Arquivo da tag: games de luta

Samurai Shodown 1 – Review: Quando Samurais encontram os Arcades!

Olá meus amigos e minhas amigas, como vocês estão? Hoje é dia de mais uma review aqui no afontegeek. Desta vez a review é de um clássico game de luta: Samurai Showdown, o primeirão lançado pela SNK para seus clássicos arcade Neo Geo MVS. Vamos ver como foi esse primeiro encontro no mundo do Japão Feudal.

Samurai Shodown 1 – Review: Quando Samurais encontram os Arcades!

Sempre quis trazer algum tipo de conteúdo do game que me trouxe para os fighting games, o grande Samurai Showdown 1, também conhecido como Samurai Spirits, e chegou a hora. Ironicamente a versão que joguei primeiro foi o Samurai Shodown de Snes, mas vamos chegar lá com calma e destrinchar um pouco a história mas principalmente a gameplay — prometo não me estender muito já que as fontes que utilizo são muito boas, a SNK.Fandom.

Enfim, o jogo foi lançado em 1993 contando com 12 opções de “bonecos” para o jogador, excluído o vilãozão Amakusa — que muitos até hoje chamam ele de ela, mas acho que hoje em dia pouco importa. Aliás uma curiosidade interessante que o game se passa nos fins do séc. XVIII, e a história do game conta que Amakusa foi revivido por sua promessa com um demônio chamado Ambrosia…

E no séc. XVI realmente existiu um Amakusa, o Amakusa Shirō, que era um ronin (um samurai que havia perdido seu título de samurai diante a seu mestre, ou Senhor), sendo que ele também era recém convertido ao catolicismo. Mais tarde volto ao Amakusa.

Além do jogo ter chegado as placas MVS e mais tarde aos consoles AES, ganhou versões em trocentos video games, como 3DO (era uma das mais completa em casa nos anos 90), Snes, Mega Drive (ambos portes bem diferentes e interessantes cada um no seu estilo e que agrada mais cada tipo de jogador; eu prefiro mais a versão de Snes por ser mais “bonita” e ter uma gameplay próxima a do arcade; a do Mega Drive é bem mais parecida em visual ao game original por ter o “sangue”, apesar de não ter o Earthquake e ter uma gameplay diferente no geral), Psone, e até no Switch.

Mas vamos falar do jogo.

Gameplay – O Diferencial dos Samurais

A grande inovação de Samurai Showdown comparado aos outros games de luta da época e até das gerações posteriores é a sua barra de POW. O game ainda não tem golpes especiais ou “secretões” como no Samurai Showdown II e principalmente no IV, mas essa barra de POW garantiu todo o diferencial da mecânica de jogo. Consiste num conceito bastante simples: A cada vez que você apanhar, aumenta o nível da sua “raiva” (RAGE) e com isso cada golpe que você executar vai causar mais dano que o normal.

Isso quer dizer que você pode estar apanhando a partida inteira aumentando a sua barra de POW até o máximo, e num golpe de sorte, “com muita farofa” ou até estratégia de jogo, com dois ou três golpes que não tirariam tanto dano, mas com o POW no máximo, você garante a vitória. Apesar de parecer uma mecânica “ladrona”, o POW adiciona ainda mais estratégia: por exemplo, se ambos os adversários estiverem apanhando bastante, ambos com o POW no máximo, o primeiro que conseguir executar um golpe certeiro ganha a partida.

Ahh… o sangue!

O mesmo caso se você estiver batendo muito no seu oponente e de novo, ele ficar com o POW no máximo. Você pode simplesmente “fugir” dele enquanto espera a barra dele descer e voltar ao normal. Esse mecânica que acompanha o jogo até hoje na sua versão mais moderna (3D lindona) é marca registrada do game e é contada em detalhes pelo Issui do Poeira Jogos. Recomendo ver o vídeo dele que conta sobre isso e mais curiosidades.

Visual e Frames “instantâneos”

O visual do game com toda a sua pixel arte é lindíssimo, seus cenários que tentam trazer o espírito de uma época dos fins no feudalismo do Japão, e o seu icônico “IPON!” que aparece no final dos combates.

