos domos, mas querem Entrar nessas cidades paraíso. Esse é o caso do Vincent Law: um imigrante que almeja entrar num desses domos Trabalhando como um técnico que procura “robos individuais” com defeito… mas estranhamente, ele não tem memória do “antes” de sua vida.

E a Re-l Mayer? Ela é a protagonista e trabalha como investigadora. No anime estão havendo alguns assassinatos envolvendo os humanos e seus parceiros “robôs individuais” e dos imigrantes, como o Vicent Law. Mesmo sem poder se intrometer na investigação, Re-l Mayer vai atrás — e atira, luta muito bem e nos guia diante do anime. Ergo Proxy lembra muito o filme Blade Runner, mas em vez de termos um “homem” como investigador, quem faz esse papel é a Re-l Mayer, que também lembra um cadinho a Mokoto de Ghost in the Shell. Mas muito de longe.

Na verdade até o sentido do anime faz lembrar bastante Blade Runner. O que nos torna humanos? Assistam e descubram!

Wolf’s Rain

Imaginem um futuro após o futuro. Eu sei, é muito fumo, maconha e doideira. Mas imaginem que nesse tempo a ciência alcançou um nível que é como um somatório com a alquimia — como se os alquimistas não tivessem deixado de existir após a revolução da Química de Dalton e da Física Newtoniana. Como se os alquímicos tivessem evoluído com a ciência. É este o tempo do anime. Não é uma outra realidade: é um outro tempo, como se fosse um outro universo, mas no nosso mundo.

Então, esse mundo construído por cientistas-alquímicos parece que está perto de acabar. Alguém em busca da imortalidade (na verdade alguéns) comprometeu a estrutura deste universo (deste mundo) e parece que tudo vai se extinguir. Menos… menos para os lobos. Mas não imagine lobos comuns. Como se trata de outro universo, esses lobos (talvez por experiências?) na verdade também são humanos, e eles estão em busca de uma flor (criada por esses cientistas…) porque eles acreditam que essa flor é a única forma de salvar esse universo.

Cheza a ‘menina-flor’

Eu sei, parece tudo uma viagem louca na maionese, e é mesmo. O anime porém não é tão difícil de compreender como Serial Experiments Lain ou Ergo Proxy (porque ambos têm Roteiros Modernos e Wolf’s Rain na verdade é um Anime Pós-Clássico, o que facilita e meio que me faz não gostar tanto dele quanto gosto dos dois primeiros). Mas mesmo assim, o fato da ciência ser decisiva na mudança de nossas vidas torna o anime um clássico para quem gosta de ficção científica.

E se eles conseguem salvar o mundo com ajuda da flor, da Cheza, e se os “cientistas” também se arrependem da busca pela imortalidade… para descobrir, só assistindo.

Menções Honrosas: SAO e Accel World/ Elfen Lied

E agora eu vou fechar com duas menções honrosas — na verdade três. Mas como as duas primeiras são do mesmo autor… Sword Art Online tem como seu herói o sombrio Kirito, e do outro lado Accel World é protagonizado pela dupla Haru (o gordinho mitológico) e Kuroyukihime (a gatinha magrinha sexy demais).

Ambos são animes shonen futurísticos de Realidade Virtual e parecem dividir o mesmo universo, só que em tempos distintos. SAO conseguiu fazer mais sucesso por ser mais “convencional” e Accel está no meu coração — melhor que SAO em minha opinião. Eu não vou explicar os dois por um ser mainstream, mas de qualquer jeito fica aí as indicações para vocês conhecerem.

Elfen Lied… é outra história. Ele também aparece no meu Top Mulheres +Poderosas dos Animes. E porque não está no Top5? Não sei se considero ele uma ficção científica “true”. Por mais que as experiências científicas tenham modificado seres humanos, eu não penso que o anime foque a ciência como motor central da história. Ela está lá, mas está mais como em Star Trek. Mas um Star Trek de terror com muito sangue, gore, dor e sofrimento humano.

