Arquivo da tag: animes baseados em visual novel

10 Curiosidades dos Animes que Todo Fã Precisa Saber! (Parte 1)

Bem vindos meus amigos and amiguinhas nerds, geeks e otakus, que adoram saber curiosidades curiosas que quase ninguém conhece! Desta vez vamos das 10 Curiosidades dos Animes que todo otaku ou mesmo fã de anime Precisa Saber! Fiquem com a Parte 1 deste Especial!

10 Curiosidades dos Animes que Todo Fã Precisa Saber! (Parte 1)

10 curiosidades dos animes parte 1

10 Curiosidades dos Animes

Parte 1 > Parte 2

Especial Curiosidades Geek

Games > HQs > Animes > Gatas dos Games  > História > Segunda Guerra Mundial > Aviões > Tecnologia Militar> Desenhos Animados > Invenções e Tecnologias que Mudaram o Mundo > Tecnologias Espaciais do Futuro

Olá queridos amigos and amigas… Bem vindos as 10 Curiosidades dos Animes que todo fã Precisa Saber! Como desta vez foram 10 ao em vez de 5 curiosidades “curiosas”, fui forçado a dividir este post em 2 partes: Essa aqui obviamente é a Parte 1 né? kk

Seguindo o link (Veja as 10 Curiosidades dos Animes que todo fã Precisa Saber Parte 2) vocês podem ver a segunda parte desse especial, ou mesmo clicando ali em cima. Espero que curtam porque deu maior trabalhão viu! Lembrando sempre que qualquer dúvida podem clicar nos links das fontes citadas!

Boa leitura a todos!

Estúdio Ghibli – Ganhou Um Oscar com A Viagem de Chihiro!

a viagem de chihiro

No fundo eu acho que essa “curiosidade” todo otaku já sabe né? Mas não custa nada ao menos “relembrar”. Então… o longa animado foi dirigido pelo gênio Hayao Miyazaki e é uma produção de 2001 do Studio Ghibli.

O Oscar recebido foi o de melhor animação em 2002. E não por acaso o tal do “veinho de barba branca” também ganhou em 2014 um Oscar Honorário “pelo seu impacto na animação e no cinema”. Ou seja meninos e meninas… estamos aqui falando de um gênio!

Hayao Miyazaki ganhando o Oscar
Hayao Miyazaki ganhando o Oscar

Fontes: Wikipedia (ING) – Spirited Away (A Viagem de Chihiro) /
Hayao Miyazaki: [Link]

Key/ Visual arts e sua Influência nos Animes/ Mangás/ de Drama!

key as 4 obras

Essa aqui eu acho que é “mais desconhecida”. Muito bem, vou fazer um resumo: A produtora de Visual Novel Key/ Visual Arts tem uma importância enorme para todos os animes/ mangás/ visual novel/ light novel de drama japoneses, desde que começou a lançar seus games. Ela é a produtora de obras como Kanon, Clannad, Angel Beats, Air Tv…

Pode-se dizer que uma quantidade absurda de autores se baseiam na fórmula “patenteada” da Key para te fazer chorar falando de algo importante da vida. Produções como Kobato., Koutora-san, Hentai Ouji, Ef – A tale of Melodies, Ano Hana, Wolf Children, não apenas “citam a influência” da produtora nas suas obras (com luzes subindo) como também se utilizam da Fórmula Mágica da Key:

Kotomi-chan...
Kotomi-chan…

No começo que apresenta os personagens para que você goste deles, seguida de uma separação (ou uma ruptura, como algum sofrimento), seguida de uma resolução ou um reencontro dos mesmos — mesmo que o final seja triste muitas vezes.

Até mesmo produções que não são dramas citam a Key: Steins; gate e Kami Nomi já fizeram homenagem. Por acaso, se você quiser saber mais sobre O que são Visual Novel e a Importância da Key nos Animes basta seguir o link! E não se esqueça: se você ver um anime com luzes subindo… saiba que houve inspiração da Key!

Obra e graça de Jun Maeda
Obra e graça de Jun Maeda

Fonte: O que são Visual Novel e qual a Importância da Key nos animes [Link] – Afontegeek

Curiosidades de Dragon Ball: Kamehameha/ Kuririn NÃO TEM NARIZ/ A maioria das mulheres de Dragon Ball e Dragon Ball Z são Tsunderes!

curiosidades de dragaon ballEssas são meio bobas, mas quem gosta de Dragon Ball e Dragon Ball Z com certeza vai gostar de saber. A primeira delas é que a esposa do Akira Toriyama deu o nome da técnica “Kamehameha“! Sim meu filho! E também o próprio Akira diz que essa é a técnica que ele + gosta (só pode ser, afinal foi a esposa que deu o nome kk).

