Arquivo da tag: resenha

Star Wars: Review do Ataque dos Clones (Episódio II) – O Romance dos Estranhos e a Guerra que Ninguém viu

Olá meus queridinhos e minhas queridas amigas, sejam bem vindos a mais uma review de Star Wars! Desta vez se trata da review do Episódio II, Ataque dos Clones, aquele filme que muita gente esperava com muito ardor desde que Ben Kenobi falou sobre como foram incríveis e terríveis as guerras clônicas. Vamos sentar e ver se essas guerras foram tão épicas como Ben nos contou. Vem comigo!

Star Wars: Review do Ataque dos Clones (Episódio II): O Romance dos Estranhos e a Guerra que Ninguém viu

O filme é meia boca, mas esse cartaz é maneiro demais!

Hei você, aí do outro lado, sentado ou sentada com a mão no mouse ou olhando a tela do celular, você já leu minhas reviews anteriores, em especial a do Episódio I? Não? Então é bom ler viu! Mas se você não ler porque você é desses, vamo aqui comigo falar do até agora, pior roteirizado e mal dirigido filme de Star Wars dos anos 2000 — o que é até inesperado levando em conta o quanto o Episódio I é bem feito.

E sim… antes que vocês me xinguem eu sou um fã de Star Wars então não tem nenhum hate nisso que eu falei. Só são verdades e os amigos e amigas vão concordar comigo (ou não) no decorrer do meu texto.

Imagem aleatória e muito maneira do Samuel L. Jackson

Lembrando que minhas reviews de SW seguem a ideia de perpassarem cronologicamente pelos longas e meio que sempre tento escrever como se fosse um espectador que nunca viu os filmes, trazendo aspectos que ninguém fala por aí. Acredito que já comecei bem ao dizer que o roteiro e a direção do episódio II deixam a desejar. Mas enfim, chega de enrolar, venham comigo!

O romance dos esquisitões

Olha… eu juro pela Força, que eu quero pegar leve. E eu vou. Mas a situação de Anakin, que por ser jedi deveria ser um monge, e da Padmé (uma ex rainha de uma democracia… o que é bizarro… e agora senadora do planeta de origem que não tinha um exército e ainda é contra a formação de um para a República Galática… loucura) que tem um carreira meteórica na política, com seus 24 aninhos…

Cara, ela foi por 2 eleições seguidas “”Rainha”” de Naboo e agora é senadora galática… é muito mind blowing! Vamos pular isso. Carreira meteórica na política. Mais Foda que Margareth Thatcher.

E do outro lado, o Jedi rebelde sem causa com as cantadas mais absurdas desse lado do universo. Eu nem vou falar que eles depois vieram a casar e tals… Mas cara, foi gasto basicamente 1 hora de filme (junto do Obi Wan investigando os clones e pai do Boba Fett) num romance melado, desgastante, com falas terríveis e atuações piores ainda.

A Natalie Tentou

Dessa vez eu preciso dizer que a Natalie tentou… Ela certamente atuou muito melhor que o Hayden (o Anakin), mas mesmo assim. É um misto de roteiro infeliz e direção sem noção, porque você tenta contar duas histórias paralelas que nada têm a ver uma com a outra. Nem dá para culpar muito os atores.

E… é terrível. Eles não combinam como casal. Eu acho que a Natalie realmente não curtia nem estar próxima do Hayden. A química era muito ruim. Preciso comentar também que a Padmé nem ficou revoltada pelo Anakin ter matado mulheres e crianças indefesas, enquanto vingava a morte da sua mãe. Isso conta muito o tipo de mulher fraca (moralmente) e subserviente que a personagem é, destoando terrivelmente da Leia.

Imagina Han Solo matando crianças e Leia ficando sussa, “vem ká da um abracinho”? Eu não. Aliás o tipo de relacionamento dos dois, que começou errado lá atrás numa admiração de infância, culmina no que a gente já sabe… Mas só vou falar na próxima review.

Se o romance é ruim… CADÊ A FUCKING GUERRA CLÔNICA?

Pois é… O Ataque dos Clones só conta COMO a guerra começou. E é tudo muito mal explicado, porque o Conde Dookan (Dooku se você for um fã chatão) conta na cara dura que Darth Sidius havia dominado o senado e na verdade a Federação do Comércio queria se vingar de ter sido usada POR ELE no primeiro filme.

E que também a Padmé havia conseguido que seu senador, de um planeta inexpressivo (PORQUE NÃO TINHA UM EXÉRCITO!) se tornasse supremo Chanceler. Ou seja… se você não entendeu os trâmites políticos, eu resumo para você amiguinho: OS VILÕES TINHAM RAZÃO.

Momento Ra’s Al Ghul/Macaco Louco= “Contando o plano maligno para o herói do filme”

E por que o Conde Dookan resolveu contar o grand design para um Jedi… eu não sei. Talvez isso fique melhor explicado no próximo filme. Eu duvido. Mas reiterando: A Federação do Comércio queria tirar um Sith do poder, mas os Jedis não deixaram. E o Conde tava fazendo papel de “agente duplo” nisso tudo.

Mas e a Fucking Guerra?

Mas AdminTB… e a fucking GUERRA que Obi Wan contou para o Lucky, de que seu pai havia sido um herói? Ela não devia aparecer nesse filme? O filme não deveria ser sobre essa guerra? Mas Não é.

O que Lucas nos dá em troca é um “romance estranho” e a motivação política que culminou na guerra. Mas se você quiser ver a guerra, ai meu caro amiguinho ou amiguinha, vai tem que assistir aquela animação Clone Wars, ou comprar hqs. Lucas era um cara esperto e garanto que a Disney é bem pior.

O que tem de bom no filme, afinal?

Como fã da série, você entende as motivações por trás da guerra. Entende por exemplo como um suplente de uma senadora, que era CONTRA a república ter um exército, acaba fazendo o contrário da vontade da sua eleita! Claro que de forma inocente Jar Jar Binx acabou sendo o “idiota político” que tanto vemos por aí, seja no Brasil, seja no mundo.

O que é bem estranho Lucas querer nos ensinar sobre política e  a defender sempre a DEMOCRACIA (vejam bem, a grande defesa dos três longas de 2000 é a defesa à DEMOCRACIA e ser contra a qualquer Estado Autoritário). Porque afinal, quem assiste Star Wars não quer entender de política… quer ver Guerra nas fucking Estrelas!

Foi a primeira vez que vimos outro Sith usando a força “naqueles raios”, além do próprio Imperador. Assim como vimos pela primeira vez, do que o grande mestre Yoda era capaz.

Aliás, foi nesse filme que o “nível” Jedi começou a subir de “Samurais Médiuns com alguns poderes” para verdadeiros Super Sayjins — sendo que neste filme aonde começou as batalhas Jedi em CGI, por conta do malabarismo dos sabres de luz. E para ser bem sincero com vocês, eu acho bem feio esse estilo jedi super saijyn.

E eu sei que muitos concordam comigo.

O Conde Dookan é muito maneiro e a luta dele contra Anakin e Obi Wan neste filme é SENSACIONAL. Mas essa de CGI… Não.

