Arquivo da tag: martin scorsese

Os Bons Companheiros – Crítica: Uma aula de como fazer Cinema

E o Afontegeek também fala de bom cinema! Aqui podemos ver uma Crítica feita sobre o filme Os Bons Companheiros. Se deleitem meus amigos e amigas, porque o filme é uma obra de arte!

O que passa na mente de um homem quando decide se tornar um criminoso? O que passa na mente de uma mulher em aceita-lo, mesmo sabendo da sua “profissão”? Em Os Bons Companheiros, Martin Scorsese responde a essas perguntas mostrando esta peculiar história real de Henry Hill.

Os Bons Companheiros – Crítica: Uma aula de como fazer cinema

Os bons companheiros
Os Bons Companheiros

Houve  períodos em que o cinema adorou tramas sobre a máfia.  Existem discussões sobre qual é o melhor filme desse gênero, a maioria afirma ser O poderoso chefão, outros dizem que preferem O poderoso chefão 2 (que é o meu caso) e uma pequena porção preferem este filme de Scorsese, Os Bons Companheiros. Mas o que importa mesmo é que são ambos excelentes filmes.

Eu costumo dizer que em uma obra visual, a introdução é a parte  mais importante, pois é ela que irá proporcionar o seu interesse pelo filme. Neste filme, Scorsese faz uma introdução perfeita.

É apresentado os três personagens principais em um carro e aparentemente despreocupados com a vida, de repente o carro faz um barulho e eles param para verificar o motivo do problema, segundos depois vemos que o  barulho vem do porta -malas do carro, logicamente um deles abre o porta-malas e nos deparamos com um homem dentro ensanguentado.

O Momento que estamos fisgados pelo Filme

Quem é esse homem? E por que ele está no porta malas? O que será que ele fez? Essas são as perguntas que nos fazemos. E nesse momento bom companheiro, já estamos completamente fisgados pelo enredo do filme. Segundos depois o personagem Henry Hill, interpretado por Ray Liotta, começa a contar a sua história.

Nesse filme podemos ver que Martin Scorsese é realmente um gênio. Sua técnica é impecável e ele consegue te transportar para dentro do filme, colocando a câmera a nível do olhar dos atores, faz com que você tenha a sensação de estar lado à lado com os atores. É como se o filme fosse filmado em primeira pessoa.

A tamanha objetividade nas cenas é incrível, o diretor passa com clareza o que ele quer contar na cena, o personagem em destaque não perde o seu foco, a noção de profundidade está sempre presente com elegância, sem esquecer os outros atores na cena, mesmo quando nenhum deles fala uma palavra. Ou seja, tudo em volta proporciona a sua atenção ao personagem que está sendo o foco de determinada cena.

A iluminação também foi um acerto magistral, fazendo com que a imagem do filme tenha características da Art’Pop, que estava surgindo naquele período, cai como uma luva para a história.

O roteiro é muito bom, então o que nos leva a pensar é sobre o elenco do filme. Robert De Niro está muito bem vivendo um mafioso, sempre alerta e astuto. Joe Pesci está “genial” no papel do mafioso louco e engraçado, recebendo merecidamente o oscar de melhor ator coadjuvante na época. Ray Liotta… de fato é o que deixa a desejar no seu papel, mas percebe-se  que ele se esforçou.

Conclusão

Gosto de pensar que durante o desenvolvimento, todo grande filme deve nos surpreender, e  Os Bons Companheiros  me deixou de boca aberta literalmente. A narrativa do filme é contada pelo Henry Hill (Ray Liotta), e logicamente deduzimos que o filme mostrará a vida do mafioso ao seu próprio ponto de vista, mas, surge outro personagem que contará a sua história no seu ponto de vista  sem tirar o foco da trama central, ou seja, outro narrador na mesma história.

Dois personagens que contam uma só história, em dois pontos de vistas diferentes mas no fim ambas terminarão do mesmo modo – GENIAL.

Os Bons Companheiros sem sombra de dúvida é uma grande obra cinematográfica, mostrando que a vaidade é um dos pecados mais ilusórios que existe.

Avaliação: Excelente!!!!

Top 5 Clipes de Michael Jackson: O Rei do Pop!

Você gosta de boa música? Então com certeza você gosta do Rei do Pop, o grande Michael Jackson. Eu fiz uma seleção dos Top 5 Clipes de Michael Jackson que eu tenho certeza, você vai colocar pra ouvir todos eles enquanto lê meu post. É bom você ler! Vem comigo.

Top 5 Clipes de Michael Jackson: O Rei do Pop!

E mais uma vez escolhi essa lista, mais ou menos como fiz nos Top 3 Clipes de Heavy Metal de TODOS os Tempos: pelo Clipe, pelo modo como a música se encaixa no vídeo, a qualidade técnica e enfim, espero agradar o pessoal, já que ele é o artista que sem dúvida alguma tem os melhores clips produzidos na nossa história!

Cara, é muita emoção falar do Rei do Pop, o inesquecível MICHAEL JACKSON. Ele foi um gênio, TODAS as suas músicas são atuais, e foi ele que “inventou” o jeito certo de se fazer Clips. Até eu que curto metal, admiro suas músicas/videos. Senão fosse ele não havia nem Mtv galera — apesar que a nossa fechou mesmo. Enfim, lá vamos nós!

Thriller, do Álbum Thriller (1982)

Por muitos considerado o melhor Clip da história, tendo como diretor o cineasta John Landis, e é simplesmente incrível. Na verdade, nem tem muito o que dizer.