Na verdade Elfen Lied consegue retratar com maestria não as perguntas clássicas de sci fi como “O que é ser uma pessoa”, ou “Será que nosso mundo não é um cérebro numa cuba?”, e Sim o quão nós, seres humanos, Somos Monstros.


É isso pessoal, espero que vocês tenham curtido as indicações. Garanto que se você for fã de ficção científica, PRECISA NECESSARIAMENTE ver esses animes. Se você curtir anime, vai ser legal para abrir os horizontes, mas fãs de sci fi PRECISAM ver esses clássicos. Despeço-me dizendo, au revoir (arrevuá!).

Abração!

5 Games de Corrida Clássicos que eu Curto e quero Indicar

E lá vamos nós falar de mais games aqui no Afonte Geek! Desta vez é uma lista de games de corrida escolhida a dedo para te fazer começar a gostar do gênero — ou então para você que ama esse tipo de game, ter boas lembranças. Bem-vindos aos 5 Games de Corrida Clássicos que eu Curto e quero Indicar.

5 Games de Corrida Clássicos que eu Curto e quero Indicar

Eu admito para vocês amiguinhos e amiguinhas que tenho um fraco. Eu amo games de corrida desde… bom pelo menos eu amava na infância. E saindo um pouco dela também, diria eu. Acabei pegando uns bons games de corrida que joguei muito e resolvi trazer alguns deles para vocês talvez relembrarem, talvez conhecerem.

Lembrando que essa lista é do meu gosto e se vocês pensarem que “faltou algum”, não posso fazer nada sobre isso. Que tal comentarem e dizerem qual curtem?

Enfim, Vamos ao post.

Top Gear

Um CLÁSSICO Br. Publicado pela KEMCO no distante ano de 1992 (começo de vida do Super Nintendo), também conhecido como Top Racer, foi um verdadeiro divisor de águas… Só para nós brasileiros. Lá fora essa primeira versão não fez tanto sucesso assim não. Sua gameplay e trilha sonoras sem igual é o que mais fazem desse game ser um clássico do gênero.

As música, as fases demoníacas dos placões, os Password — eu tinha todos eles escrito numa folha de papel branca, junto com as do Mega Man II de NES. Acho que muita gente vai dizer que é O Melhor game de corrida já feito. Sem dúvida um exagero. Mas a junção de velocidade, pistas, placas e uma trilha sonora embasbacante fica na memória para todo o sempre, amém. E se eu falar mais serão apenas adjetivos.

NOSTALGIA!

Fonte: Wikipedia [Link]

F-1 World Grand Prix I e II

Saindo um pouquinho dos jogos com gameplay menos “severa”, mas ainda assim muito difícil em algumas fases, que é o caso de Top Gear, para entrar direto no que eu gosto de chamar de “Simuladores de Corrida do Tempo da Vovó”. A primeira versão do game foi feita em 1998 e a segunda entre 98-99, o que sugere que mal terminaram o primeiro, foram para o segundo.

Ambos feitos pera Paradigm e VideoSystem e se tratando de games oficiais da Formula One Administration Limited. Não vou mentir, se tratam realmente de games com um nível um pouco acima. Você realmente tem que gostar do gênero e advirto, vai quebrar um pouco a cabeça nas primeiras vez que for guiar os lindos bólidos.

Com gráficos mais polidos e a dificuldade menos acentuada, o F1 II acredito que seja mais convidativo para iniciantes, mas ambos são games excepcionais. Eu lembro de não ter conseguido zerar o F-1 1 em outro modo que não fosse o “rookie”, enquanto no II fui um pouco mais longe. Mas de qualquer jeito, sempre se consegue destravar imagens maiores quando se completa a jornada.