Concluindo

Samuel L. Jackson e Christopher Lee: as melhores coisas do Episódio II

Então… é isso. Um ensinamento sobre política; uma amostra do poder de Yoda. A origem dos Stormtrooper e também do Boba Fett… é uma tentativa de ser um filme fanservice se vocês conseguiram captar bem. Mas o que todo fã de Star Wars queria ver mesmo, era a Guerra Clônica em si. Tanto que são as melhores cenas do longa. Lá no finalzinho.

E cara… Christopher Lee e Samuel L. Jackson dão um show nos seus papéis. Não salvam o filme porque só aparecem mesmo no final durante as cenas da guerra, que “por acaso” como eu já disse, são as melhores da película. Uma pena realmente.

Enquanto isso, Anakin e Padmé continuam a viver seu amor “estranho”. Estranho mesmo é ver uma senadora casando em vez de brigando com seu suplente por ele fazer o oposto do que ela queria. Ou será que não é tão estranho assim? Quando não vimos políticos curtindo a vida enquanto o universo está pegando fogo? Que ensinamento estranho para um filme aonde a guerra deveria ser o foco não é?

Imagem maneira do Conde Dookan para terminar a review. Sim, eu sei que o Yoda tá nela, mas é o fucking Christopher Lee!

Abração, nos vemos no Episódio III!

10 Melhores Filmes de capa & espada ou afins – Tutorial Básico

Nosso querido amigo PierrotGluton nos brinda com uma série de 10 Filmes que toda pessoa que ama RPG e que gosta de uma boa briga com espada, escudo e cavalos tem de assistir. Até mesmo um clássico filmes de Samurais aparece na Lista! Na verdade, todo amante do cinema deve conhecer esses ótimos filmes. Boa leitura a todos!

Top 10 Filmes de Capa & Espada ou Afins – Tutorial Básico

Top 10 Filmes de Capa & Espada ou Afins - Tutorial Básico 1

Top Filmes do Afontegeek

Nerds e Cultura Pop – Drama – Terror – “Capa & Espada”  Corridas e Carros – Aviões e Guerra – Filmes de Animação Disney/ PixarFicção Científica – Filmes e RobôsFilmes de NatalCenas Marcantes do Cinema

Quem hoje em dia não conhece RPG? Onde se pode fantasiar e imaginar milhares de opções divertidas e empolgantes, jogos de aventura em vídeo games, filmes de aventuras fantásticas onde um guerreiro e sua espada bastam.

Dificilmente alguém não curta algo do gênero, mas as vezes curtir é algo incompleto, se você apenas observa como se fosse um livro de figuras, se visualiza com a alma, quando você pode se defrontar com um livro, que o empolgue, que o detenha.

Top 10 Filmes de Capa & Espada ou Afins - Tutorial Básico 2

Conhecer sobre as raízes desse universo guerreiro é algo que se pode buscar na literatura com clássicos antigos da idade média inclusive, mas hoje vamos falar sobre filmes de capa & espada e afins. A fonte mais usada (porque nos filmes você tem referências visuais ) desse mundo mágico.

Diante disso, estamos aqui humildemente trazendo a vocês resenhas curtas sobre filmes que certamente enriquecerão suas possibilidades. Apenas por referência começaremos pelos mais velhos:

As Aventuras de Robin Hood (1938)

As Aventuras de Robin Hood 1938 1

Havia em Hollywood uma lenda entre os mortais. Ele representava o protagonista preferido dos filmes de capa e espada: Errol Flynn.

Outro marco na história do cinema, fixando o modelo de protagonista hábil, humilde, mas de origem nobre, sucesso com as mulheres, mordaz com os vilões, com bons companheiros (ops, esse é outro filme, outro estilo, ultra-violência, que posteriormente iremos trazer aqui) e um bigodinho estranho. Quase todos os outros filmes de Hobin Hood beberam desse.

A Marca do Zorro (1940)

A Marca do Zorro 1940

A trama é bem conhecida. Por que esse filme foi feito? Havia um original da década de 20, mas era cinema mudo, Tyrone Power atua de forma incorporada como poucos conseguiram no cinema. Ele realmente era o Zorro, e todos os demais espelham-se na sua atuação.

Aliás, quase todos os heróis overpower bem humorados certamente usam esse Zorro como referência, inclusive o Batman

Cyrano de Bergerac (1950)

Cyrano de Bergerac 1

Roxane, Roxane. Esse nome dificilmente sairá da cabeça de quem assistir a esse filme, sim de 1950, não a versão com o bom ator Gerard Depardieu. A impostação de voz do ator (não conhecido pela grande maioria) José Ferrer (porto-riquenho), que lhe rendeu o Oscar daquele ano, é sem dúvida algo marcante.

Para quem gosta de zoeira refinada, esse personagem, por trás de todo o romantismo/aventura existente, é dos mais fortes nesse quesito.

O Escudo Negro de Falworth (1954)

O Escudo Negro de Falworth 1954 1

E se você descobrisse que apesar de ter sido criado como um camponês, na verdade você era de uma família de nobres guerreiros (não é Luke Skywalker), e que sua família na verdade foi desonrada injustamente?

Em torno dessa trama, em plena Inglaterra governada por Henrique IV, temos uma história que realmente nos faz torcer para que o Escudo Negro recupere sua honra.

Os Sete Samurais (1954)

Os Sete Samurais 1954 1

Sim, valem espadas japonesas nessa resenha, e não tinha como não citar Akira Kurosawa. Esse filme foi tão importante que os americanos lançaram “Sete homens e um Destino” exatamente sobre o enredo desse filme.

A história se passa em uma vila de agricultores miseráveis, onde são saqueados constantemente. Quando ameaçados de extermínio, os agricultores vão a uma cidade grande para contratar samurais para protege-los (alguma semelhança com vida de inseto?).

Os Sete Samurais 1954 2

Basta lembrar que  o Diretor e roteirista Akira Kurosawa é uma referência para uns carinhas que fizeram uns filmes pop’s por ai, tipo Steven Spielberg e George Lucas.

El Cid (1961)

el cid 2

Conta a história romanceada de Don Rodrigo Diaz de Bivar, interpretada por Charlton Heston no papel de protagonista e de Sophia Loren no papel de Vilã/Mocinha.

Falar sobre El Cid é falar sobre uma das produções melhor elaborada até os dias de hoje, cenas de batalhas sem efeitos especiais dos dias de hoje, locações na Espanha. Histórias míticas, de pessoas que existiram de verdade. Com um final fantástico… literalmente assombroso.

Os Três Mosqueteiros (1973)

Os Três Mosqueteiros 1973

Sei que fizeram um em 1923, e depois um moderninho, mas essa versão realizada em 1973, com cores e matizes libertárias e com humor hiper afiados, além de cenas memoráveis, como ver Charlton Heston (ele de novo) como cardeal Richelier realmente valem o ingresso.

Ação, humor, romance, em níveis luminosos e empolgantes, o prenuncio de uma historia revolucionária e cheia de possibilidades felizes… #SQN… leiam os livros quando puderem… ou assistam  a Vingança de Milady e A volta dos Mosqueteiros, mas se não tiver realmente vontade de ver mais nada (a obra original de Dumas são 12 volumes), assista apenas esse.