A Segunda é que, acredite se quiser, o Kuririn (ou Krillin segundo a dublagem americana hehehe) realmente NÃO TEM NARIZ! Akira explica que ele tem uma idiossincrasia que o permite respirar através dos poros da pele — eu era + feliz antes de saber disso kk

chi-chi gif

Outra curiosidade (essa também meio besta) é que quase todas as mulheres de Dragon Ball e Dragon Ball Z criadas pelo Toriyama são Tsunderes (gritam, esperneiam, são retadas mas no fundo são um doce). São elas: Chichi, Bulma, Videl e Lunch (que tem duas personalidades: uma pirada e uma boazinha).

A única que não seria “enquadrada” como Tsundere é justo a mais forte delas: a androide Nº 18. Tudo isso me faz pensar que Toriyama com certeza tem a última palavra em casa: “Sim querida, vou fazer agora!” kk E ele está certo viu!

ps: Não contei Pan e Bra porque Dragon Ball GT não é Cânone.

Fontes: Entrevista de Akira Toriyama [Link] / Kuririn (Wikipédia): [Link] / Dragonball wikia pt-br: [Link]

Autora de Fullmetal Alchimist faz o Mangá e a Arte do Anime Arslan Senki; ela é também Autora de Gin no Saiji (Silver Spoon)

Hiromu Arakawa autora de Fullmetal e de Arslan SenkiPois é meus amigos… você que conhece Fullmetal Alchemist (e com certeza ama, porque todo mundo que conheço e viu Fullmetal adora) vai ficar surpreso de saber que a autora Hiromu Arakawa (42 anos) é também autora da obra “vamos para o campo conhecer a roça?” Gin no Saiji (Silver Spoon). Digamos que eu vi a primeira temporada de Gin no Saiji e gosto muito do anime.

E para fechar… você que viu o anime Arslan Senki que saiu na Temporada Passada talvez fique surpreso de saber que ela também desenhou o “Character Design” do Anime e faz o mangá dele (aliás, o anime é baseado no mangá publicado pela Hiromu Arakawa!).

Arslan Senki
Arslan Senki

Lembrando que a obra original de Arslan Senki na verdade é uma Light Novel de 1986 e que continua sendo publicada ATÉ HOJE, cujo autor se chama Yoshiki Tanaka — e o manga da Hiromu, obviamente é uma adaptação dessa LN. Outra coisa interessante é que essa vaquinha aqui nas imagens (embaixo) é o símbolo da Hiromu Arakawa como mangaká!

Fontes: Hiromu Arakawa (animelist): [Link] / Animes da Temporada de Primavera (2015): [Link] – Afontegeek / The Heroic Legend of Arslan (wikipedia): [Link]

A Autora de Inuyasha e Ranma 1/2 é…

Rumiko Takahashi autora de inuyasha e ranma

Rumiko Takahashi, a autora de obras como Inuyasha e Ranma 1/2 é simplesmente a autora (mulher) de quadrinhos/ mangás que mais vendeu obras ao redor do mundo, com mais de 100 milhões de copias vendidas (de diferentes trabalhos seus) em todo o planeta!!

E mesmo hoje ela continua trabalhando: sua última obra a ter ganho uma adaptação em anime foi Kyoukai no Rinne. Se você é fã dela, tem muito o que se orgulhar viu!

ps: Ela também nunca casou! O.O Não quer dizer que ela não tenha tido experiências amorosas. Né? NÉ???

Fonte: Rumiko Takahashi: [Link] Baka-Updates /Animes da Temporada de Primavera (2015): [Link] – Afontegeek / Rumiko Takahashi Biography [Link] – Site Oficial dela

——————–

Espero que tenham curtido o post viu pessoal! Aproveitem a vejam a PARTE 2 desse especial sobre as Curiosidades dos Animes!

Vejo vocês lá!

O que são Animes feitos de Visual Novel e Qual Importância da Key nos Animes?

Este é um daqueles posts em que eu sempre procuro trazer aos nossos amigos e amigas. Neste trato dos animes que são feitos a partir de Visual Novel, e qual a importância da Key/ Visual Arts (um das maiores produtoras de Visual Novel) na História dos Animes.

planetarian

O que são Animes feitos de Visual Novel e Qual Importância da Key nos Animes?

Entendendo Assuntos Nerd e Otakus da Cultura Pop

O que são Animes Shonen, Shoujo e Seinen?O que são Animes feitos de Visual Novel? Quais são os tipos de Roteiros de Animes? – O que é uma Graphic Novel? – O que são Filmes Space Opera?O que são Épicos, Romances e Novelas? – O que são Animes e Cartoons? — Como são os Desenhos (Cartoons) da Atualidade e do que eles Falam? O que é Tsundere, Yandere, Kuudere e Dandere (Moe) dos Animes?