Fontes: N64 Brasil [Link]/ N64Brasil [Link]

 F-Zero X

Fantástico. Só posso dizer isso. Este eu zerei em todos os modos e dificuldades possíveis. Basicamente voltamos aos games de corrida com “realidade aumentada” aonde a gameplay que tem um foco maior para a diversão do jogador. Isso não o torna mais fácil, porém.Feito pela própria BIG N no ano de 1998 F-Zero X, continuação do F-Zero de SNES é pura LOUCURA.

Loopings absurdos, velocidades estonteantes e uma quantidade absurda de outros carros para destravar durante as várias fases, F-Zero X é um deleite para os fãs de velocidade. Para ser sincero com vocês, eu nunca vi muita graça do F-Zero para Super Nintendo… mas este aqui… lembro de ficar com o coração na mão em DIVERSAS fases, tanto pelos loopings quanto pela velocidade.

Jogaço que vale muito à pena mesmo!

Fonte: N64 Brasil [Link]

Mario Kart

Aqui meio que é um combo né verdade? Sido lançado o seu primeiro no distante ano de 1992 sendo que seu último foi o aclamado Mario Kart 8. Eu pude jogar as versões de SNES e N64 e fico morrendo de vontade de experimentar o Double Dash para Game Cube.

Acho que alguns de vocês devem estar se perguntando agora, “Mas Mario Kart deveria fazer parte de uma lista de games de corrida?”. Se você for levar em conta a gameplay e que a ideia é ser o mais rápido — não importando como — então sim, ele tem de estar aqui. Aliás ele PRECISA aparecer. Se não estivesse seria um sacrilégio.

É engraçado como esse game desperta a IRA– e as disputas com amigos e namorados/as sempre rendem boas!Mario Kart sinceramente é um clássico.

Fonte: Wikipédia [Link]

Biker Mice from Mars

Muita gente deve estar se perguntando agora porque não pus games como Rock in Roll Racing (que tem uma trilha sonora maravilhosa) ou mesmo Lamborghini. Bom… primeiro porque sou um “old-gamer”. Para falar a verdade, um very old gamer. Então era de esperar nenhum Forza por aqui, certo?

Segundo que acho Rock in Roll Racing muito travado e aquele game da Lamborghini me é odioso… Sim, eu não gosto nadica de nada de GTA ou de ficar fugindo da policia. Daí já viram né? Muitos games clássicos de moto ou de carro mais “divertidos” como Cruise in USA ficaram MUITO de fora. Votei para fechar com Biker Mice from Mars que se tratava de um desenho dos anos 90 que ganhou um game, vejam só!

Com visão isométrica com uma jogabilidade sensacional. Leve, fácil de se entender, e com cada “motoqueiro” com suas próprias facilidades ou dificuldades. Sem contar que tem uma dificuldade crescente em nível acentuadíssimo — não vou mentir, se você jogar no modo Hard as últimas fases são osso duro.

Vale à pena dar aquela conhecida.

Extra: Top Gear Rally

Indo para o finalzinho e tenho certeza que muita gente aí deve estar com uma carinha, “O quê? Nem mesmo Top Gear 3000?”. Pois é… Mas citar como extra Top Gear Rally? Eu tenho um motivo forte. A verdade e que se trata de um game com gráficos muito, muito ruins, com repetições de pista a esmo; não conta com o aclamado “nitro” dos games do SNES e ainda só para piorar, vem com uma seleção pequena de carros. Só coisa boa, né verdade?

A questão é que se trata de um game épico e muito, muito pouco conhecido pelos gamers, por isso vale à pena citá-lo. Gameplay sensacional aonde você tem que escolher qual a sua melhor dirigibilidade — sem segredo. Não tem motores para trocar. Pneus para escolher ou maluquices de tintas legais.

Aqui o negócio é você, a pista os outros dezenove competidores. Para um cara como eu que não gosta de complicações a não ser “Apertar Star e Play” não podia ser melhor. Se você não conhece esse game de 1997 pare tudo e dê uma jogada. Vale à pena.