Aqui o prólogo que aparece no começo:

Due to my strong personal convictions, I wish to stress that this film in no way endorses a belief in the occult.” Uma pequena Tradução: “Devido às minhas fortes convicções pessoais, quero salientar que este filme de modo algum endossa a crença no oculto” — Eu fiquei com medo.

Bad, do Álbum Bad (1987)

O Clipe Bad ao todo tem 18 minutos, foi roteirizado por Richard Price e dirigido por, pasmem, Martin Scorsese; tinha que ser o segundo melhor ora bolas! E é outro épico!

Smooth Criminal, Bad (1987)

Smooth Criminal, esse é simplesmente sensacional. Faz parte do filme Moonwalker, e tem aquele truque incrível de  ficar com o corpo inclinado sem cair. Nossa, só Michael mesmo. E puutz, ele tem que salvar a Annie afinal!

Billie Jean,  Thriller (1982)

O primeiro clip com um artista negro a rodar nas telas da Mtv, dirigido por Steve Barron, e nossa, não tem como esquecer dele pisando nas escadas, no chão, e elas ascendendo!!

Beat It,  Thriller (1982)

Essa é a música com o solo de guitarra do Eddie Van Halen — um dos muitos guitarristas que foram ensinados pelo mestre Chimbinha — dirigido por Bob Giraldi, ganhou vários prêmios, e puutz, hoje feinha, essa jaqueta foi moda há muito tempo atrás.

Bônus!!!

Earth Song, HIStory (1995)

Taí um clip que sem dúvida faz chorar até os metaleiros mais metaleiros, os marmanjos mais machões. Dirigido pelo fotógrafo Nick Brandt, se passa em diversas partes do mundo, retratando um pouco da nossa triste realidade no nosso planeta, e sim, é lindo.

A música foi lançada como single somente na Europa, ficando no top 5 de diversos países: “como Áustria, Bélgica, Noruega, Suécia, Suíça e Espanha. É considerado o maior sucesso de Michael na Europa. Só no Reino Unido o single vendeu mais de 1,5 milhão de cópias.”

Fonte: Wikipédia

Don’t Stop ‘Til You Get Enough, Off the Wall (1979), primeiro single de Michael já adulto.

Dirigido por Nick Saxton, parece não ter nada especial, somente sendo extremamente marcante — sim, a musiquinha do VideoShow. Mas também lembra um clip… será mera Coincidência? Um cara dançando e cantando muito…

Humm, esse video genial de Justin Timberlake: Rock you Body, lembra muito o de Michael. O Engraçado é que até a voz e a música se parecem. Dizem os fãs de Justin, que Michael foi pra ele sua inspiração — melhor não existe.

Fonte de dados: Wikipédia


Thriller
Thriller

Alguém pode me perguntar porquê eu não coloquei clips como Black Or White, The Way you make me feel, They Don’t Care about Us —  com imagens daqui da Bahia, com a presença de Neguinho do Samba, inventor do samba reggae — e tantos outros geniais que somente Michael poderia fazer; mas sabe como é, se trata só de uma PlayList. Quem sabe eu não faço outra com esses e mais outros videos? — Comentem e deixem sugestões!!

Abraços a todos e parem de ouvir emo crianças!!

Valeu Michael!

Oscar 2012: Comentário dos Filmes Premiados

Domingo passado 26/02/2012, foi realiza a 84ª edição do Oscar, a festa do cinema mundial. Em meio de muita discussão, por apresentar filmes tidos como “fracos” pelo público e critica,porém mesmo envolta dessa discussão todos acabam ficando curiosos com as escolhas da academia.

Oscar 2012: Comentário dos Filmes Premiados

Confiram agora os destaques da noite de premiação:

Martin Scorsese é um mestre do cinema! isso é incontestável. já havendo realizado grandes obras cinematográficas.E nesse ano também não foi diferente. Seu mais novo filme A Invenção de Hugo Cabret , ganhou as estatuetas  já esperadas, no quesito técnico.Mais do que merecido,pois A Invenção de Hugo Cabret é visualmente um filme impecável.

Quem levou o Oscar de melhor animação foi o fraquíssimo Rango, como essa foi a única animação que teve um bom número de comentários positivos, nada mais justo do que receber a estatueta.Isso mostra que foi um ano péssimo para animações.

A atriz Meryl Streep, ganhou o oscar de melhor atriz depois de 28 anos,pelo filme A Dama de Ferro.Streep era uma das favoritas nesta categoria. A atriz que é a maior recordista da premiação recebendo incríveis 17 indicações e 3 oscas na carreira, se consagra como a maior atriz de todos os tempos.Além do prêmio de melhor atriz, A Dama de Ferro também recebeu o oscar de maquiagem.

Comentário sobre o Oscar

O Artista recebeu os prêmios mais importantes da noite, como já era esperado. Melhor roteiro adaptado, Melhor Diretor, Melhor ator e Melhor Filme, ambos já esperados, devido a ousadia do filme.Confesso que para o oscar de melhor ator, estava torcendo por Gary Oldman, mas… fazer o quê né.

Essa foi a noite de premiações do oscar, onde os maiores vencedores foram homenagens para o cinema, em tempos de evolução tecnológica, o crescimento da TV e a crise do cinema.

Ah! esqueci de mencionar o Brasil… Na boa, alguém realmente achou que ele venceria o prêmio de Melhor canção original?

 Então eu vos digo meu amigo, a melhor chance de oscar que o Brasil teve, foi no filme O Pagador de Promessa, que na época concorreu a melhor filme estrangeiro e com Fernanda Montenegro, concorrendo à melhor atriz pelo filme Central do Brasil.