Empolgado com a Review de Planterian, resolvi falar o pouco que sei sobre Visual Novel. Até porque Planetarian se trata de uma Kinect Novel (é uma Visual que não é um game). Vamos lá!

De modo geral, Visual Novel  são Games de múltipla escolha. Geralmente as VNs japonesas são de “conquistas” (de conquistar meninas ou meninos; a primeira voltada ao público masculino, a segundo ao público feminino); e você pode conquistar mais de uma personagem (o que vamos chamar de “rotas“, ou no caso dos animes, “arcos“).

Então nas VNs, você pode seguir a rota da “aluna tímida”, e depois da “aluna tsundere”, até conseguir fechar o game. O mesmo vale para as VNs voltadas ao público feminino. Quando essas VNs são adaptadas para animes, temos “arcos”. Então o personagem principal vai passar pelos arcos das meninas — mas a depender do objetivo do diretor, não quer dizer que vá conquistar todas, mas que vai passar pelos arcos das personagens.

Animes Baseados em Visual Novel

Kimi ga Nozumo Eien
Kimi ga Nozumo Eien

Fiz reviews aqui no site de diversos animes baseados em Visual Novel. Recordo de Mashiroiro Symphony (um dos haréns que mais gosto!) e do  “meu Deus como eu odeio” Kimi ga Nozumo Eien (drama). Geralmente os diretores dos animes ao portar Visuais Noveis para animações, têm um objetivo bastante claro na “passagem de mídia”, porque algumas das Visuais Novel também são Eroges…

Mas Peraí… O que são Eroges? Se você assistiu o engraçadíssimo harém Boku Wa Tomadachi, ou o chatíssimo Oreimo, tem uma noção de que Visual Novel Eroge contém cenas de “sexo” +18.

Shingo, porque não basta ser cavalheiro, tem de ser prestativo!
Mashiroiro Symphony: Shingo, porque não basta ser cavalheiro, tem de ser prestativo!

Os animes que fiz as reviews (Mashiroiro e Kimi ga) são Visual Novel Eroges, o que quer dizer, que no final da conquista acontecem a cenas de sexo. Ou seja, o jogador se mata de conquistar as personagens para que aconteça a querida ceninha onanista, rs.

Mas para quem viu Mashiroiro e Kimi ga Nozumo, sabe que no primeiro não acontece cenas de sexo — apenas ceninhas ecchi e muito Moe — enquanto em Kimi ga dão a entender que acontecem, mas sem “passarem tudo”, porque afinal de contas não são Hentais.

Outro dia terminei um anime com muitas tretas também baseado em Visual Novel Eroge: White Album. O processo foi parecido com o de Kimi ga, só dando a entender que tem sexo.

Spoiler: A melhor de todas: Não vou dizer que é a irmãzinha, mesmo que seja ela...
Yosuga no Sora (o ecchi que as meninas também amam). Spoiler: A melhor de todas –Não vou dizer que é a irmãzinha, mesmo que seja ela…

Então o objetivo do diretor fica bastante claro quando foca o “Eroge” dos games ou não. Mas em qualquer dos casos, mostrando ou não o “sequiço”, o diretor procura manter o Sentido da Obra — como aliás ocorre quando se passam de Mangás para Animes.

Para citar um exemplo de Visual Novel Eroge, aonde a versão animada tem cenas “pornô”, eu cito o interessante e fraco Yosuga no Sora. As cenas ecchi são muito fortes, e a ideia foi mostrar o herói da história conquistar cada uma das personagens (mostrando quase tudo na hora “H”), deixando “a Melhor” para o final.

Qual a Importância das Visual Novel?

White Album: O anime das Tretas!
White Album: O anime das Tretas!

A primeira coisa que o amigo leitor deve pensar é na questão econômica. As Visual Novel passam para a versão animada se venderem bem, ou se fazerem certo sucesso com o público ou crítica. Na realidade é o mesmo processo com as Light Novel (que são como Roteiros Ilustrados) e mangás. Se vender bem, viram Anime. Se o anime vende bem, ganha novas temporadas.

Também na maioria das vezes Visuais Eroges são classificadas como “Seinen, por terem histórias mais sérias. Mas mesmo algumas que não têm as ceninhas onanistas podem ser chamadas de Seinen…

A maior das Obras-primas da Key (em minha humilde opinião). Tão bom que para mim... não é só Seinen.
Clannad: A maior das Obras-primas da Key (em minha humilde opinião). Tão bom que para mim… não é só Seinen.

Uma característica interessante das Visual Novel — eu não posso falar muito do assunto porque não joguei nenhuma, mas falei com muitas pessoas de fóruns que jogaram e também tenho um amigo que jogou uma — é que elas costumam ser longas. Imagine um tamanho de um RPG. Por ai… talvez maior.