Fonte:N64 Brasil [Link]


Esses são os games do gênero que mais gosto e queria trazer para vocês conhecerem. Se vocês tiverem mais alguns aí, ou discordam/concordam de minhas opiniões não se façam de rogados e comentem. Abração!

ps: Juro que não sou um nintendista!

Batman Ninja – Morcego em sua versão Kawai pra Carai Desu

Primeira analise que faço sobre uma animação e ainda escolhi falar de uma recente do morcegão, a Batman Ninja! É pra comemorar com uma taça de vinho e alguns amendoins. Piadas ruins à parte vamos começar esta resenha logo de uma vez.

Batman Ninja – Morcego em sua versão Kawai pra Carai Desu

Esta animação tem um traço impecável, o que me impressionou bastante, por muitas vezes fiquei admirando a sua arte. Mas nem tudo são flores. O Batman tá com um ultra queixo (*rubro) que me incomodou bastante, não consegui achar coerente e esta é uma das características mais marcante do herói, porém exageram na dose dessa vez.

Outro detalhe que desta vez me deixou em cima do muro em vez de literalmente incomodado foi a cativante Mulher Gato com sua exuberante beleza que continua intacta, só que eu não a reconheci como a Selina que estou acostumado (me refiro as HQ e animações que vi) apesar de muitos dos personagens também estarem com adaptações asiáticas, a dela pra mim foi a mais significativa e que mostrou mais mudanças.

Tem muitas referencias do Batman clássico até o atual mescladas: é claro, com cenas e acontecimentos clássicos das obras asiáticas, algumas são divertidas outras são legais mais algumas são um tanto quanto incompatíveis e acredito eu pra cativar o público nipônico ou para fãs do gênero anime.

O enredo e como um roteiro de uma HQ solo do Batman que você considera com a classificação “OK” porque tem aquela mistura de altos e baixos que o equilibra em uma nota não muito em cima da média.

Suas lutas são incríveis e o velho clichê de rivalidade do Batman com o Coringa se mantém presente apesar de ser um tanto quanto fraco nesta obra. Os demais vilões e mocinhos desempenham papeis secundários sem muito ou nenhum destaque dando um foco embaçado pra Mulher Gato e Arlequina e o principal para os eternos rivais.

Até o Gorila Grodd que deveria ter um destaque por sua natureza na trama principal é deixado de lado (ele participa mas efetivamente que os demais vilões só que se for analisar poderia ter sido melhor).

Por conta do uso destes clichês, mesclar cultura “Asian” com o que conhecemos do Batman eu posso concluir dizendo que é uma animação que vale à pena assistir se encantando com a arte mas não tendo a mesma admiração pelo enredo e desenvolvimento e se satisfazendo com a ação rendendo uma boa diversão (Formula Marvel… tô brincando) descompromissada finalizando com uma nota 6.5. Espero que tenham gostado e até a próxima.

Guerra Civil HQ – Review: Fórmula de Menos Roteiro e Mais Porrada

Aqui nosso querido e bom amigo Aldair se encheu de coragem para fazer uma review da HQ Guerra Civil… mas lembrem-se hq e não o filme. A gente sempre vê todo mundo falando bem demais dela… mas essa hq é tudo isso mesmo? É o que a gente vai descobrir no texto.

Guerra Civil HQ – Review: Fórmula de Menos Roteiro e Mais Porrada

Esse vai ser meu texto mais complicado ou será que não?! Enfim vou deixar de lenga, lenga e adiantar minha análise sobre esta “fantástica” HQ. Ah sim… com muitos spoilers. Bora lá.

Roteiro

Serei breve: o roteiro nos apresenta um ideal governamental “fascista” que admito ter me fascinado porém, a perda de controle do Capitão América para tal ideal já deu uma esfriada nos ânimos por ser deliberadamente exagerada. Mal sabia eu que essas situações aconteceriam durante toda a leitura.

