Arquivo da tag: hqs

Top 3 HQs de Mundos Paralelos que você deve Ler HOJE!

Olá meus bons amigos e amigas, quer dizer que vocês vieram até aqui no meu blog, para saber sobre HQs né verdade? E ainda por cima, ver um Top HQs de mundos paralelos, ou seja, aquelas histórias que se passam foram do lore e do canon original de suas respectivas historinhas. E vocês vieram me procurar, o cara que fez varias reviews de HQs clássicas? Venham comigo amiguinhos!

Top 3 HQs de Mundos Paralelos que você deve Ler HOJE!

Primeiro de tudo quero que vocês saibam: esse top 3 não tem “numeração” de primeiro ou terceiro colocado. Digamos que vocês vão saber qual eu curto mais enquanto lerem. Segundo, eu deixei fora dessa lista Batman: Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, porque eu quis mesmo. Não tem muito o que dizer sobre — mesmo sendo a minha graphic novel preferida.

Claro, não teremos spoilers e a minha escolha se baseou muito no que eu queria no momento, sabe como é? Por exemplo, essas hqs (na verdade se trata de uma hq serializada e duas graphic novels) escolhidas por não serem muito longas ou complexas não vão exigir do leitor um conhecimento prévio de nada. Basta pegar, ler na ordem certinha (nada de ler o primeiro capitulo e depois o capítulo nove, tem de seguir a ordem, OK?) que vocês vão curtir.

Tudo avisado? Vamo lá.

Dias de um Futuro Esquecido

Essa para mim é a melhor saga dos X-men. Fim. Tá, tá certo, vou falar um pouco mais. Eu li a saga da Fênix Negra (INTEIRA) e cá pra nóz, o negócio é bem maçante. E sem noção também. Mas aqui… bom aqui nós também temos coisas um pouco maçantes (como por exemplo, o roteirista a todo mundo ter de explicar o que é adamantium, ou quem era a Tempestade) mas são coisas menores e no geral, bem comuns para época que foi lançada.

Ela foi escrita por Chris Claremont e desenhada por John Byrne, os dois autores de novela preferidos do público Marvel e que levou os X-Men ao auge da fama. Inclusive existem fofocas que o que ajudou a dar um fim nessa incrível parceria, foi justamente o fato de que essa história existiu. Parece que um deles queria trazer histórias temporais e que elas fizessem parte do cânone dos mutantes, mas o outro não queria. E como um não quer, dois não brigam… mas lembre-se, fofocas.

Dias de um Futuro Esquecido

Sobre a Hq em si, tirando a chatice de explicar quem são os X-Men a cada duas páginas, é uma obra de arte. Ela ainda tem aqueles lances de novela que os dois autores AMAVAM (uiii), mas ela é profunda e visceral. Ocorrem muitas mortes e o futuro não é apenas distópico: ele toma ares de uma verdade bem factual. O fim mesmo… é um fim muito diferente das obras comuns da Marvel… Olha, se é para ter uma obra da Marvel em minha coleção, é esta obra de arte. E também A Queda de Murdock.

Ahh… o filme? Esqueça o filme.

Superman: Entre a Foice e o Martelo

Pois é, agora vamos para a obra do Superman que eu li e mais gosto. E olha que eu li Superman All stars do Morrison e achei beem fraquinha. Bom, não vou discutir sobre a criação da roda, mas que Red Son, ou como ficou conhecida aqui nas terras tupiniquins, Superman: Entre a Foice e o Martelo, é uma Grande obra de arte, isso ela é com certeza.

Escrita por Mark Millar e desenhada, pintada e ilustrada por um monte de pessoas diferentes, foi lançada sob o selo Elseworlds da DC, ou seja, ela não é uma hq serializada, mas uma Graphic Novel.

E a primeira coisa que eu preciso dizer é Mark Millar, por que você fez uma obra de arte aqui, e fez uma BOMBA chamada Guerra Civil para a Marvel? Cara… como pode isso? Como você escreve tão maravilhosamente bem na DC e faz aquela atrocidade que é Guerra Civil? Sim, estou irado porque comprei sem ler, e queria muito meu suado dinheiro de volta. Mas enfim, vamos em frente.

Imagine que o Superman em vez de ter seu foguete caído no Kansas… ele caísse na União Soviética, ainda nos tempos do Camarada Stalin? Como essa criança cresceria? O que ela pensaria? Como seria esse Superman criado na ideologia socialista, num ambiente anti-democrático e repleto de perseguições e mortes políticas?

Será que ele ainda seria o “Escoteiro”? Aquele cara que de tão bonzinho dá nos nervos? E como seria o Batman desse mundo paralelo? E a Mulher Maravilha? Cara… se você puder, leia. Mark Millar fez uma completa obra-prima e a única coisa que vou dizer para vocês é BIZARRO. Bizarro, você é o melhor vilão do Superman.

Reino do Amanhã

E agora estamos falando da possivelmente, maior obra-prima aqui da nossa pequena listinha. Para mim, segundo lugar de melhores HQs, perdendo apenas para Cavaleiro das Trevas, por muito pouco. Escrita por Mark Waid e desenhada pelo GÊNIO Alex Ross, Kingdom Come trata-se de um verdadeiro divisor de águas e muitas a consideram como um quebra de paradigmas dentro do mundo dos quadrinhos — mais ou menos como foi Cavaleiro das Trevas.

Como Kingdom Come é de 1996 eu não diria que ela é de fato um quebra de paradigmas, ou ainda que ela foi “mal compreendida” quando foi lançada… Não vou tão longe assim. Mas que é inegável a grandeza da obra, isso é. A mensagem que ela passa é tão forte, e de uma maneira tão clara, que na verdade é até difícil imaginar que alguém não a tenha entendido.

Imaginem um futuro distópico, aonde os heróis tomaram o mundo. Na verdade, são os filhos desses heróis. Mas eles não são tão “heroicos” como os heróis que nós conhecemos — muito pelo contrário. Parece que a qualquer momento haverá uma guerra e todo dia ocorrem desgraças e caos. Até que no leito de morte de um herói que era capaz de ver o futuro, está um pastor. Este pastor, fica ao lado de seu amigo até o fim — a despeito de todos agora temerem esses “super-seres” o pastor fica — e ele lhe presenteia… com seus poderes.

Assim o pastor volta para casa meio atordoado com o possível “Apocalipse”… No dia seguinte, enquanto rezava dentro de sua igreja, lhe aparece o Anjo da Morte, o Espírito da Vingança: Espectro. E este lhe procura porque o pastor agora é capaz de ver o futuro — e o Espectro está preocupado com o caos e a hecatombe que deve ocorrer. O Espírito da Vingança pensa em preceder a hecatombe, causando-a ele mesmo. Mas para decidir com mais cautela o que fazer, é preciso ver o Futuro.

O Espírito de Vingança

E bom não vou falar mais nada. Se você se sentir preparado ou preparada para ler esta obra-prima chamada Reino do Amanhã, mande ver. Mas lembrem, trata-se de um universo paralelo e não é canon… Afinal você veio ver esse top porque está atrás de hqs de universos paralelos, né verdade?

Abração!

Top 5 Melhores Reviews do Ano! – Retrospectiva 2014 Afontegeek!

Bem-vindos a mais um post do nosso Listas TOP, aonde eu faço uma retrospectiva das melhores reviews de 2014! As reviews são sobre os temas: Animes, Filmes, Músicas, HQs e Livros. Boa leitura!

Top 5 Melhores Reviews do Ano! – Retrospectiva 2014 Afontegeek!

coringa

Antes que comecem os “mimimis”, quero avisar que as reviews são todas postadas aqui mesmo no Afontegeek em 2014, logo, são as que considero como as melhores reviews deste ano. E também tenho que avisar de antemão, que a escolha foi pessoal minha mesmo.

Avisando que o PierrotGluton deve ter suas top reviews do ano e as escolhidas aqui são só as do meu gosto: as que achei mais interessantes. Então é isso, vamos a elas!

Barakamon – Review de Anime: Como uma Criança pode ser tão Kawai?

Barakamon-bg

(Melhor Review de Anime)

Como é bom ser criança… a risada aberta dessa criança é algo que faz o sorriso vir aos lábios de forma espontânea… ela é matreira, mas faz uns comentários muito bons.

Sem dúvida, para mim, apesar de nós termos diversas reviews sensacionais de anime este ano como a Review sobre Fairy Tale feita pelo amigo Waley, e também claro,  as de Suzumiya Haruhi e de Kaibutsu Oujo (Princess Resurrection) feitas pela minha pessoa, a que mais gostei e mais me marcou positivamente, foi essa feita pelo Pierrot.

Objetiva como sempre, clara, mas também emocional e sabiamente descritiva, falou praticamente tudo sobre o anime em poucas palavras, deixando a gente com vontade de ver ele logo que possível. Geralmente sou um fã das reviews do mano, mas essa foi a que mais me deixou com um sorriso aberto e incontido, verdadeiramente emocionado, como o da Naru.

Batman (1989) O Filme – Review: Um Elogio à Loucura

coringa

(Melhor Review de Filme)

Aqui esse elogio (à Loucura) é diferente. Não tem haver com moral, com o não matar mesmo depois de ver sua filha/amiga ser estuprada e ficar paraplégica por causa de um psicopata. Mas sim, de que o mundo não é “certinho”. Nem tudo, nem coisa alguma é simplesmente “normal”, “comum”. Todos temos lapsos, pontos de fissura.

Essa escolha o pessoal pode dizer “Ahh você votou em você mesmo, não vale!”, mas esse ano contamos apenas com ela, a do Edwards Mãos de Tesoura.

Meio que a escolha foi realmente pessoal, pelo motivo de falar da HQ Piada Mortal (cujo filme se inspirou) deixou o texto bem interessante de se ler, relacionando HQ e Filme.

Top 7 As Melhores Trilhas Sonoras do Cinema!

indiana rocky e harate kid trilha wall

(Melhor Review de Música)

Assim que se aperta o play, conseguimos imaginar o mítico professor e arqueólogo Indiana Jones, entrando com seu chapéu por entre alguma fresta de um templo perdido, ou dando socos e ponta pés em saqueadores de antiguidades.

Aqui eu juro para vocês que fiquei na dúvida. Isso porque tivemos as reviews dos seguintes álbuns do Rhapsody esse ano: Symphony Of Enchanted Lands, Dawn of Victory e a do Power of the Dragonflame.

Mas acho que como texto mais completo, mais pesquisado, com maior número de referências e bem escrito realmente ganhou este Top 7 das Trilhas Sonoras dos Filmes.

Batman – Review: O Significado do Batman na Cultura-POP – Um Herói no meio dos deuses do Olimpo!

Batman.o.cavaleiro.das.trevas.02 post

(Melhor Review sobre HQ)

Batman, portanto, Não é um super-herói. A sua própria construção foi pensada para ele ser um herói — acima de tudo Humano. Um Zorro que lutava pelo povo. Um herói que luta por Gottam. Mas como Ulisses, ele enfrenta deuses, seres mitológicos, monstros, e ganha o respeito do Olimpo, pelo bom uso da singela força humana: A Razão — O Batman e seu clássico “Eu tenho um plano“.

Geralmente nós falamos pouco de HQs (só quando é para postarmos noticias, ou para Download ) então é meio que normal termos um texto sobre HQ, e exatamente o texto escolhido. Não que ninguém por aqui leia quadrinhos… O pierrotGluton mesmo como fã da Marvel praticamente leu tudo da safra “antiga” da editora.

Eu mesmo vez ou outra, paro para ler alguma. V de Vingança terminei a leitura outro dia… Mas devo dizer que depois de ler Cavaleiro das Trevas de Frank Miller, como fã do morcegão, eu tinha que fazer um texto sobre a construção do personagem do Batman. E está ai! Espero que curtam!

Planetarian: The Reverie of a Little Planet – Review: Os sonhos que Movem a Humanidade (Visual Novel)

planetarian

(Melhor review de Livro)

Nós não vivemos sem nossos sonhos, sem nossas esperanças do céu. Sem elas somos apenas cascos vazios vagando em busca de coisas para vender, comprar ou se entorpecer no esquecer deste céu negro que cai “chuva ácida”.

Esse ano não tivemos reviews de romances “normais” por aqui no site. Em 2013 porém, tivemos sobre Lucíola e Senhora (José de Alencar) e Dom Casmurro (Machado). Mas não é por falta de leitura (tive de ler 2 romances para a faculdade nesse meio tempo) sem contar os tantos outros que já li — acho que mais por falta de coragem. Fazer uma indicação sobre Grande Sertão: Veredas, não é para poucos, e me falta culhões ainda.

Mas Planterian… é maravilhoso demais e merecia urgentemente um texto por aqui. Lembro como hoje a primeira vez ao ler esse “Conto Multimídia” o quão foi impactante minha impressão. Uma história humana, cativante, profunda e forte. Uma “literatura fantástica” sinceramente acima da média e um dos melhores dramas que já vi. Nota 10! Nunca vou esquecer de Planterian… Tinha que ser da Key!

———————————————–

darth_vader_com_gorro_Natal

Bem pessoal foi isso. Quero agradecer a todos os amigos e amigas que sempre nos visitam e que comentam nossas reviews e deixar aquele forte abraço ao amigo PierrotGluton, que não só me ajuda a continuar o Afontegeek mas principalmente, estamos sempre juntos em vários momentos, nos dando força na vida.

Então é isso, este foi o último post do Afontegeek de 2014. Que mais reviews e posts venham, que este ano seja de paz, sobriedade, saúde e amor para todos nós. Eu como teísta, deixo aquele desejo forte de bem desejar e que Deus sempre conosco esteja.

E que Venha 2015!