Mas aqui vai um “pulo do gato” para quem quiser conhecer um pouco melhor o jogo: como esse foi o “primeirão” ele possui no geral menos frames de animação se comparado aos Samurai II e principalmente ao Samurai IV (esse tem tanta animação que deixa o jogo lento e truncado em minha opinião), e isso quer dizer que alguns golpes vão sair de forma “instantânea” assim que executados.

O pulo do gato mesmo é você saber (não adivinhar) o quanto vai demorar para desferir certo ataque ou quanto demora para defender um ataque de seu oponente (ou seja, saber quantos frames demoram para o Haohmaru por exemplo, executar a sua “lapada” mais forte, com dois botões). Com o tempo e experiência de jogo você vai começar a apreender essas coisas e quando defender/ executar certo ataque.

Digo isso porque essa é uma diferença (senão A diferença) mais importante se comparado ao Samurai II, e compreender que alguns frames no Samurai I são mais rápidos que no segundo pode ser a diferença de uma vitória ou tomar um Perfect.

Low tear, Top tear – Qual escolher?

Eu sei que essa review está “diferente”, mas se eu ficar falando de curiosidades e historinhas não teria a menor graça. Então, existem doze “bonecos” para escolher no Samurai Showdown 1, e temos uma diferença grande se comparado a um Street Fighter II que é a “base” dos games de luta. Por exemplo, a maioria dos games de luta tem um boneco que é mediano: não é excelente, nem muito ruim em nada e serve para o jogador iniciante se acostumar com a gameplay. No caso do SF2 se trata do Ryu. Em MK Eddi Boon e John Tobias queriam que o Liu Kang fosse esse boneco. A Lista é grande.

Todos pensam que o boneco mediano em Samurai é o Haohmaru. Mas aqui há a primeira quebra nisso. Haohmaru meio que começou a ideia de ter comandos facilmente executáveis por qualquer jogador, como meia lua (hadougen), frente-meia lua (shoryuken), mas ele não tem nem o range (alcance) e nem o dano mediano do jogo. Pelo contrário. Haohmaru é pesado, tem um alcance altíssimo e dá muito dano (é um dos bonecos que mais dão dano no Samurai). Na verdade com o POW no máximo dois ataques fortes são o bastante para ele terminar a luta. Então, tirando a lista de comandos básicos, ele não é nem de longe o boneco mediano do Samurai I.

Mas quais são os “mais fortes”? A minha lista pessoal é que no PVP (no X1, player vs player) primeiro vem o Hanzo (o ninja fodão) que está muito forte nesse Samurai I (apesar de ser o mais amado no online do Samurai II ele ficou muito fraco lá) com a Nakoruru brigando firme com o Haohmaru no pódio. Alguns citariam ainda a Charlotte e o Ukyo; Ukyo (o ceguinho) que para mim apesar de ter os comandos mais “difíceis” para um player iniciante é neste Samurai I o “mediano”. Ele é o Ryu.

Uma citação interessante é que eu vejo a Nakoruru extremamente OP na versão de Snes junto com o Hanzo.

Conclusão – Samurai Showdown um game de luta Marcante

Samurai Shodown é o meu game de luta preferido de longe. Gosto muito da sua mecânica de jogo de você precisar acertar poucos golpes certeiros para deitar seu oponente, ou até de tomar um IPON e ter o corpo do seu boneco cortado em mil pedaços. Apesar disso ter mudado um pouco desde o IV (que é o preferido de muita gente, mas eu não gosto tanto) ele ainda mantém essa mecânica que torna Samurai único entre os games de luta.

E eu acho muito gostoso esse clima de Japão feudal que ele traz. Tem o Galford que é o “ninja americano”; a Charlotte que é a “cavaleira francesa” que nessa época fazia referência a Joana D’ark; o Haohmaru e Ukyo que são quase que como Ronins; O Gen-an que parece um Oni e muitos pensam ser um ancestral da Mai Shiranui por terem o mesmo sobrenome… aliás se falava bastante na época da capacidade do Neo Geo de “zoom de sprites”, mas ironia das ironias hoje as pessoas jogam mais por causa da sua gameplay e de seu clima únicos.

Tem também a questão do Amakusa ser lembrado como uma “bruxa demoníaca”, que na verdade fala sobre o medo do japonês em ter sua cultura ameaçada por interferência estrangeira, medo este tão infundado em minha opinião que acabou fazendo toda uma elite de samurais ceifar as vidas de uma cidade inteira, mulheres e crianças, que estavam ao lado do Amakusa Shiro, o ronin católico que eu contei acima. Medo compreensível porém, faz parte da humanidade temer o desconhecido.

São essas referências e histórias com sua gameplay única que tornam Samurai Shodown, ou melhor Samurai Spirits tão gostoso de ser jogado hoje.

Nakoruru minha Waifu

E para quem não sabe, a Nakoruru é minha waifu de todos os games de luta. Eu sei que muita gente tem a Chun-li ou a Mai Shiranui como suas waifus, mas a Nakoruru é a minha waifu porque (além dela ser linda) eu praticamente aprendi e voltei a jogar fighting games graças a ela, então eu tenho todo um carinho pela personagem mesmo quando ela é abaixo do low tier (ou seja, muuuuito ruim Mesmo) como no Samurai Showdown II.

Uma curiosidade sobre a Nakoruru, que além dela fazer um pouquinho de referência à Sailor Moon com seu “This is nature’s punishment”, ela é realmente baseada no povo Ainu, que é considerado um povo indígena no Japão (e na Russia), daí veio o fato dela ser protetora da Natureza.

E para mim é legal saber que ela só foi parar no KOF XIV por causa sua da popularidade. Ou seja, não sou o único que tem ela como waifu. Perai… mas ai não dá, ela tem de ser a minha waifu!

Abração e bom game pessoal!

Fontes: Wikipedia (ING) Ainu People [Link]/
Wikipédia (Pt-br) Amakusa Shiro [Link] e Ronin [Link]
Snk.Fandom.com: Samurai Shodown [Link]/ Nakoruru [Link]

5 Games Clássicos que Todo Mundo Jogou menos Eu!

Que tal postagens sobre games em? Sim… o Afonte Geek é um site que envolve toda a cultura pop e games fazem parte dela. Então cá estamos para aqueles 5 games clássicos que todos já jogaram e marcaram a vida de todo gamer… menos a minha. Por quê? Vamos descobrir!

5 Games Clássicos que Todo Mundo Jogou menos Eu!

5-games-classicos-que-nao-marcaram-minha-vida-wallPois é pessoal, finalmente vamos falar um pouquinho de games aqui no site. Na verdade, este que vos escreve conta pouco de suas jogatinas porque há muitos anos deixei de jogar. Sério… última coisa que peguei para gamear foi Legend of Zelda: A Link to the Past e Breath of Fire II. Muito do motivo de ter parado de gamear é pela falta crônica de dilmas/temers e também, tempo.

Mas… eu já joguei muito — e como! — na infância e adolescência, então conheço muita obra prima e resolvi trazer um pouquinho dos meus conhecimentos sobre elas. Inclusive já fui editor de um site de games para N64, vejam só! Tanto que temos até uma “contra-lista” com 5 Games Clássicos que Marcaram minha Vida.

Voltando… Apesar de meu histórico gamístico, tiveram aquelas obras clássicas que ou nunca joguei, ou não me dava bem jogando. É sobre esses games que marcam vidas, mas que não marcaram a minha por um motivo ou outro, que vou falar agora!

Vamos ao post!

Sonic

sonic-iAhh… pois é, nunca joguei Sonic. Mas como assim nunca joguei? O primeiro motivo é que eu participava ativamente da “guerra dos consoles” dos anos 90 e claramente, eu era um Nintendista. Então eu tinha um Super Nintendo, claro, e nem queria saber de Mega Drive — vacilo eu sei!