Os Heróis saem na porrada como se fosse algo natural lembrando aquelas velhas rixas de guris, claro, maquiado pelo roteiro principal que foi completamente mal aproveitado ou talvez apenas pra ter um propósito que justifique a porradaria sem sentido.

A Brutalidade contida nos atos de violência são uma piada de mal gosto. Porque falo isso? Simples! Pare e pense: os vilões que aparecem são geralmente mortos pelo Justiceiro; os que atacam o Homem Aranha também são fatalizados só que são vilões medíocres e desconhecidos, traduzindo da melhor forma: são sem um mínimo de relevância, o nome disso é *laranjada (*gíria baiana).

Mortes sem Sentido nenhum

Um Hero Também acaba morrendo durante as muitas lutas que ocorrem e tem o mesmo significado dos vilões, quer dizer nenhum! Sua morte tá ali pra “encher linguiça”.

E a Arte?

O Traçado tem varias baixas dando prioridade a faces de muitos personagens (dos principais até figurantes) que chega a ser grotesco. Os Heroes ficam com um visual grosseiro e altamente bizarro, poucos se salvam. Pelo menos pra mim não agradou nem um pouco.

Mas e então, presta?

O Plot principal do roteiro é sólido e maduro, propondo um futuro grandioso durante a leitura. Só que o que é entregue na verdade é um desenvolvimento banal, medíocre e ocioso.

Poderia ser algo tão maravilhoso de teor adulto e de suprema inteligência com situações dramáticas, intenso a medida que o próprio roteiro fosse se aprofundando e renderia um clímax angustiante mas ele se resume em um Street Fighter entre Heróis com a história principal perdida bem o fundo (bem lá no fundo) e com 99% de concentração em porradaria desvairada e nonsense.

Conclusão – Mortes e Pontapés

Para concluir, há algo debatido durante o desenrolar da trama, além dos socos, pontapés e ofensas entre os “salvadores da pátria” que é o trabalho e importância dos Super Heróis para o planeta e a sociedade. Poderia ser um elogio em meio a tantas reclamações que eu estou fazendo (bem que eu queria mas não é).

Mas a “cereja do bolo” é quando se chega ao final e o Capitão se dá conta que tudo que fez foi causar mortes e destruição eu lhe afirmo que é o cumulo da ignorância e obviedade que desde as primeiras páginas estava exposto, sendo assim a HQ dá seu golpe final demonstrando que foi total perda de tempo.

Se tu gosta gosta de HQ que o foco é luta sem sentido da forma mais primitiva possível, parabéns, Guerra Civil foi feita sobre medida pra você.

Boku wa Tomodachi ga Sukunai (Haganai) – Indicação: Porque animes Harém não são apenas para Bocós

Que tal a gente falar de animes Harém? Eu sei que muitos de vocês pensam que haréns são animes para otakus virjões, mas eu gosto muito do gênero e em especial quero indicar um que fez relativo sucesso. Estou falando do meu querido Boku wa Tomodachi, também conhecido como Haganai. E ai? Será que animes harém só são bons para virjões? Vem comigo.

Boku wa Tomodachi ga Sukunai (Haganai) – Indicação: Porque animes Harém não são apenas para Bocós

Outro eu dia fiz um podcast com meus queridos amigos MagoGiva e  o PastorGi (ambos são o mesmo maluco, mas fodase) e a gente resolveu fazer um especial só de animes harém. Se você quiser ver (ou melhor, ouvir o papo muito doido) clique aqui. Por incrível que pareça nós não demos a mínima palhinha sobre Boku wa Tomodachi, vai lá Deus saber porquê.

E isso é até engraçado porque Haganai foi um dos animes harém que mais fizeram sucesso recente no Japão — junto com o meu odiado Oreimo — e sem sombra de dúvidas, pelas citações que vejo dele em hentais doujin e mesmo na cultura pop em geral, a gente meio que esqueceu de falar de um novo clássico do gênero (dá pra chamar algo novo… de clássico?).

