Arquivo da tag: Daft Punk

5 Musicas Reflexivas e também Caóticas (Parte 2)

Grande Aldair inspirado (talvez por ser fim de ano) dessa vez nos traz mais cinco músicas reflexivas (e também caóticas) para que todos nós que as ouvirmos, também sintamos algo em nossos corações ou em nossa alma. E dessa vez tem uma que eu sinceramente adoro. Boas músicas!

5 Musicas Reflexivas e também Caóticas (Parte 2)

Blind Guardian_The Bard's Song (In The Forest) Front 1

Parte 1Parte 2Parte 3

Desta vez será diferente irei deixar meu lado pessoal de fora e irei ficar imerso na canção e como de costume “espero que gostem” e sem mais delongas vamos as músicas!

5° Nightwish – While Your Lips Are Still Red

hgUJUPMdzzLMTnSFFnwqYeJzMS6

Love while the night still hides the withering dawn; (Ame enquanto a noite ainda esconde a desanimadora manhã)

First day of love never comes back; (O primeiro dia de amor nunca retorna)

Amor em sua simples ideologia, o puro sentimento que une o indivíduo ao sexo uma forma bela. Porém tal sentimento pode se tornar uma ameaça a própria vida de tal. Um beijo apaixonado pode acalentar o coração frio e libertar o sentimento que dorme em leito obscuro, tal chama só pode se apagar se o corpo ao qual ela incendeia perder a vida.

A traição  se torna um erro constante mais porque se unir a alguém ao qual não possui o afeto que se ilude pensar existir? Tal erro pode causar tragédias irreversíveis. Mesmo assim o amor prevalece mesmo que perante ao erro, tal sentimento avassalador e sempre constante. Esta música atada ao clipe nos demonstra um belo conto ao qual descrevi logo acima tanto em vídeo quanto em letra, amor nada além do amor.

 

4° Moby – Why Does My Heart Feel So Bad?

maxresdefault

Why does my heart feel so bad? (Por que meu coração se sente tão mal?)

Why does my soul feel so bad? (Por que minha alma se sente tão mal? )

These open doors (Essas portas abertas)

Já perguntou a si mesmo o porque de se sentir infeliz coração, senti dores que não pode descrever como físicas, sentir que sua alma lhe consome com um pesar que pode não ser seu? São muitas perguntas e nenhuma resposta, o ser humano tem uma casa e nela todos entram alguns ficam outros só fazem uma visita mais aquele que não quer teu bem sempre deixa um dano e geralmente esse dano não tem concerto ou demora pra ser consertado.

Ser humano é sujeito a erros e a honestidade, o amor ao próximo esta sumindo e quem ainda possui também traz consigo enormes cicatrizes ou até feridas expostas que nunca iram cicatrizar, magoas da vida. Mais uma vez expressei tanto o vídeo quanto a letra que é bem curta mais deixa uma mensagem potencialmente verdadeira e significativa.

 

3°Rob Dougan – Furious Angels

BLOG-rob-dougan

Cause love, like invisible bullet shot me down; (Porque amar, é como disparar uma bala invisível que me faz cair)

And I’m bleeding, yeah I’m bleeding; (E estou sangrando, sim estou sangrando)

And if you go, furious angels will bring you back to me; (Se você se for, anjos furiosos trarão você de volta para mim)

Essa música remete a amor e ódio, pois quando se estar alinhando a alguém a morte anda junto! Não poderá escapar da “Fúria dos Anjos” e sendo assim a letra vai demonstrando a vontade de se unir a pessoa amada só que também declara o sofrimento que isto desencadeia ambos não podem fugir ou em si aquele que cogita dor na verdade é o que não aceita o fim do relacionamento?

A Fúria dos anjos é posta a prova em uma música um tanto psicodélica e de contexto “doloroso”, o vídeo é até conservador mais tem um final que pra bom entendedor meia palavra basta, onde o amor não é apenas beijos e flores, a felicidade aqui é amarga e pode matar.

 

2°Daft Punk – Instant Crush (ft Julian Casablancas)

b5612fe5bb5fa02559d8276615517853.608x608x1

I don’t understand, don’t get upset; (Eu não entendo, não fique chateada)

I’m not with you; (Não estou com você)

We’re swimming around; (Estamos nadando ao redor)

It’s all I do, when I’m with you; (Isso é tudo o que faço quando estou com você)

Uma música confusa onde é empregado um relacionamento que não ocorre, algo latente acontece entre dois indivíduos, porém um deles aparenta fugir da pessoa amada por algum motivo que não é explicado. A fuga permanece durante toda a letra a cada e verso que pode aparentar amor há outro que demonstra fuga de dizer sim para ambos ou até pra si mesmo.

Uma confusão amorosa ou uma declaração de alguém que nunca revelou  seus sentimentos pra pessoa amada e por fim nem ele nem ela souberam o que de fato acontecia. Uma loucura em pequena escala. Coisa do coração. É nessa confusão que se mantém a letra e nesta ideia de tão perto mais tão longe que se mantém o vídeo mais (no vídeo) no fim das contas a união é inevitável e o amor vence.

*ps: Por acaso essa música aparece também na Review do álbum Random Acess Memories do Daft Punk. Basta seguir o link para darem aquela olhada!

1°Blind Guardian – The Bard’s Song

TBSS

Tomorrow will take us away; (O amanhã nos levará embora)

Far from home; (Longe do lar)

No one will ever know our names; (Ninguém jamais saberá nosso nome)

But the bard’s songs will remain; (Mas as canções do bardo permanecerão)

A canção do bardo, daquele que vive longe, de um homem corajoso, sonhador e que pode ver o fantástico, diante de um fogueira, diante da noite escura e fria, diante da partida de volta ao lar a música do bardo permanecerá. Um conto imortal que nos leva a fantasia da vida, do medieval, a canção que adentra a mente daquele que acredita que a verdadeira essência nunca irá se apagar.

Esta música é um hino e por si só acende a chama em nossos corações, a chama do desconhecida e afável fantasia. A vida de um viajante que não precisa sair do lugar, o elo entre a mente e o corpo, nela esta contida a coragem e o medo e a esperança de mais um dia. Existe duas versões: In The Forest e a de Studio, as duas são fantásticas e estará logo abaixo para vocês.

*ps: Outra música que também já aparece aqui no Afonte Geek. Dessa vez no Especial de Baladas para se ouvir com suas amadas/os. Espero que curtam também!

Random Access Memories – Resenha: Quando o Groove chega na Música Eletrônica (techno)

Bem vindos caros amigos, leitores e leitoras, a mais uma review de álbum feita com todo carinho para vocês. Nesta resenha nós vamos dar aquele look no incrível álbum Random Access Memories da dupla francesa de música eletrônica: Daft Punk! Apreciem porque são músicas Sensacionais!

Random Access Memories – Resenha: Quando o Groove chega na Música Eletrônica (techno)

Random-Access-Memories-Daft-PunkBem vindos meus bons amigos a tão prometida resenha da banda (dupla) Daft Punk! Já fazem muitos meses que venho prometendo fazê-la, mas finalmente tomei aquela coragem. Eu sei que é meio estranho um “metaleiro” falar de uma banda “techno”, mas pensem sempre que: Ninguém vive só de Metal.

Pois muito bem… neste texto vou falar um pouco sobre o álbum da vez: “Random Access Memories”; e também um cadinho só sobre quem “são” esses dois Gênios da música eletrônica (ou será… do soul, do funk, do groove?). Vamos descobrir juntos enquanto ouvimos algumas músicas escolhidas deste álbum perfeito!

Quem são o Daft Punk

O Daft Punk é uma dupla de (dois) de músicos que se juntaram para fazer um som eletrônico: o luso-francês Guy-Manuel de Homem-Christo e o francês Thomas Bangalter. Eles que se fizeram a dupla lá no começo dos anos noventa (mais ou menos em 93) e alcançaram relativo sucesso ainda no final dos anos 90, lá mesmo na França: no estilo “house” — seja lá Deus o que isso queira dizer.

Give Life Back to Music 

Até agora lançaram 5 álbuns dos quais conheço Discovery, este Random Access Memory (2013) e também a trilha sonora de Tron: O Legado (2010). Na verdade conheço o Discovery graças a animação Interstella 5555 (2003) — One More Time! — que foi feita pela Toei com o supervisão do mesmo mangaká de animes sensacionais como Galaxy Express 999 (que sou um puta fã) e também de Capitão Harlock: o senhor Leiji Matsumoto.

Fica a curiosidade de que nos shows ao vivo a dupla de música techno é conhecida por trazer vários elementos visuais incorporados às canções (além de usarem seus trajes espaciais): deve ser mítico ver um show ao vivo deles.

Mas como estou aqui para falar de um álbum deles…

Um pouco sobre o álbum Random Access Memories

daft punk random access memories cd

Random Access Memories começou a ser desenvolvido ainda em 2010 enquanto eles faziam a trilha sonora do filme Tron: O Legado — mesmo tendo sido lançado somente em 2013 (ou seja… 3 anos de gestação).

Esta belezura de CD foi um belo sucesso de público e crítica (não só do meio eletrônico) e chegou a ganhar o Grammy como o melhor álbum do ano de 2013, além de CDs de platina na Austrália, Bélgica, Itália, Nova Zelândia e Reino Unido, além de um CD de Ouro na Espanha. O lugar que mais vendeu foi justamente na Terra da Rainha: com +300,000 cópias vendidas!!