Coisa curiosa que um dos ex-editores do site é fã do Sonic (clique no link para ver um post que ele fala das suas experiências com os games do ouriço) e hoje em dia eu adoro ver os gameplays do Velberan, com ele desvendando as fases do Sonic. Também adoro essa trilha sonora clássica dele, tanto que esses primeiros jogos do Sonic aparecem na nossa lista de Melhores Trilhas Sonoras dos Games. E na infância eu até que curtia ver um brother jogando o ouriço mas…

sonic-2-looping
Loopings e mais looooopings!

Minha grande dificuldade com ele até hoje é a VELOCIDADE. Nunca consegui acompanhar ele pulando e saltando naquelas velocidades absurdas e me perdia na tela quando o amigo/irmão camarada alugava aquelas fitinhas.

Eu recentemente até tentei jogar um pouco de Sonic, mas a minha velha inimiga, a Velocidade, e agora também as Cores do game, me deixaram meio perdidaço — tudo indica que é a idade. Será que eu deveria tentar de novo jogar os games do Sonic, o gato… digo, o ouriço?

Resident Evil

resident-evil-1Como é que eu nunca joguei Residen Evil? Calma, não riam da minha cara ainda, existem bons motivos. O primeiro deles é que na época que o Playstation One estava bombando eu não tinha grana — e depois do meu suado Super Nintendo ter esgotado a sua vida ao meu lado, eu meio que não queria mais ser um true gamer.

Outro motivo é que eu sempre… como direi… tentei escapar de games com monstros, zumbis e essas coisas. Então dá para imaginar que clássicos como Doom e Quake vão passar batidos por aqui. Sei lá… Acho uma coisa mais humana sentar o sarrafo em gente do que em monstros.

re3nemesis
Dá até vontade de jogar viu

Mas e hoje em dia, por que não jogar? Apesar de ver e curtir muitos clássicos do terror como O Exorcista e Tubarão eu nunca tive aquela vontade de jogar um survivor horror. Quem sabe um dia, né? Pelo menos o primeirão para ver se curto — ou ao menos aquele que tem o Nemesis que todo mundo comenta.

E depois de ver tantas playthrougs de vários Residents no youtube, até mesmo o RE7 e o remake do RE2, tudo indica que em breve, jogarei alguma versão do game. Eu acho.

The King of Fighters

the-king-of-fighters-97Esse é daqueles que eu simplesmente não joguei, por ser um perfeito e completo NOOB. É engraçado porque aqui no bairro os arcades com “The King” (como os camaradinhas chamavam), bombavam demais e eu sempre ficava olhando aqueles montes de marmanjos jogando e ficava doido para participar também.

Até que um dia tomei coragem, enfrentei os petelecos e empurrões do pessoal para “pegar uma mão” e…. TERRÍVEL. É irônico porque eu já zerei Street Fighter Alpha 2 de Arcade mesmo — vejam só — mas conseguir fazer “3 Holis”, “2 tchacas” e “4 meia-luas completas” numa única partida é algo que até hoje eu tento entender como a garotada consegue.

the-king-of-fighters-97-screenshotEntão jogar games como Tekken (que exige combinações de botões) ou até Street Fighter aonde os especiais não vão tão longe como em KOF eu consigo numa boa.

Ironicamente hoje em dia eu ando Tentando jogar pelo menos o KOF2002. Continuo um completo pereba. Mas até que no Samurai Showdown 2 eu dou trabalho para o pessoal do fightcade. Ah sim… vocês sabiam que a SNK agora é chinesa?

Mortal Kombat

mortal-kombat-iiAhh… aquela doce lembrança das “casas de game” aqui do bairro me vêm a mente quando penso em Mortal Kombat. Já joguei diversas versões clássicas dele: MK1, MK2 e MK3. Eu sou muito bom em jogos de luta que exigem combinações rápidas de botões (leia-se COMBOS) mas em MK… o motivo de nunca ter tido vontade de “zerar” qualquer MK clássico é o mesmo de não ter vontade de jogar Resident Evil.