Conan, o Bárbaro (1982)

conan o barbaro 2

Sim, Conan o Bárbaro de “Suasnegas” (Arnold Schwarzenegger) é meu preferido entre os Conan’s. Na segunda versão sei que foi mais inteligente, mas Conan de saias??? Whatahell??? Além do que o ar sombrio desse Conan realmente tem mais a ver com o universo criado por Robert E. Howard.

Sim, o Conan De Arnold é burrão, mais pelo ator do que pelo personagem, mas realmente Conan de saias… (é, não me conformo) Sangue, lutas bruxarias e a voz do Darth Vader.

LadyHawke, O Feitiço de Áquila (1985)

LadyHawke O Feitiço de Áquila 2

Condenados por uma maldição, a nunca se encontrarem, de dia ou de noite, não podem se tocar, não como homem e mulher. A história de Navarro e Isabeau me prendeu do inicio ao fim.

Há algumas contradições estéticas no filme, mas creio que o orçamento não era lá tudo aquilo, no entanto ver Michele Pfeifer sempre vale a pena. Temos Hudger Hauer como Navarro, Sr. “Curtindo a vida adoidado” como Rato, Alfred Molina irreconhecível, uma história que não canso de ver e rever, afinal, quem não queria ter Isabeau de Pfeifer por perto?

 Highlander (1986)

Highlander 1986 2

Quem quer viver para sempre? Com essa pergunta cantada pelo Queen, ficou a reflexão que As Aventuras de Gulliver já trouxeram, sobre se seria realmente positivo ser imortal. Questões filosóficas, alguns instantes de humor, e muitas lutas.

Estrelado pelo então promissor Cristopher Lambert (quem?) com participação de Sean Connery, temos das melhores tramas arruinadas por continuações em toda a história cinematográfica relacionada ao tema.

Adendo: Monty Python e a Busca pelo Cálice Sagrado (1974)

Monty Python e a Busca pelo Cálice Sagrado 1974 1

O Grupo Monty Python (tipo uns trapalhões ingleses, só que inteligentes) realizou esse filme, que desconstruiu praticamente todos os mitos possíveis, mas ao mesmo tempo faz rachar de rir.

Que digam os cavaleiros Ni…  Realmente, assistam, e vejam onde quase todas as comédias modernas com um toque de inteligência beberam como fonte, e os personagens cômicos e críticos que dai surgiram nesse tipo de filme.

Galeria de Imagens dos Filmes

 

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir! (Parte 1)

Bem-vindos meus amigos and amigas safadinhos e safadinhas, que adoram ver uma bela putaria safadeza e comédia nos animes, ou anseia ver algo assim pela primeira vez na vida — com Muito boa qualidade e Profundidade! Curtam o Especial Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir!

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir (Parte 1)

animes ecchi wall parte1,1

Especial Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir

Parte 1 > Parte 2 > Parte 3

Olá meninos e meninas, vocês que ficam aí doidos para ver as clássicas “pegadas nos peitos sem querer-querendo” ou querendo por querer, sejam bem-vindos ao especial Top 15 Animes Ecchi feito aqui pelo pessoal do Afontegeek!

Desta vez juntamo-nos nós dois (eu mesmo, o AdminTB e nosso querido amigo PierrotGluton) para escolher os 15 Melhores Animes Ecchi de todos os Tempos Ever! Nossa escolha foi feita baseada não somente no nível pesado de ecchi ou de safadeza — bom… temos alguns peso “pesadíssimos” nessa lista, quando falamos de safadeza kk — mas também optamos pela qualidade técnica, profundidade, roteiro e história que o autor/a colocou em sua história.

animes ecchi wall parte1

Então… além de Ecchi, Fan-service e essas coisas “básicas”, esperem muita qualidade tanto no enredo, nos personagens e na história de todos os animes escolhidos! E não reparem se vocês não acharem alguns “figurões” — nós escolhemos pelo nosso gosto, o que não quer dizer que os “não listados” sejam ruins… só não é do gosto da gente.

Por fim, separamos o Especial de Animes Ecchi em 3 Partes para facilitar a leitura pessoal. Fiquem com a Primeira Parte agora!

Divirtam-se!

Kanokon

kanokon
kanokon

Comecemos com o mais forte, ou com a melhor das bebidas. É quase uma injustiça colocar Kanokon misturado com alguma coisa: é como um whisky envelhecido em um barril 12 anos, e misturar com refri. Um pecado.

Kanokon particularmente (até o décimo episódio) para meu gosto é o melhor anime em todas as categorias, pelo encadeamento, teor e forma como é feito. É um Youkai shoujo ecchi. Saíram outros depois, mas Kanokon consta no meu Index indicattorium (ZNE) com extremo louvor. Muitas risadas e realmente alguns momentos de… tirar o fôlego (a  lambida é algo fatal).

kanokon 4 chizuru yokai

A história gira em torno de Kouta (o menino) e Chizuru (a raposa espírito) onde a cada momento ela tenta dar uns pegas nele, muito engraçado, muito bem bolado, até o décimo episódio.

Anime: 12 episódios + OVAS/ Animelist: [Link]
Comentário by PierrotGluton

Golden Boy

Wallpaper

Esse é sinceramente um “clássico” dos animes ecchi/ comédia. Ele narra as aventuras do estudante Oe Kintaro em busca de… em busca de estudar e de conhecer as mulheres + lindas/ gostosas e maravilhosas que ele encontrar!

Apesar de ser um anime simplesmente HILÁRIO, o fato dele conhecer em cada uma de suas aventuras uma mulher diferente, e perceber como cada uma é especial do seu jeito, ele as “conquista” com seu jeito bonito e sincero de lidar com cada uma dessas lindas mulheres. Mas nunca esquecendo de que a vida é um contínuo Aprendizado! Aproveite para ler a Review de Golden Boy!

Formato: OVA
Comentário By: AdminTB

To LOVE-Ru e To LOVE-Ru Darkness (bonus)

To-Love-Ru 1

To Love-Ru possivelmente foi meu primeiro ecchi efetivo. Um sonho pra todo onanista solitário é fantasiar estar trancado no quarto e ele ser invadido por uma mulher/menina linda, além de tudo extra terrestre e sem noção de comportamentos ditos civilizados (conforme padrões terráqueos: tipo vestir roupas depois do banho).

O personagem talvez seja dos mais bunda-moles que exista na historiografia dos animes, mas fazer o quê? Por alguma razão a receita funciona: é regada de muitos momentos sem noção e o imã absoluto de Rito-san … “cara-pepeca” (difícil o episódio em que ele não cai de cara numa pepeca ou leva uma pepecada na cara).

to-love-ru-darkness 2

To Love-Ru Darkness em tese deveria mostrar a ascensão do harém de Rito-san: zilhões de meninas gamadas nele, as irmãs da extraterrestre, caçadoras estelares, fantasmas e toda a sorte de possibilidades (até mesmo incestuosas)… enfim. Fan-servisse de quilos… realmente prefiro o início.

Anime – To LOVE-Ru: 12 episódios + OVA/ Animelist [Link]
Anime – To LOVE-Ru Darkness: 2 Temporadas + OVA / Animelist [Link]/ Comentário by PierrotGluton

Dakara Boku wa H ga Dekinai

dakara boku wa ga dekinai (2)

Agora vamos comentar um verdadeiro anime “harém-ecchi”, sem tirar nem pôr! Foi um dos primeiros que eu vi nos longínquos anos de 2012 e confesso que foi um dos mais divertidos — safados — e com um dos melhores finais que já vi!

O anime conta a saga do rapaz ecchi e safado Ryosuke Kaga (basta ele ver um rabo de saia que fica doido kk), que “por acaso”, encontrou uma “shinigami” ruivinha e gatinha chamada Lisara Restole na porta de sua casa!

dakara boku wa ga dekinai (4)

E agora sempre que o rapaz fica excitado (sei lá… ele pega nos peitim dela por exemplo kk), a Lisara ganha + poderes. Eu sei… é ridículo… E ainda aparecem + shinigamis gatas! Mas também hilário e como eu disse, com um dos melhores finais que já vi! Recomendadíssimo!

Anime: 12 episódios/ Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

Yosuga no Sora

Yosuga-no-sora-4

Esse é o anime ecchi “que toda otome” e otaku já viram. Eu sei que já viram meninas otakas… não se escondam nãao! Aliás, eu sei que vocês estão lendo este post à procura “do ecchi perfeito”. Como eu sei? Já vi muitas meninas comentando, e vou dizer, é sinceramente um dos melhores mesmo.

Yosuga-no-sora-6

Ele narra a história de Haruka Kasugano e sua irmã gêmea/gatinha Sora, que depois de perderem seus pais num acidente vão morar no interior. O anime é baseado na Visual Novel (game) e o diretor resolveu narrar todas as “pegadas” que o Haruka faz no game: ele pega geral, uma de cada vez :3 . Fica a dica que a “melhor” menina que ele pega é justamente a última. Quem é ela? Assistam e Descubram seus ecchi safados!

Anime: 12 episódios / Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

—————————-

Aquele abraço meninos and meninas ecchi!
Nos vemos na Parte 2 deste lindo especial safadinho! :3

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir!! (Parte 2)

Bem-vindos meus queridos amigos and amigas ecchi-boys and ecchi -girls, que adoram ver um belo anime Ecchi e com Comédia! Aqui vocês ficam com a segunda parte do especial de animes ecchi feito aqui no Afontegeek! Curtam o Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir Parte 2!

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir! (Parte 2)

animes ecchi wall parte2

Especial Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir

Parte 1 > Parte 2 > Parte 3

Olá meninos e meninas, vocês que ficam aí doidos para ver as clássicas “pegadas nos peitos sem querer-querendo” ou querendo por querer, sejam bem-vindos ao especial Top 15 Animes Ecchi feito aqui pelo pessoal do Afontegeek!

Desta vez juntamo-nos nós dois (eu mesmo, o AdminTB e nosso querido amigo PierrotGluton) para escolher os 15 Melhores animes ecchi de todos os animes ever! Nossa escolha foi feita baseada não somente no nível pesado de ecchi ou de safadeza — bom… temos alguns peso “pesadíssimos” nessa lista, quando falamos de safadeza kk — mas também optamos pela qualidade técnica, profundidade, roteiro e história que o autor/a colocou em sua história.

kiss x sis 3

Então… além de Ecchi, Fan-service e essas coisas “básicas”, esperem muita qualidade tanto no enredo, nos personagens e na história de todos os animes escolhidos! E não reparem se vocês não acharem alguns “figurões” — nós escolhemos pelo nosso gosto, o que não quer dizer que os “não listados” sejam ruins… só não é do gosto da gente.

Resolvemos separar o Especial de Animes Ecchi em 3 Partes para facilitar a leitura pessoal. Fiquem com a Segunda Parte agora!

Divirtam-se!

Kiss x sis

kiss x sis 2

Não chega a ser incesto no sentido absoluto da palavra, tendo em vista que o protagonista realmente não é irmão de sangue das ousadas irmãs Ako e Riko. Muitos momentos tensos, um harém ao redor de Keita-kun (o protagonista?), uma professora assanhadíssima, irmã de uma loli perigosa, uma menina mijona… Clássico representativo do gênero.

Anime: 12 episódio + 12 OVAS/ Animelist 1: [Link] Animelist 2: [Link]/ Comentário by PierrotGluton

MM!

mm! anime 1

Esse foi um dos primeiros anime ecchi que eu vi também. Lembro que na verdade as insinuações são mais fortes que o ecchi “em si”. Sem contar que eu morri de rir enquanto via ele kk. Cada episódio é uma comédia repleta de “safadezas” e merece que você veja.

Ele narra a história de Sado, o “sadomazoquista”, que descobre “adorar” quando alguma menina bate, pisa e acaba com ele kk. No intuito de parar com sua “mania” — ou de ser sodomizado por gatinhas — ele entra para um clube. Lá ele encontra a Tsudere/ Dominadora Mio, a enfermeira que adora fazer todo mundo vestir cosplay… e bom, já entenderam né? Super indicado para quem gosta de um ecchi + rir muito!

Sado Tomoko (A mãe - Sim é ela quem está na cama!)
Sado Tomoko (A mãe – Sim é ela quem está na cama!)

ps: Eu sinceramente não sei como esqueci da irmã e da mãe do nosso querido Sado (o mazoquista). Cara… as duas são SENSACIONAIS. Elas inclusive aparecem no nosso especial de MILFs Mais Gatas dos Animes (clique para ler!)!

Anime: 12 episódios/ Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

Mayo Chiki!

Mayo Chiki! 8

Esse é sem dúvida alguma um anime “puro-ecchi” melhor grau kk. Cenas “fortes” são o que não faltam, quase proibído para menores: os clássicos “Tropecei e acidentalmente peguei nos seus peitos mesmo você com sutiã”, até descobrir que o mordomo da menina + gata da escola, na verdade é uma mulher gatíssima!

Aqui ele narra a saga de Kinjirou, um carinha que no começo do anime “tem medo do sexo oposto” — porque apanhava de suas irmãs lutadoras. Até que um dia, a gostosa e ultra-sexy/ riquinha Kanade descobre o problema do rapaz e começa a atacar ele (no bom sentido do termo).

Mayo Chiki! 2
Kanade :3 my dream girl

Ao mesmo tempo o sortudo Kinjirou descobre que o “mordomo” da Kanada na verdade é uma loirinha linda meio tsundere — já reparou que sempre tem Tsuderes em ecchis? Anime super indicado, com um dos melhores finais ever — se é que me entende :3 .

Anime: 12 episódios/ Animelist [Link]
Comentário By: AdminTB

Highschool DXD

High school DXD 3

Morrer na mão do capeta é algo que parece horrível não é? Mas não para Issei Hyoudou! Na verdade ele renasce como um demônio servo da generosíssima (no sentido de seios generosos) Rias Gremory: uma demônio da família dominante do submundo.

Aliás, que clã interessante, digamos. Harenzão daqueles: peitos e peitos. Com direito a um fim de primeira temporada com uma frase épica de Issei (assistam e descubram).

Animes: 3 Temporadas + OVAS / Animelist [Link]
Comentário by PierrotGluton

Amaenaide yo!!

Amaenaide yo!!

Ou o “Anime do monge taradão” kk. Basicamente essa frase explica tudo kk. Muito bom esse ecchi — ecchi pacas! Ainda assim um anime com um sentido bem profundo. Basta você assistir com atenção e notar que a cada episódio o anime fica + sério — sem esquecer do ecchi e das tiradas cômicas!

Pois muito bem, ele narra a história do monge safadão Satonaka Ikkou, na saga de levar espíritos que estão nas trevas para a luz. Mas como se trata de um anime ecchi, seus poderes de purificação se Intensificam sempre que ele… vê uma calcinha, pega num peitão, e coisas do tipo kk.

Amaenaide yo!! 6

Para “amadurecer” ele foi mandado para o templo da sua vó, lotado de sacerdotisas muito, eu disse muito, gostosas kk. Então não vai faltar “motivo” para ele Elevar o Cosmo kk. E vejam só, ele se apaixona pela sacerdotisa Chitose… adivinhem só, outra tsundere. Haja tsunderes nesses ecchi!

Anime: 2 Temporadas de 12 episódios/ Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

—————————-

Já estão ansiosos and ansiosas para ler a Parte 3 e Final do nosso especial, né? Então sigam direto para o último texto, seus apressadinhos!

Abraços!

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir (Parte 3)

Bem-vindos meninos e meninas, a parte final do Especial Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir Parte 3, feito aqui mesmo pela galerinha do Afontegeek. Espero que gostem de cada um dos animes ecchi escolhidos — foi de coração! Curtam e digam como foi!!

Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir! (Parte 3)

animes ecchi wall parte3

Especial Top 15 Animes Ecchi que Valem a Pena Assistir

Parte 1 > Parte 2 > Parte 3

Olá meninos e meninas, vocês que ficam aí doidos para ver as clássicas “pegadas nos peitos sem querer-querendo” ou querendo por querer, sejam bem-vindos ao especial Top 15 Animes Ecchi feito aqui pelo pessoal do Afontegeek!

Desta vez juntamo-nos nós dois (eu mesmo, o AdminTB e nosso querido amigo PierrotGluton) para escolher os 15 Melhores animes ecchi de todos os animes ever! Nossa escolha foi feita baseada não somente no nível pesado de ecchi ou de safadeza — bom… temos alguns peso “pesadíssimos” nessa lista, quando falamos de safadeza kk — mas também optamos pela qualidade técnica, profundidade, roteiro e história que o autor/a colocou em sua história.

Kore wa Zombie Desu ka 7

Então… além de Ecchi, Fan-service e essas coisas “básicas”, esperem muita qualidade tanto no enredo, nos personagens e na história de todos os animes escolhidos! E não reparem se vocês não acharem alguns “figurões” — nós escolhemos pelo nosso gosto, o que não quer dizer que os “não listados” sejam ruins… só não é do gosto da gente.

Resolvemos separar o Especial de Animes Ecchi em 3 Partes para facilitar a leitura pessoal. Fiquem com a Terceira e Última Parte agora! Divirtam-se!

B Gata H Kei

B Gata H Kei

Outro anime ecchi clássico. Basicamente não conheço ninguém que veja animes que não conheça — assistam meninas e meninos! Acho que uma das curiosidades está no fato de ser um anime que tem uma Heroína — viram quantos tiverem heróis? — e no fato dela estar doida para transar — sá safadinha!

Pois então, o anime narra a épica história da loirinha linda, maravilhosa e gostosa Yamada, em busca de ter sua primeira relação sexual — e de transar com mais de 100 HOMENS! Haja Fogo! Antes dela entrar na nova escola a safadinha conhece o PUTA SORTUDO Kosuda (que é só um cara gentil, mas não é um galã de novela), e DO NADA, ela decide que vai transar com o rapaz! HA!

B Gata H Kei 6

O anime conta coisas cômicas como a Yamada se masturbar em plena sala de aula, e dela pular na cama do hospital vestida de enfermeira sexy quando seu namorado está adoentado. Isso porque eu não falei do Motel kkk. Anime deveras recomendado e com 2 personagens “a mais” na história muuito hilários e inusitados! kk

Anime: 12 episódios/ Animelist [Link]
Comentário By: AdminTB

Kore wa Zombie Desu ka?

Kore wa Zombie Desu ka

Finalmente mais um harém! Falo isso porque eu adoro haréns e não escondo de ninguém. Mas este se trata de um harém extremamente ecchi e hilário! Não esqueço de várias piadas dele até hoje!

E para que eu não enrole mais… ele narra a história de Aikawa Ayumu, que foi morto por um assassino e logo em seguida, trazido de volta a vida por uma necromante loli. Só que ele volta do mundo dos mortos com um ZUMBI! Logo depois disso ele encontra uma garotinha maho shoujo… e sem querer ele Rouba os poderes dela! Agora ele é o Zumbi Maho shoujo lutando contras as forças do mal kkk.

A principal vampira ninja "gostosa" do anime kk
A principal vampira ninja “gostosa” do anime kk

O anime ainda conta com clãs de “mulheres-vampira-ninja-gostosas”, ele encontra a sua “assassina”, que também é uma gata, e bem… Basicamente vivem juntos a necromante-loli, uma ninja gata pacas, a maho shoujo, e esse sortudo desgraçado kkk. O anime é repleto de piadas hilárias que eu não vou contar! E nunca esqueço de como ele imaginava a voz da necromente-loli kkk. Assistam!

Anime: 2 Temporadas + OVAS/ Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

R-15

R-15 anime

Confesso para os amigos and amigas que RI muito vendo esse anime, mesmo tendo cenas bem ecchi como “Gatinhas lutando no Catupiry” — e tem MESMO!

Aqui a história se passa em volta do Taketo Akutagawa — um menino escritor de literatura erótica, mesmo ainda sem ter transado. Ele foi transferido para uma escola de “super gênios”… Como assim, um escritor erótico numa escola de gênios? Então… ele não apenas escreve “erotismo”… suas palavras são capazes de fazer até a mais frígida das moçoilas ter um ataque de… Orgasmo kk!

Eu queria ter achado uma imagem da sacerdotisa também :3
Eu queria ter achado uma imagem da sacerdotisa também :3

É um anime meio harém (porque basicamente só conta com personagens femininas) mesmo que o herói se apaixone só pela loli-inocente-gênia tocadora de clarineta. Recomendado pelas doses de comédia, e a forma genial como eles usam o “dom” do menino erótico — não esqueço da cena que ele faz uma freirinha e uma sacerdotisa “se molharem todinhas” se descabelarem só usando “palavras eróticas” kk. Assistam!

Anime: 12 episódios + OVA/ Animelist: [Link]
Comentário By: AdminTB

DearS

DearS anime 5

Mas Dears não é ecchi” – otakinho bobo.  O que define “Ecchi“? Em origem é algo obsceno, relativo a coisas sexuais: nesse ponto Dears encaixa perfeitamente.Vamos então aos porquês.

Em Dears há uma relação assumidamente BDSM entre um Dono,  (mestre) e uma Serva (escrava). Serva esta que anseia por ser escrava, desejando do fundo de seu coração ser uma escrava.

DearS anime

Em poderes é muito mais forte que o humano, mas a “Dear Ren” deseja por essa relação, implora para ser mandada. Realmente, o nível de BDSM é Hard… só falta ela sair cantando essa musica:

Se isso não for ecchi… então…rsrs

Anime: 12 episódios+OVA / Animelist: [Link]
Comentário by PierrotGluton

Nazo no Kanojo X

Nazo-no-Kanojo-05-RAW.mkv_snapshot_19.18_2012.05.12_21.17.12

E eu “quase” não coloco meu “anime-mangá” preferido nessa lista por considerar ele “não tão ecchi assim”. Mas… já que vimos nosso amigo PierrotGluton defender Dears e sua relação BDSM… vamos de NAZO NO KANOJO X com suas “parafilias sexuais”!

Bom… se trata da história do estudante comum Tsubaki, que depois de experimentar… vejam bem… vejam bem! A Saliva (isso mesmo, o cuspe!) da nova aluna da escola, a linda e misteriosa Urabe Mikoto, acabe ficando primeiro… com uma gripe que não passava. Somente depois ela indo na casa dele, ele descobre que na verdade.. vejam e descubram!

Ahh a primeira vez...
Isso me dá boas lembranças…

Um anime seinen com uma profundidade sem igual, um mangá ainda melhor (por ter mais arcos), e muitas calcinhas, costas nuas e até uma das melhores cenas de “pegando no peito da minha namorada” que eu já vi. Nazo no Kanojo X é pedida certa para qualquer pessoa que queira “desvendar os segredos de sua namorada misteriosa! Inclusive você encontra o Mangá Completo de Nazo no Kanojo X aqui mesmo no Afontegeek (siga o link)!

Anime: 12 episódios + OVA / Primeiras Impressões [Link]/ Crítica do anime (sem spoilers) [Link] / Review do anime: [Link] / Mangá Completo [Link] / Comentários by AdminTB

—————————-

E chegamos ao fim do nosso Top 15 de Animes ecchi, feito por mim, seu querido amigo do bairro o AdminTB, e pelo nosso amigo PierrotGluton. Espero que tenham gostado (ou vão gostar kk) de cada um dos 15 Animes escolhidos.

Foi com carinho e de coração para todos vocês!
Abraços!

ps: Sigam os links para ver as outras partes do Especial Top 15 Animes Ecchi: Parte 1 e Parte 2.

Black Eyed Peas, The E.N.D. – Resenha: A Fusão entre o Hip-Hop e a Música Eletrônica

Falam galerinhas de meu Brasil varonil, que tanto gostam (ou não tanto assim) das minhas reviews de álbuns (criticas, resenhas e tudo isso). Desta vez vamos tratar um pouco do mais que famoso The E.N.D. (The Energy Never Dies) do The Black Eyed Peas. Espero que curtam!

Black Eyed Peas, The E.N.D. – Resenha: A Fusão entre o Hip-Hop e a Música Eletrônica

the end album

Então meu povo, vamos falar deste álbum do Black Eyed Peas? Geralmente sempre falo um pouco a respeito da banda (ou não) quando faço resenhas de álbuns, só que desta vez vou falar um pouco menos — até porque quero tratar de forma mais rápida sobre o álbum.

Muito bem… The Black Eyed Peas foi formado em 1995 em Los Angeles, California e hoje tem os seguintes integrantes: Will.I.Am, Apl.de.ap, Taboo, e Fergie. Desde seu terceiro cd, o Elephunk, ao todo já venderam mais de 35 milhões de álbuns e 58 milhões de singles.

Boom Boom Pow

O primeiro grande sucesso deles é a lindíssima canção “Where Is the Love?” (que é uma canção basicamente Hip Hop), ainda no ano de 2003 — e eu lembro bem do sucesso que ela fez, até pelo próprio conteúdo da letra. Anyway, como todo mundo já ouviu alguma coisa deles, vamos direto para o álbum né não?

Um pouco sobre o The E.N.D. (The Energy Never Dies)

Ele é o quinto álbum da banda e foi lançado ainda no ano de 2009 e deu ao Black Eyed Peas as três primeiras posições na “Billboard Hot 100” com os singles: “Boom Boom Pow”, “I Gotta Feeling” e “Imma Be”, sendo que o terceiro single “Meet Me Halfway” (que eu amo demais o Clipe por causa de Fergie linda demais!), junto com mais dois, liderou varias paradas de sucesso em muitas partes do mundo.

I Gotta Feeling

A Wikipedia continua nos dizendo que: “O álbum conta com produção de Will.i.am, David Guetta, Apl.de.ap entre outros.” No geral, o The E.N.D. é o maior sucesso comercial do grupo até aqui. Fica como curiosidade que a música “Boom Boom Pow” 12 semanas no mesmo topo da Billboard, somente cedendo lugar para “I Gotta Feeling” que ficou 14 semanas em primeiro lugar.

Isso quer dizer que “durante 6 meses consecutivos como a banda mais ouvida de 2009 , e com o total de 26 semanas, a banda mais ouvida da década” — isso seguindo a Billboard, Americana. Ou seja… lá nos USA, ok?

As Músicas e os Clipes MÍTICOS

Como vocês podem ver, eu postei todos os clipes que os caras lançaram para o The E.N.D. e também finalizei com uma música que mais gostei do cd. Dá pra dizer, de uma forma bem musical (não que eu entenda lá muito de “pop”) que esse álbum é carregado de influência de música eletrônica, fazendo uma fusão com o estilo “original” da banda que é o Hip-Hop.

Meet Me Halfway

Alguns até diriam que esse estilo (essa união) se daria o nome de R&B (Rhythm and Blues), mas dado ao fato de praticamente tudo hoje no mundo pop tenha esse nome, e que eu conheço bem de Blues, não vou falar muita coisa. Digamos que é “signo” para identificar o cenário da música pop atual — coisa que penso eu, nasceu com Michael Jackson.

O CD é um pouco de Música Eletrônica

No decorrer do tempo enquanto ouvia o álbum, fiquei com a impressão forte que da música “Boom Boom Pow” até a “Party All the Time”, o grupo seguiu exatamente essa fusão que eu falei: de Hip-Hop+música eletrônica, dando porém muito mais foco a a vibe + techno.

One Tribe

Essa impressão fica justamente, porque a influência da música eletrônica parece diminuir no cd, cedendo cada vez mais espaço ao Hip-Hop, até que que chegamos na linda “One Tribe”, aonde parece que ouvimos uma canção feita lá nos tempos “Where Is the Love?”, que sinceramente, fica praticamente imperceptível de ouvir qualquer relação com algo mais techno-dance.

Até que no fim do álbum aparece a linda-fucking-foda (fiz para os caras do Daft Punk) “Rockin to the Beat”, que ao mesmo tempo tem uma pegada mais groove (coisa que não senti no decorrer do cd) junto com a vibe mesma de música eletrônica.

A “Quebrada” do Álbum

Eu devo dizer, sinceramente, que essa “quebrada” de vibe, saindo dessa fusão que eu falei Hip-Hop+Eletrônica que dá mais ênfase ao eletrônico, indo para canções mais carregadas no Hip-hop, com algo de techno lá no fundo… não foi uma coisa boa. É como se o cd se cismasse em dois, e no fundo a gente ouvisse primeiro algo que é + dance, para depois algo que é mais hip-hop.

Rockin To The Beat

Não que eu não goste de Hip-hop ou de Rap (é noiz Racionais!), mas confesso que ouvir algo que tem toques de eletrônico mas que é profundamente Rap, não me agradou muito. Prefiro ouvir algo mais techno, sem esquecer das raízes do Hip-Hop — e talvez tenha sido justamente por isso, que a última canção, do CD, a “Rockin to the Beat”, seja mais parecida com as primeiras (para relembrá-las), que foram justamente as que mais Bombaram mundo à fora.

The E.N.D = Hip-Hop+Techno

Digamos assim… Se é para ser muito + Hip-Hop, que seja logo Bastante, como a One Tribe e não como Now Generation. Se é para ser mais dance, então vamos ouvir Meet me in Halfway, I Gotta Feeling, Imma Be e Rocking That Body. Aliás esse álbum é justamente essa fusão: como vemos no clipe que juntam Imma Be e Rocking That Body, sendo justamente o que falei: Hip-Hop+Dance (sendo mais Dance), e Dance+Hip-Hop.

Imma Be Rocking That Body

Espero que eles sigam + essa vibe… Dance+Hip-Hop. E se voltarem ao Hip-Hop… que seja mais “true” (não tem jeito, metaleiro sempre fala em true kk). Espero ter chegado bem na vibe do álbum e que os fãs tenham gostado do texto! Aquele abraço!

Galeria de Imagens

Fonte:

Wikipedia (álbum): [Link]
Wikipedia (sobre o Black Eyed Peas): [Link]

Mahouka Koukou No Rettousei – Review: Um Amor entre Irmãos Sublimado – Ou não?

Cá estamos nós para a prometida (há séculos) review de Mahouka Koukou No Rettousei, feita pelo nosso querido amigo PierrotGluton. Aqui ele fala um pouco sobre a “Jornada do Herói” no anime, mas principalmente do relacionamento… digamos que íntimo dos dois irmãos deste shonen de ação que é Mahouka. Fiquem com o texto!

Mahouka Koukou No Rettousei – Review: Um Amor entre Irmãos Sublimado – Ou não?

Mahouka-Koukou-no-Rettousei-Wallpaper

Os Shonens e a Jornada do Herói

Dentre os estilos mais curtidos em animes, obviamente citamos os shonen’s, onde quase sempre encontramos a chamada jornada do herói (monomito – Joseph Campbell), onde existem certos “passos” a serem completados para que o herói conclua a sua jornada.

Mahouka Tatsuya arma

Dentre esses passos está o encontro com um grande mestre… um fodão poderoso overpower pica das galáxias… seja um sábio…. um deus… um demônio… um herói, ou ciclo heroico lendário.

O que vemos em Mahouka Koukou no Rettousei (魔法科高校の劣等生 Mahōka Kōkō no Rettōsei, lit., “O estudante de baixa performance da escola de magia”), é a jornada do mentor (o tal fodão). Essa é a definição que podemos dar sobre Tatsuya Shiba (司波 達也, Shiba Tatsuya).

Sinopse de Mahouka

Mahouka Tatsuya o cara

Vamos apresentar primeiro um pouco sobre, pois o post é feito também para quem não conhece absolutamente nada de Mahouka.

Mahouka é a segunda light novel de um projeto da editora Dengeki: a primeira foi Sword Art Online. Possui boas vendas tanto na light novel, como nos blue-rays: é um dos mais assistidos no Brasil (até na Netflix com o nome em inglês: “The Irregular at Magic High School”).

Cada episódio é uma sensação de um personagem totalmente singular, onde chama a atenção não a necessidade de demonstrar que é overpower, mas que realmente o é. Claro que num personagem assim a possibilidade de ser algo próximo da realidade é algo inviável.

Tatsuya: o Overpower do Anime!

Tatsuya o Homem, O MITO.
Tatsuya: O Homem, O MITO.

Mas aqui estamos pra repassar o que sentimos e achamos sobre Mahouka (dados, tenham certeza, existem na internet).

Normalmente os personagens ditos “overpowers”, ou são excessivamente humildes, atribuindo ao poder da amizade sua capacidade de destruir zilhões, ou então temos personagens que são o dito “entojo”… o cúmulo da prepotência.

Bem ciente de si este menino!
Bem ciente de si este menino!

Em Tatsuya temos alguém que é bem ciente de si, mas não usa disso como forma de tentar chamar a atenção (não que ele se esconda nos cantos), mas ele tenta evitar aparecer, talvez em razão de sua irmã (já já falaremos dela), isso no começo do anime.

No entanto, obviamente ele é o protagonista: os holofotes não se afastam por muito tempo dele. Alguns imaginam que esses holofotes seriam como “alguém no palco num show intimista, violão e voz”… o que Tatsuya proporciona é uma orquestra por trás de si. Os poderes que vai apresenta no decorrer o indicam como um “deus”, no entanto, de barro.

O Verdadeiro Poder de Tatsuya: sua irmã Miyuki

Miyuki A Diva!
Miyuki A Diva!

Falemos então o que sustenta as forças efetivamente de Tasuya: a  relação com sua irmã um ano mais jovem. Para apresentá-la, vamos com o discurso que ela fez no primeiro dia de aula na cerimônia de abertura da escola:

“Enquanto a luz do sol flui gentilmente, e o vívido aroma das flores de cerejeira se agita neste belo dia de primavera, me sinto feliz e honrada que meu desejo de ser aceita neste prestigiado primeiro colégio afiliado a Universidade Nacional de Magia tenha se realizado. Em nome dos novatos, e filiados com o orgulho de serem alguém do primeiro colégio…”

Eis Miyuki Shiba (司波 深雪, Shiba Miyuki), a flor suave e poderosa da família Yotsuba (a mais poderosa dos dez clãs). Talvez em poderes, seja a única que realmente possa fazer frente a Tatsuya (as cenas em que ela fica com ciúme do irmão demonstram isso; Ah sim, ciúmes: rola um brocom* explícito).

O Relacionamento dos dois é como uma Dança…

AGORA VAI!
AGORA VAI!

O grau de envolvimento dos dois é tão profundo que aparentemente eles criaram travas de poderes em que apenas eles podem se liberar entre si, soltando poderes maiores ainda (wtf). O grau de mexida que Myuki causa em Tatsuya pode ser demonstrado ao estrago que ele faz a uma gangue mafiosa chinesa, que ele EXTERMINA, porque o “irritou”(mexeu com a irmãzinha), só isso.

O relacionamento dos dois parece quase que uma dança, onde giram em torno deles mesmos girando pelo salão causando olhares amargos e doces por onde passam.

Conclusão: Mahouka se torna uma “Epopeia”?

Tatsuya e Miyuki, O Mito e a Diva
Miyuki e Tatsuya , A Diva e o Mito

Realmente, Mahouka vale a pena assistir, e assistir novamente.

Obviamente o anime não encerra toda a historia, e realmente para reconhecer todo o universo desenvolvido por traz de Mahouka, ele eventualmente deveria se transformar numa Epopeia (anime com mais de 100 capítulos), tal o grau de complexidade que o mesmo potencialmente deixa a entender.

Galeria de Imagens do Anime

Sirius B, Therion – Resenha: O Filho do Sol do Metal Sinfônico!

Depois das reviews (resenhas) do mítico Vovin e do seu “irmão gêmeo” Lemuria, cá estamos para falar um pouco do mítico Sirius B. Se trata de outro álbum do Therion que muito marcou a vida deste que vos escreve. Fiquem com o melhor do metal sinfônico!

Sirius B, Therion: O Filho do Sol do Metal Sinfônico!

lemuria-sirius b

Reviews de Álbuns do Therion

Vovin> Lemuria > Sirius B

Como prometido, o especial do Therion de seus três álbuns acaba de chegar no seu último post. Desta vez falando do Sirius B (2004 – junto com o Lemuria) é o 12º de trabalho deles. Digamos que algumas músicas dele já diziam para aonde “o Therion iria apontar”.

Como curiosidade, quando o Christofer Johnsson (líder e guitarrista do Therion) deu uma entrevista a Global Domination, disse que o título faz referência a uma “estrela gêmea” da estrela “Sirius A” (assim ele a chamou).

A estrela Sirius, fiquem embasbacados, só foi descoberta por nós, meros ocidentais, há pouco tempo. Enquanto isso, uma tribo africana chamada Dogons (eles vivem em Mali) já tinham conhecimento dela desde tempos antigos e dizem ter sido visitados pelo “povo” (entidades) do sistema solar daquela estrela.

Tremeu na base? Trema não… é só o THERION!

Falando um pouco das músicas – Era de Kali!

sirius b capa

“The Blood of Kingu” digamos que é a mais animada das músicas. Tem um coro feminino sensacional no momento do refrão. Engraçado que dá aquela vontade de “headbengear”.

Notar também que Kingu era um monstro da mitologia suméria que foi morto por Marduk — de acordo ao Enûma Elish, todos nós viemos do sangue de Kingu. E sim… essa tem uma das letras mais “satanistas” dos caras: somos a descendência, a herança de Kingu! A letra dá medim! kk

“The Blood of Kingu” – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

“Son of the Sun” já traz um pouco do que vai ser o Therion em 2007, mas não deixa de ser sensacional. A letra fala da história do faraó Akhenaton que queria adorar ao seu deus único Aton, forçando a todo o povo egípcio ao mesmo. No fim “ele se deu mal”… a letra é interessante porque “your god you let you down…” E sim… foi uma das primeiras tentativas de adoração a um “deus único”, apesar de que não dá pra dizer que “foi assim mesmo”.

“The Khlysti Evangelist” nunca quis ver a letra… acho que é uma das músicas mais fracas do álbum. Faz referência a Rasputin que se acredita, ter feito parte de uma “seita cristã” na Russia.

“Son of the Sun” – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

“Dark Venus Persephone” tem aquela vibe mais gótica do Therion, mas tomada de coros e riffs maravilhosos. O final mesmo é um esplendor digno da esposa de Hades – Perséfone. Perséfone era a esposa do deus dos mortos no inverno, enquanto passava a primavera com sua mãe. Provavelmente tem uma letra tão linda quanto a música.

Agora… “Kali Yuga” (parte 1 e parte 2). Quantas vezes já li e reli essa letra em? Basicamente faz referência a deusa Kali e a Era de Ferro (que cá estamos). É quase um preâmbulo para Voyage of Gurdjieff: como se Kali fosse nos levar para outra “era” após a destruição desta era moderna. Destruição que Kali mesma nos trás.

Kali Yuga (Parte 2) – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

Melek Taus – Os Grandes deuses!

sirius b contra-capa

“The Wondrous World of Punt” também com muita, mas muita referência gregoriana, é outra música mais lenta do álbum. Fala novamente da Africa: Punt era um reino perdido do leste africano. Nunca quis ver a letra.

“Melek Taus”… caramba como adoro essa música! O quanto já ouvi… Tenho uma história interessante. Quando eu começava a ler as traduções das letras, ganhei de presente uma camisa de um pavão com inscrições que pareciam antigas…

Pois bem, Melek Taus é o Anjo enviado por Deus para cuidar do OVO que é o Universo. É um deus Yazidi e eu cheguei a ler até um pouco do livro de leis deles – e a sua figura é a de um Pavão, como a camisa que ganhei!

“Melek Taus” – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

Claro que na letra do Therion, Melek Taus é um pouco “mais malvadinho”… E que solo, que refrão, que coro no fim da música!

Já “Call of Dagon” é a letra mais poética que eu já li do metal. Não tem muito o que dizer. Também tem um pouco da vibe do “Therion” do Gothic Kaballah… mas é uma canção perfeita. Dagon é um deus semita do mar e aparece nas obras de H. P. Lovecraft. Eu sempre achei que fosse uma deusa pela letra… continuo achando.

“Call of Dagon” – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

Terminando com “Voyage of Gurdjieff (The Fourth Way)” que tem umas das intros e finais mais líricas e operísticas da história do metal. É linda! Junto com Kali Yuga e tantas outras faz a gente headbeangear que nem louco! QUE MÚSICA FANTÁSTICA! Esse álbum não podia terminar de forma mais épica.

Georgy Gurdzhiev foi um filósofo místico, Ármeno e viajante, como aponta a música. Era um “expert” na cultura yazidi, e eu tenho certeza absoluta que o Therion “theronizou” ele nesta letra kk.

“Voyage of Gurdjieff (The Fourth Way)”

Ah sim! Nesta letra eu gosto de imaginar que é um “final” para as perguntas e questões que a Era de Ferro nos traz, colocadas em Kali Yuga. As frases que mais gosto são: “A vida é a única realidade então, só o é quando ‘Eu sou'” (na intro). Com o final: “… somos como maquinas? Não, nós podemos construir uma alma como um diamante negro”. Lindo, lirismo puro, expressão máxima e clássica de metal sinfônico+ocultismo.

Conclusão

sirius b interior da capa traseira

E aqui termino este especial do Therion. Espero que tenham gostado da review e principalmente das músicas. Como eu disse, elas falam muito comigo, mesmo sendo ocultistas e eu não deixando de ser Teísta. Boa música faz parte da vida sempre!

E aí? Somos como máquinas?

“Dark Venus Persephone” – Tradução Maravilhosa e + informações sobre a letra no Youtube

ps: Therion, volta com as duas guitarras, o bumbo-duplado seguindo de coro no fundo e principalmente algum gutural nas músicas! Volta pras antigas!! 🙂

Fonte:
Wikipedia (ING): [Link]