Acreditem, este anime é um Seinen

Enfim, Boku wa se trata de uma obra Seinen, ou seja, voltada para um público mais maduro (eu o que é Seinen aqui) e isso quer dizer que apesar dele ter muita comédia e cenas de harém habituais, vamos ter conversas sérias e discussões mais profundas. Eu sei que soa estranho falar em “profundas” quando estamos falando em animes harém, mas vai na minha é um fato.

Para falar a verdade, a Primeira Temporada de Boku Wa é incrivelmente boa; realmente um dos melhores haréns já feitos. Enfim, em Haganai tu vai ver o “herói da vez” (Kodaka) ir para uma escola nova. Ele é meio loiro, daí todo mundo na escola zoa e odeia ele — geralmente japoneses não gostam das pessoas diferentes — e ele acaba conhecido como um “delinquente”. Por lá, delinquentes pintam os cabelos, vejam só.

O Clube dos Solitários

Na turma dele, ele encontra a Yozora, que era uma amiga de infância — só que o Kodaka não lembra disso… por que ele não lembra? Vejam! Ele acaba fazendo amizade com as pessoas “esquisitas” da escola, ou melhor, aqueles que não têm “amigos de verdade” — todas Mulheres, claro, afinal estamos falando de um anime harém.

Temos a própria Yozora que funda o “Clube dos Solitários”, a Sena (a niku) que é linda, super inteligente e toda gostosona, mas que não tem nenhum amigo de verdade — as meninas da sala a odeiam por ela ser “perfeita”; os rapazes só a veem como uma “mulher objeto” e/ou têm “medo” dela. Daí, ela não tem amigos.

Pouquinho de Ecchi faz bem o coração da gente

Eu nunca disse que não tinha ecchi

O trap do anime que quer deixar de ser trap (e ele guarda um mistério debaixo da saia que nos é revelado na segunda temporada), a Loli que é a freirinha (o colégio é meio que um convento, porque sim), a menina cientista (que fica maravilhosamente linda, também na 2º temporada) e por fim, a própria irmã do Herói que “pensa” que é uma Maho Shoujo (garota mágica)… porque esse assunto estava muito em voga nos animes daquela época. Que o diga Chuunibyou.

Ufaaa… Mas eu falei em questões profundas e sérias… aonde elas estão? Como deu para perceber, a maioria delas fica em volta de temas como “aceitação” e “conhecer um amigo de verdade, alguém em que se possa confiar”. Na verdade o anime fala em “crescer como pessoa”, daí vocês entendem porque ele é tão bom. E claro que ele é comédia também. A Yozora por exemplo é uma peste, e vai infernizar a vida de todo mundo — mas ela é assim, por… assistam!

Haréns existem mesmo no Japão?

E antes de eu me despedir, talvez vocês pensem que “Haréns” não existam na sociedade japonesa, certo? Para sua surpresa e para minha, eles acontecem mesmo por lá. O motivo é que as mulheres japonesas costumam escolher a dedo o “homem perfeito”, e ai elas acabem se digladiando por um, quando ele aparece. Eu sei, é bizarro, mas aqui temos coisas como futebol ser mais importante que a ciência, então não vamos falar nada.

Enfim, fiquem com essa belíssima indicação chamada Boku Wa Tomodachi. Tenho certeza que muitos e muitas de vocês vão acabar se identificando com os personagens e com os problemas que eles vivem. Além de morrerem de rir. Ah sim… deixem de preconceito com os animes haréns, temos pérolas no gênero.

Será que teremos momentos amor i love you?

Abração!

E mais ecchi pra terminar o post… porque eu quero.

A maior fonte sobre Cultura-Pop da internet

%d blogueiros gostam disto: