Arquivo da tag: novels de mundos paralelos

Top 3 HQs de Mundos Paralelos que você deve Ler HOJE!

Olá meus bons amigos e amigas, quer dizer que vocês vieram até aqui no meu blog, para saber sobre HQs né verdade? E ainda por cima, ver um Top HQs de mundos paralelos, ou seja, aquelas histórias que se passam foram do lore e do canon original de suas respectivas historinhas. E vocês vieram me procurar, o cara que fez varias reviews de HQs clássicas? Venham comigo amiguinhos!

Top 3 HQs de Mundos Paralelos que você deve Ler HOJE!

Primeiro de tudo quero que vocês saibam: esse top 3 não tem “numeração” de primeiro ou terceiro colocado. Digamos que vocês vão saber qual eu curto mais enquanto lerem. Segundo, eu deixei fora dessa lista Batman: Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, porque eu quis mesmo. Não tem muito o que dizer sobre — mesmo sendo a minha graphic novel preferida.

Claro, não teremos spoilers e a minha escolha se baseou muito no que eu queria no momento, sabe como é? Por exemplo, essas hqs (na verdade se trata de uma hq serializada e duas graphic novels) escolhidas por não serem muito longas ou complexas não vão exigir do leitor um conhecimento prévio de nada. Basta pegar, ler na ordem certinha (nada de ler o primeiro capitulo e depois o capítulo nove, tem de seguir a ordem, OK?) que vocês vão curtir.

Tudo avisado? Vamo lá.

Dias de um Futuro Esquecido

Essa para mim é a melhor saga dos X-men. Fim. Tá, tá certo, vou falar um pouco mais. Eu li a saga da Fênix Negra (INTEIRA) e cá pra nóz, o negócio é bem maçante. E sem noção também. Mas aqui… bom aqui nós também temos coisas um pouco maçantes (como por exemplo, o roteirista a todo mundo ter de explicar o que é adamantium, ou quem era a Tempestade) mas são coisas menores e no geral, bem comuns para época que foi lançada.

Ela foi escrita por Chris Claremont e desenhada por John Byrne, os dois autores de novela preferidos do público Marvel e que levou os X-Men ao auge da fama. Inclusive existem fofocas que o que ajudou a dar um fim nessa incrível parceria, foi justamente o fato de que essa história existiu. Parece que um deles queria trazer histórias temporais e que elas fizessem parte do cânone dos mutantes, mas o outro não queria. E como um não quer, dois não brigam… mas lembre-se, fofocas.

Dias de um Futuro Esquecido

Sobre a Hq em si, tirando a chatice de explicar quem são os X-Men a cada duas páginas, é uma obra de arte. Ela ainda tem aqueles lances de novela que os dois autores AMAVAM (uiii), mas ela é profunda e visceral. Ocorrem muitas mortes e o futuro não é apenas distópico: ele toma ares de uma verdade bem factual. O fim mesmo… é um fim muito diferente das obras comuns da Marvel… Olha, se é para ter uma obra da Marvel em minha coleção, é esta obra de arte. E também A Queda de Murdock.

Ahh… o filme? Esqueça o filme.

Superman: Entre a Foice e o Martelo

Pois é, agora vamos para a obra do Superman que eu li e mais gosto. E olha que eu li Superman All stars do Morrison e achei beem fraquinha. Bom, não vou discutir sobre a criação da roda, mas que Red Son, ou como ficou conhecida aqui nas terras tupiniquins, Superman: Entre a Foice e o Martelo, é uma Grande obra de arte, isso ela é com certeza.

Escrita por Mark Millar e desenhada, pintada e ilustrada por um monte de pessoas diferentes, foi lançada sob o selo Elseworlds da DC, ou seja, ela não é uma hq serializada, mas uma Graphic Novel.

E a primeira coisa que eu preciso dizer é Mark Millar, por que você fez uma obra de arte aqui, e fez uma BOMBA chamada Guerra Civil para a Marvel? Cara… como pode isso? Como você escreve tão maravilhosamente bem na DC e faz aquela atrocidade que é Guerra Civil? Sim, estou irado porque comprei sem ler, e queria muito meu suado dinheiro de volta. Mas enfim, vamos em frente.

Imagine que o Superman em vez de ter seu foguete caído no Kansas… ele caísse na União Soviética, ainda nos tempos do Camarada Stalin? Como essa criança cresceria? O que ela pensaria? Como seria esse Superman criado na ideologia socialista, num ambiente anti-democrático e repleto de perseguições e mortes políticas?

Será que ele ainda seria o “Escoteiro”? Aquele cara que de tão bonzinho dá nos nervos? E como seria o Batman desse mundo paralelo? E a Mulher Maravilha? Cara… se você puder, leia. Mark Millar fez uma completa obra-prima e a única coisa que vou dizer para vocês é BIZARRO. Bizarro, você é o melhor vilão do Superman.

Reino do Amanhã

E agora estamos falando da possivelmente, maior obra-prima aqui da nossa pequena listinha. Para mim, segundo lugar de melhores HQs, perdendo apenas para Cavaleiro das Trevas, por muito pouco. Escrita por Mark Waid e desenhada pelo GÊNIO Alex Ross, Kingdom Come trata-se de um verdadeiro divisor de águas e muitas a consideram como um quebra de paradigmas dentro do mundo dos quadrinhos — mais ou menos como foi Cavaleiro das Trevas.

Como Kingdom Come é de 1996 eu não diria que ela é de fato um quebra de paradigmas, ou ainda que ela foi “mal compreendida” quando foi lançada… Não vou tão longe assim. Mas que é inegável a grandeza da obra, isso é. A mensagem que ela passa é tão forte, e de uma maneira tão clara, que na verdade é até difícil imaginar que alguém não a tenha entendido.

Imaginem um futuro distópico, aonde os heróis tomaram o mundo. Na verdade, são os filhos desses heróis. Mas eles não são tão “heroicos” como os heróis que nós conhecemos — muito pelo contrário. Parece que a qualquer momento haverá uma guerra e todo dia ocorrem desgraças e caos. Até que no leito de morte de um herói que era capaz de ver o futuro, está um pastor. Este pastor, fica ao lado de seu amigo até o fim — a despeito de todos agora temerem esses “super-seres” o pastor fica — e ele lhe presenteia… com seus poderes.

Assim o pastor volta para casa meio atordoado com o possível “Apocalipse”… No dia seguinte, enquanto rezava dentro de sua igreja, lhe aparece o Anjo da Morte, o Espírito da Vingança: Espectro. E este lhe procura porque o pastor agora é capaz de ver o futuro — e o Espectro está preocupado com o caos e a hecatombe que deve ocorrer. O Espírito da Vingança pensa em preceder a hecatombe, causando-a ele mesmo. Mas para decidir com mais cautela o que fazer, é preciso ver o Futuro.

O Espírito de Vingança

E bom não vou falar mais nada. Se você se sentir preparado ou preparada para ler esta obra-prima chamada Reino do Amanhã, mande ver. Mas lembrem, trata-se de um universo paralelo e não é canon… Afinal você veio ver esse top porque está atrás de hqs de universos paralelos, né verdade?

Abração!