Arquivo da tag: clichê

Tsubasa Chronicles – Review: É um Anime Muito Clichê?

Quem gosta de Tsubasa Chronicles ai? Pois é, neste texto vamos falar um pouco da história do anime/manga, falar um pouquinho sobre a recepção do público, e bem, dissertar sobre o primeiro episódio do anime! Vem comigo!

Tsubasa Chronicles – Review: É um Anime Muito Clichê?

tsubasa chronicles

Quem diria que a seção “Piores Animes que já Vi!” ia ganhar logo de cara, um anime da CLAMP né, verdade? Ela que conta com obras como Haruhi Suzumiya e Kimi ga Nozomu eien.

Mas antes tudo, primeira coisa que eu devo dizer aos fãs que já devem estar com vontade de me trucidar, é que este texto se trata tão somente da minha opinião pessoal, meu gosto e blábláblá. MAS, antes que comecem a “me bater”, devo dizer também que minha opinião será baseada em argumentos e premissas lógicos, logo, vai dar um “trabalhinho” bater “ni mim”.

Primeiro eu sei de alguns fatos

tsubasaO Anime de Tsubasa acabou tendo diversas mudanças com relação ao mangá, inclusive o nome, vejam só. Coisas foram cortadas, como o sangue das lutas, e até, acho eu, os personagens parecem “alongados”, mais “grandões mesmo” com relação ao original.

Muitas dessas mudanças se devem porque o anime passou na NHK que se bem lembro, é uma tv educativa/pública — não ia pegar bem ver sangue e ‘amor’ num desenho que passa na tvCultura Nippon. Meio que eu entendo bem essas mudanças. Parece que até o horário não era viável: passava muito cedo.

Também devo acrescentar que Tsubasa e xxxHOLIC — este que eu não vi, mas dois amigos meus viram e gostam bastante — são interligados.

E aqui meus amigos, começa minha critica

Duas histórias é meio complicado?
Duas histórias é meio complicado?

A ideia é genial. Contar num mundo paralelo as histórias de Syaoran, Sakura e seus friends, mas dentro de uma perspectiva Shonen, e além disso, poder transportar estes personagens para outros de outro mangá, no caso xxxHOLIC e a sua “bruxa das dimensões”.

Parece realmente a ideia mais genial do mundo, inclusive, para trazer àqueles fãs que gostaram de Card Captors Sakura, Chobits e tudo mais. Mas caros amigos, como acompanhar duas histórias diferentes? Este é o primeiro ponto. Nem quero imaginar a pressão que era ler duas histórias.

tsubasa facepalm Ep52Então como “ideia” a coisa parece ser genial. Mas como FATO parece ser no mínimo bastante difícil se ver as duas. Sem contar a incrível repetição de personagens, que convenhamos, é preguiça de criar/desenhar personagens diferentes.

Além disso, quem lê um Shonen? Sabemos que é destinado a “garotos jovens”. Mas xxxHOLIC não é um Seinen? Como fazer duas histórias serem uma, para públicos diferentes? Aqui eu acho que meu argumento é frágil — um fã dos personagens não se importaria.

Difícil de fazer, difícil de ler, ‘repetitivo’ até certo ponto por serem as mesmas personalidades em universos diferentes. Por que fez tanto sucesso? Creio que assim como procurar as “Cartas Clow“, procurar a “Mente de Sakura em forma de asas” deve atrair o leitor — rapaz eu achei isso o BICHO! Mas sejamos sinceros…já vimos esse filme, não?

Nossa..só tô batendo e nem falei do anime

Sakura pronta para ser salva!
Sakura pronta para ser salva!

Pois é, antes que alguém me pergunte, não vi o anime inteiro. Faltou-me paciência. Falando a verdade, não passei do Primeiro episódio, que começo a relatar agora:

Achei o começo genial. Meio rosado e com as musiquinhas, muito boas por sinal, sempre ‘entrando no momento certo‘, mas até ai nada de mais. Gostei do ‘love’ entre Syaoran e Sakura, dele ser “arqueólogo” e tals. Também tinha aquela tensão que os outros reinos participariam de uma busca que envolveria a ‘bruxa das dimensões’, vi tipo, “olhaa, legalzudo”.

Gandalf é você?
Gandalf é você?

MAS AÍ, apareceu…o Lelouch! E era o irmão da Sakura!!! Bomm tuudo beem. Mas então também surgiu o Yukito!! A coisa tava ficando cada vez melhor. Até chegar a linda cena entre Lelouch e Yukito, quando a Sakura foi dormir, ou saiu, e Lelouch com um cara de “ahaam” falou para o Yukito: “Finalmente estamos aqui sozinhos“, ahaaaam! rs

Nossa, se eu já estava quase rindo do começo rosinha com as músicas milimetricamente colocadas, a partir daí foi riso o episódio inteiro.

Eram cenas como: “DO NADA” aparece Lelouch com uma espada para ajudar o Syaoran, e lutando demasiadamente fodão, do lado o Yukito dando uma de Gandalf, aquela correria…e o melhor: um dos manolos dos outros reinos, malvadão.

Agora a última cena do episódio, e tenho CERTEZA que os fãs não notaram: Todo mundo chega em bolinhas rosinhas na casa da “bruxa das dimensões” vindos de cima — de cima da ‘onde’, ninguém sabe — menos o manolo malvadão de um dos reinos. Nãao, ele é mau, ele vem DE BAIXO, from Hell, rs! E para completar — esse diretor é um gênio — ele faz uma pose fodástica exatamente na hora que a músiquinha termina.

Nessa hora eu não estava mais me aguentando de rir. Eu e meu amigo, pausando cada cena sen-sa-ci-o-nal para rir e comentar. Ou seja, não tinha mesmo como continuar depois de uma maravilha dessas tão lotada de clichês.

Para finalizar

tsubasa_chronicle_shunraiki-42218
100% das imagens que achei: Syaoran com cara de “Lelouch”, Sakura com cara de coitadinha — clichê!

Eu sei que tanto o manga de Tsubasa RESERVoir CHRoNiCLE quanto xxxHOLIC devem ser grandes histórias. Mas creio que deu muito trabalho para acompanhar ambas. Também acho uma pena que fizeram uma adaptação tão ruim de Tsubasa, o que não aconteceu com o segundo — porque xxxHOLIC parece ser consenso: manga/anime como uma das melhores obras das Clamp.

Muito Chi não é?
Muito Chi não é?

Uma história com universos paralelos contada pela visão de Syaoran tentando salvar sua amada Sakura, sem mais o kawaai ou moe de Card Captors, com uma pitada de HOLIC, com certeza dava para ser um bom anime. Mas adaptações são assim mesmo. Algumas não respeitam os mangakás, e creio que essa foi uma delas — assim como a TERRíVEL adaptação de Yume Tsukai!

Por fim, não retiro nenhum de meus argumentos sobre a ‘boa ideia’ que foi unir duas histórias, mas que a realização não deve ter sido nada fácil, tanto para as Clamp, quanto para os leitores. Também não tiro os clichês da história como salvar a donzela e tudo mais. E haja dor de cabeça…

Abraços!