Pois é… nunca gostei de imaginar enfrentando coisas como Goro ou Montaro. São monstros velho, é impossível que um carinha que solte rajadas de gelo vença um diabo com corpo de cavalo e tronco de demônio. Eu sempre via o manolo no seu Mega Drivezão enfrentando o Montaro e imaginava, “Eu não quero jogar essa zuera”.

mortal-kombat-montaro-vs-sub-zero
VIXEE

Podem me julgar por nunca nem ter feito um Fatality. Na verdade até já fiz alguns quando enfrentava os manos em algumas partidas naquelas “casas de game”. Mas sincero? Não tenho a menor vontade de pegar um MK ainda hoje. Resident Evil talvez, só para zerar mesmo — dizem que ele é HARD.

Só que para quem já zerou Mega Man I, II, III e IV e Ninja Gaiden não tem game difícil. Aproveitando o ensejo… Que tal lembrar daquela Trilha Sonora épica do filme em? E ver cosplays da Sonya Blade, Kitana, Jade e Mileena? He, he, he.

Mega Man X

mega-man-x-gameplayEu acabei de dizer que zerei uma penca de games do Mega Man né verdade? Eu tinha um clone do NES (saudoso Dynavision III que só depois de velho eu descobri para quê serviam aquelas duas entradas de cartucho… VACILOO!), então conheci facilmente uma das versões do Mega Man e zerei ela com um velho brother.

Depois de adulto fiz o trabalho sozinho, zerei todos os outros — sem cheats e qualquer coisa do tipo. Mas o Mega Man X… quando eu tive meu Super Nintendo nunca tive um cartucho em mãos, apesar de conhecer ele daquelas casas de jogatina. Quando fui pegar nele, agora também adulto, essa coisa de coletar ítens nas fases, e o que mais me deixa maluco… ter de voltar em fases que já se venceu o Boss para pegar um ítem… mano… Isso não é de Deus.

mega-man-x-snes-sigma-4th-level
MALDITO SIGMA!

Por conta desses vários ítens espalhados em determinas fases — QUE EU NÃO TENHO E NEM NUNCA TIVE PACIÊNCIA em buscar — realmente nem quero pensar em jogar (ao menos não agora). Vale o mesmo para franquias como Metroid (clique e veja os cosplays da Samus) e o clássico Castlevania: Symphony of The Night. Eu sei… sacrilégio…

Mas gosto mesmo de correr e pular. Essa de ficar procurando coisas dá mais não. Sigma por exemplo, me venceu porque eu não coletei “life” o suficiente… esse tipo de coisas jamais aconteceria no Mega Man clássico.

Extra: Tomb Raider

tomb-raider-playstation-gameplay-screenshot-1Como eu acabei de falar, meio que depois da geração SNES e Mega Drive minha vibe para games acabou, então já dá para imaginar o motivo de eu nunca ter jogado Tomb Raider. Sim… eu não cheguei a ter um PSone, então né? Meio que se trata de outra franquia que realmente eu fiquei devendo.

Antes de tudo calma. Como eu falei que não tenho saco de coletar ítens não é para se imaginar que nunca joguei um bom RPG — pelo contrário, eu geralmente coleto tudo em todos os lugares de um RPG. Minha vibe “ruim” são em games do tipo “pule para salvar a princesa” e ainda ter de coletar coisas que necessariamente não são para completar uma fase… AFF. Enfim, voltando.

tomb-raider-lara-croft
TETEIA!!

Sempre achei a Lara Croft uma linda (tanto que assim como a Samus de Metroid eu fiz especial de cosplay das duas para o site) e na verdade se trata de outro game que eu não teria motivos em “não jogar”. Quem sabe um dia né verdade? Aí aproveito e pego também Final Fantasy VII, Resident Evil e Crash Bandicoot para fechar os games do PSone.