Get Lucky (com Pharrell Williams)

Quem sinceramente não ouviu essa em 2014 em?

O álbum ainda conta a participação do “gogó de ouro” Pharrell Williams nas músicas “Lose Yourself to Dance”, e “Get Lucky” (ambas com clipes FODAS!), de Julian Casablancas na música Instant Crush, de Todd Edwards na “Fragments of Time”, Panda Bear na “Doin’ It Right” e do DJ Falcon na “fucking awesome final music” “Contact”.

Sem contar no escritor/ cantor Paul Williams que participou na música “Touch” que junto com o com o guitarrista da banda Chic e o aclamado produtor Nile Rodgers colaboraram na com os caras do Daft Punk para fazer o álbum.

As influências do Random Access Memories!

Finalmente estamos chegando na parte boa né? Como vocês podem ver eu coloquei todos os clipes deste álbum aqui mesmo no post — sem contar que peguei as músicas que achei mais sensacionais também. Mas antes é preciso falar um pouco da influência groove e funk do álbum: quem conhece um pouco de música Disco (anos 70) e também um pouco do Soul presentes nos músicas de James Brown.

Lose Yourself to Dance (com Pharrell Williams)

E seguindo o pessoal da Wikipedia: esse álbum lembra “diversas passagens que lembram o disco “Songs in the Key of Life de Stevie Wonder” e também a perceptível influência do músico italiano “Giorgio Moroder”, principalmente na canção Giorgio que utiliza a faixa “The Chase” da trilha sonora de “Midnight Express (1978)” na música “tributo” “Giorgio by Moroder”. Dizem até que há influência do “Off the Wall” de Michael Jackson!

As “músicas que + gosto” do álbum

daft_punk_random_access_memories_wallpaperE para “até que enfim Meu Deus” chegarmos ao fim deste texto,  vamos falar sobre “as melhores faixas” do álbum. Na verdade o álbum inteiro é um Primor, e você pode facilmente dar play nele e ouvir do começo ao fim: coisa que eu faço numa boa sempre que quero ouvir.

Instant Crush (com Julian Casablancas)

Talvez seja porque simplesmente eu goste do CD inteiro… nunca se sabe. Vou falar um pouco de cada uma… sendo que as que + gosto estão por ai em todo o post, “of course”.

Comentando: Até Instant Crush

Anyway… começando com “Give Life Back to Music”, que é um puta bom começo, bem animada para aquele seu dia na praia, extremamente groove com aquelas jogadas “clássicas” de techno.

Giorgio by Moroder

Já “The Game of Love” é um pouco + lenta com alguma coisa de “games antigos”. Daí para “Giorgio by Moroder” que sinceramente é uma das MELHORES DO CD. Não se preocupem: no começo é o próprio Giorgio dando uma explicação de como ele começou a entrar no mundo da musica. Realmente curto demais.

Daí para “Within” e que também é um pouco lenta… e lembra aquelas músicas da Madonna, coisa de inicio dos anos 80, finais dos anos 70. Também excelente. A “Instant Crush” (com Julian Casablancas) já tem uma pegada + anos 70, disco mesmo. Com uns vocais lindos, devo dizer.

As “Groove” e o final + Techno

A “Lose Yourself to Dance” com o Pharrel, também muuuuito groove. Um Groove perfeito. A “Touch” (com Paul Williams) é para mim a “mais fraquinha” do CD mas também muito boa. “Get Lucky”, também com Pharrell Williams é a música que digamos assim… consagrou o álbum com um clipe foda. Groove total!

Doin’ It Right (com Panda Bear)

“Beyond” apesar de um começo meio “vai começar um filme da Disney” é bastante intimista junto com a “Motherboard”. Indo para “Fragments of Time” (com Todd Edwards), sendo outra música com um groove incrivelmente lindo.

Terminando com a mais Techno “Doin’ It Right” (com Panda Bear) e uma das que + gosto desta belezura de cd: “Contact” (com DJ Falcon) — eu diria que é uma das que + lembra a Trilha Sonora de Tron: O Legado. Esse final cara… o final é digno do final desta obra prima!

Conclusão

Contact (com DJ Falcon)

Final ÉPICO!

E ficamos por aqui galerinha boa! Espero que vocês ouçam o álbum inteiro e curtam esta obra prima do nosso século — se quiserem vejam e ouçam a crítica do álbum do Black Eyed Peas!

Aquele abraço!

Galeria de Imagens

Fontes:

Random Access Memories (Wikipedia): [Link]
Discografia (Wikipedia): [Link]
Interstella 5555 (Wikipedia): [Link]