Fonte: Obsolute Gamer [Link] – algumas imagens da Lara

gta-vice-city-gameplayPois é… nem FF VII eu joguei. E GTA? JAMAIS. Eu sou do tempo que tinha de haver sacrifício para salvar o mundo, e não para ser um “ladrão gigolô”. Podem me julgar! E ahh sim… se vocês também tiverem aqueles games que todo mundo já jogou menos vocês, claro, não deixem de comentar!

Aquele abraço!

Top 5 Curiosidades das Gatas dos Games que você Precisa Saber!

Cá estamos nós para + um post de Curiosidades Geek! Desta vez vamos falar do Top 5 Curiosidades das Gatas dos Games que você Precisa Saber! Espero que curtam cada uma dessas curiosidades — desta vez com duas extras! Boa leitura!

Top 5 Curiosidades das Gatas dos Games que você Precisa Saber!

Top 5 Curiosidades das Gatas dos Games

Especial Curiosidades Geek

Games > HQs > Animes > Gatas dos Games > História > Segunda Guerra Mundial > Aviões > Tecnologia Militar> Desenhos Animados > Invenções e Tecnologias que Mudaram o Mundo > Tecnologias Espaciais do Futuro

Esse é um post interessante. Na verdade fiz ele porque enquanto faço os especiais de Cosplay do site (que está nas fontes citadas),  sempre acabo pesquisando sobre as personagens, seus criadores, como elas nasceram e etc.

Então meio que essa é uma reunião de todas as Curiosidades das Gatas dos Games que considerei mais interessantes enquanto fazia as pesquisas. Espero que curtam — e lembrando sempre que para ver + sobre cada uma delas, basta seguir as fontes… nesse caso, os Especiais de Cosplay de cada uma Delas — clicando direito nos links.

Boa Leitura!

Lara Croft – A Mais Conhecida Heroína dos games Segundo o Guinness Book

lara croft

Essa curiosidade eu acho bem legalzuda: Lara Croft é a mais famosa personagem feminina dos games, listada no “The Guinness Books of World Records” — sendo assim considera pelos críticos e pelos fãs como um dos personagens + influentes da cultura nerd/pop.

Outras curiosidades legais sobre Lara é que o criador de Tomb Raider, Toby Gard (também é o character designer), queria fazer algo parecido com Indiana Jones. Como não deu lá muito certo, ele partiu para ideia de fazer uma heroína que primeiro se chamara Laura Cruz (e seria daqui da América do Sul).

bianca beauchamp cosplay lara croft
bianca beauchamp cosplay lara croft

Lara Croft – Cosplay Gata da Semana Especial

Até que evolui para que Lara fosse uma inglesa — e reza a lenda que seu nome foi escolhido numa lista telefônica. O nome completo dela é “Lara Croft Mandy DeMonay”. Também “reza a lenda” que o Toby Gard não queria que Lara tivesse os seios tão volumosos… Diz ele que “Eu só queria que quando eles a tiraram das minhas mãos eles não tivessem deixado os seios dela tão grandes.” — SEI.

Fonte: Lara Croft – Cosplay Gata da Semana Especial [Link] – Afontegeek

Samus-Aran (Metroid) é a Primeira Heroína Popular dos Games e seu Nome foi inspirado no do Rei Pelé!

samus aran curiosidades wall

Pois muito bem, Metroid foi um game lançado para NES feito pelo genial Gunpei Yokoi (criador do Gameboy!), e pelo que pude pesquisar, também foi o primeiro game que sua protagonista e Heroína (Samus Aran), se tornou Popular sem  utilizar apelo sexual — sendo que só se descobria que Samus era mulher, quando se zerava o game (que é o primeiro da franquia). Então… Metroid foi lançado em 1986 antes mesmo do game RPG Phantasy Star que é protagonizado pela Alisa!

Fica também a curiosidade que o nome Samus Aran foi inspirado no do Rei Pelé. No Japão o nome de Pelé “Edson Arantes do Nascimento” se pronuncia “Samus Arantes”, que foi o que inspirou o nome Samus aran. Não acredita? Ora essas… sigam o link da NintendoBlast aqui nas fontes!

Samus (Metroid) Cosplay – Gata da Semana Especial

Cosplayer PixelNinja Samus Zero Suit (Metroid)
Cosplayer PixelNinja Samus Zero Suit (Metroid)

Fontes: Samus (Metroid) Cosplay – Gata da Semana Especial [Link] Afontegeek / NintendoBlast [Link] / GuiantBomb: [Link] Female Protagonists (ING)

Chun-li é Primeira Personagem Feminina dos Games de Luta!

Chun li Street-Fighter

Pois muito bem senhoras e senhores, como vimos a Samus Aran é a primeira personagem feminina a se tornar uma HEROÍNA realmente popular nos mundo dos games.

Mas a nossa querida Chun-li (criada pela Capcom) do game Street Fighter é considerada como A Primeira Personagem Feminina nos Games de Luta (né incrível?!). Ela apareceu pela primeira vez no clássico Street Fighter II, no longínquo ano de 1991, e apesar de não ser uma das mais fortes, muito provavelmente era a mais rápida de todo o game!

Chun-Li Cosplay – Gata da Semana Especial

Elin-Kuzunoha (Japonesa)
Elin-Kuzunoha (Japonesa)

Outra curiosidade interessante sobre a Chun-Li, é que simplesmente Não se Sabe Quantos Anos ela tem! Óia que loucura? kk

Fonte: Chun-Li Cosplay – Gata da Semana Especial [Link] – Afontegeek

Morrigan – Ela era pra ter sido “Kawaai”, mas terminou se tornando… Gostosa uma “deusa”!

Morrigan-onimushasoul-capcomhero

Essa é boa (sem trocadilho). A Morrigan Aensland, personagem do game Darkstalkers, de autoria da Capcom, fez a primeira aparição no game Vampire / Darkstalkers: The Night Warriors em 1994. Os seus desenhistas “safados” foram os character designers: Akira Yasuda (Darkstalkers) e Aya Takemura (Namco X Capcom) — que são provavelmente japoneses. Ô terrinha para fazer personagens gostosas!

Pois então, durante o desenvolvimento (o desenho dela) havia se pensando em duas personagens: uma mulher gato +sensual e uma vampira + kawaai desu. O Problema é que os safados quando terminaram a Morrigan, a nossa súcubo, perceberam que a “vampira” tinha ficado bemm gostosa. Gostaram do resultado final (porque não são bestas nem nada) e assim nasceu ela como a conhecemos. Meio sem querer querendo kkk

Morrigan Cosplay Plu Moon (brasileira)
Morrigan Cosplay Plu Moon (brasileira)

Morrigan Cosplay – Gata da Semana Especial

Outras curtinhas: alguns dizem que a Morrigan na verdade não é má. Ela só não entende a diferença ética entre bondade e maldade, ao mesmo tempo que sente o maior prazer em “dar uma surra” nos seus oponentes. O que faz dela, na verdade, uma anti-heroína. E como ela aparece muito em outras franquias de games de luta, meio que ela assumiu o papel de Protagonista de Darkstalkers.

Fonte: Morrigan Cosplay – Gata da Semana Especial [Link] – Afontegeek

Kasumi – A Protagonista de Dead or Alive foi feita para ser uma Venus!

kasumi

Basicamente estamos na “Seção japa de como fazer personagens femininas Gatas Pacarai” kk. Então… A Kasumi é protagonista de DOA, que é um game feito pelo Team Ninja and Tecmo (Koei Tecmo). Dead or Live, e portanto, a Kasumi, nasceram em 1996 criado pelo mano Tomonobu Itagaki. E diferente da Chun-li, sabemos que Kasumi possui 17 aninhos.

Para meu estranhamento o senhor Tomonobu Itagaki, disse que a vê como uma espécie de Vênus. Digamos assim… bom o cara é japonês e lá eles adoram meninas vestidas com roupas escolares, sem nenhuma maldade kk. Além de claro, lutadoras gatas lutando em roupas comprometedoras que deveriam atrapalhar no combate… ele entende do que tá falando kkk.

Kasumi Cosplay (DOA) – Gata da Semana Especial!

katyuska moonfox kasumi cosplay
katyuska moonfox kasumi cosplay

Nas palavras dele: “Uma estética única de perfeição – o hiperreal, o exagerado, o “hiper-corpo”. kkkk É um jeito bonito de dizer: Eu fiz ela mega hiper gostosa porque eu quis, tô nem aê! kkk

Fonte: Kasumi Cosplay (DOA) – Gata da Semana Especial! [Link] – Afontegeek

Top 5 Curiosidades das Gatas dos Games extras poison e mai shiranui

EXTRA 1 – Mai Shiranui era para ter sido só “Mais um Ninja” em Fatal Fury

mai shiranui 2

Essa é outra curiosidade que “Só vemos no Japão”. Os criadores de Fatal Fury na verdade, iriam fazer um outro ninja com as habilidades da Mai Shiranui… Quando simplesmente deram na telha de fazer uma mulher! HA! E aí devem ter pensado: se vamos fazer uma mulher ninja, vamos fazer uma GOSTOSA! Assim nasceu a Mai, hehehe.

Brincadeira… (ou não) a aparência sexy da Mai foi inspirada no estilo ninja Kunoichi de assassinar: aonde primeiro se seduz as vítimas para depois as matar (deve ser uma morte boa né?).

Mai shiranui Plu Moon (brasileira)
Mai shiranui Plu Moon (brasileira)

Mai Shiranui Cosplay – Gata da Semana Especial

E para completar, a Wikipedia nos diz: “De acordo com uma publicação da Neo Geo Freak, partes do corpo de artistas japonesas reais foram usadas como modelo para as de Mai.” — japoneses têm bom gosto, isso é indiscutível.

Fonte: Mai Shiranui Cosplay – Gata da Semana Especial [Link] – Afontegeek

EXTRA 2 – A Poison é Primeira Personagem Transexual dos Games (e foi tudo por “acaso”)

Poison_USF4 Character_Select pequena jpg

Nhaa esse é um “daqueles causos difíceis de acreditar”. A Poison foi criada por Akira Yasuda (Capcom) e apareceu pela primeira vez no clássico game “beat ’em up” Final Fight (1989). Ela era um das inimigas recorrentes no game, ao lado de umas personagens “muita parecidas” com ela, chamadas “Roxy” — se você jogou esse clássico, deve se lembrar mais ou menos das duas.

E a coisa interessante sobre a Poison, é que ela foi originalmente concebida como uma um inimiga “Feminina” em Final Fight. Mas logo depois do lançamento do game, se recebeu o “conselho” que o publico norte-americano chiaria porque “teriam de lutar contra uma mulher”.

poison cosplay its raining neon
poison cosplay its raining neon

Poison Cosplay – Gata da Semana Especial

Por causa disso, o personagem foi repensado como uma… “Futanari”: leia-se Transexual. Mesmo depois da mudança, a Poison e sua “colega” Roxy foram trocadas por personagens masculinos nas continuações do game (ao menos nos USA).

Pode-se dizer que por causa “do medo dos americanos” que provavelmente “Não iam querer bater em mulher” — olha a Lei Maria da Penha! — a Poison acabou se transformando na Primeira Personagem Trans dos Games! E é claro que ainda hoje, a Capcom e os seus desenvolvedores definem a Poison como… “duvidosa”, “ambígua”… Na verdade esse é o tipo de assunto “pra mais de metro”, é ou não é? kkk :3

Fonte: Poison Cosplay – Gata da Semana Especial [Link] – Afontegeek

——————————-

lara croft cosplay Lena-Lara
lara croft cosplay Lena-Lara

Espero que vocês tenham curtido todas as curiosidades. Lembrando sempre que todas as personagens citadas já têm seus cosplays aqui no site e os links dos Especiais de Cosplays estão no fim de cada um dos posts. Não vou mentir que deu um misto de “prazer com trabalho” fazer esse post e cada um dos especiais.

Curtam também essa galeria aqui das Gatas.
Aquele abraço!

Galeria de Imagens das Gatas dos Games