Mas de um modo geral, a “fórmula” das Visual parece meio batida. Personagens Moe, cenas kawaai, tsundere… Parece (não posso afirmar com  certeza) que foi assim até o inicio da década de 90…

Referência da Key nos Animes e Visuais Novel

Kami Nomi faz uma Homenagem à Key no último episódio da segunda temp. se bem lembro: Como a melhor Visual Novel que o carinha jogou. A heroína lembra a Ayu de Kanon.
Kami Nomi faz uma Homenagem à Key no último episódio da segunda temp. se bem lembro: Como a melhor Visual Novel que o carinha jogou. A heroína lembra a Ayu de Kanon.

Até o aparecimento da Key! Esses games parece que não eram “tão importantes”, porque tudo é “meio bobo” mesmo. Mas a Key desde antes dela, com a Tactics (com muitos fundadores da própria Key) começou a abordar questões sérias, dramáticas, profundas e argumentos lindíssimos nas suas histórias.

A verdade é que parece que tanto as Visual Novel quanto os Animes ganharam e mudaram muito, graças a nova referência nos dramas: a Key.

Ano Hana (2011) tem muitos elementos de Little Bustes, cuja Visual Novel é de 2007.
Ano Hana (2011) tem muitos elementos de Little Bustes, cuja Visual Novel é de 2007.

Não posso dar certeza, mas não apenas em questão da Key — e ainda com a Tactics — ter iniciado o que começou a ser chamado de Crying Games (Games feitos para o jogador Chorar) mas é possível que até os Romances nas Visuais Novel tenham se aprofundado com a herança dela.

Sem falar nos animes/mangás de Drama; o anime que tiver por exemplo, “luzinhas subindo para o céu”, tem referência da Key: Ano Hana, Hentai Ouji, Ef: A tale of memories… só alguns.

Obra e graça de Jun Maeda
Angel Beats: Obra e graça de Jun Maeda

A Key é a autora de Visual Novel que viraram os seguintes Animes (obras-primas): Kanon e Kanon (2006), Clannad e Clannad After story (essa a Maior obra-prima da Key), Air Tv, Little Busters e LB Refrain. Animes: Angel Beats (com autoria do gênio e um dos fundadores da Key: Jun Maeda) e Sola (autor ex-participante da Key, escreveu Kanon). Esqueci algum?

E o que são “Crying Games” – A Fórmula da Key.

One: Kagayaku Kisetsu, ou One True Stories (linda versão hentai), uma das obras da Tactics
One: Kagayaku Kisetsu, ou One True Stories (linda versão hentai), uma das obras da Tactics

Vamos ver o que a Wikipedia ING nos diz:

“Uma comédia na primeira parte, com um romance caloroso no meio, seguida por uma trágica separação e finalmente, uma emocionante reunião formam o que ficou conhecido como “Crying Games”. A ideia principal deste tipo de game é fazer o jogador “sentir” pelo personagem, e fazê-lo chorar durante os cenários mais emocionantes, que servem para deixar um grande impacto no jogador, depois que o game termina. O segundo título da Tactis, One: Kagayaku Kisetsu, foi feito baseado nessa fórmula.”

A Wikipédia vai continuar dizendo que até um autor de games de Terror utilizou essa fórmula para fazer sua obra. Ele se chama Ryukishi07, jogou os games da Key tomando-os como referência, e os analisou tentando entender o motivo deles se tornarem tão populares.

Para ele o segredo é a história começar com dias normais e mesmo felizes, mas de repente algo acontecer e fazer o jogador “chorar” com isso. Nas palavras dele: a Key é um “Masterpiece Maker“, ou uma Criadora de Obras-Primas.

Kotomi-chan...
Kotomi-chan…

Eu acrescentaria a importância simbólica, associativa, musical e psicológica encontrada em todas as obras Key que vi (versões animadas) — inclusive Planetarian. Por exemplo, tomando o arco da Kotomi (Clannad), temos símbolos apresentados no começo — o urso e o violino — a música de fundo própria da sua personalidade assustada com o “mundo lá fora”.

No fim vimos ela desde criança ligada ao violino e ao urso de pelúcia — quando seus pais antes de morrer enviam o ursinho de pelúcia com a mensagem na maleta para ela aproveitar os bons e tristes momentos da vida, porque viver é Descobrir e se Redescobrir. A ligação associativa é claríssima.

Key e Kinect Novel

planetarian reverie 1
“Parece como uma… jovem e baixinha mulher.” Planetarian o game que não é game.

E Inovando mais uma vez, a Key/ Visual Arts resolve lançar um novo tipo de Visual Novel. Dessa vez sem “rotas” para o jogador escolher. Não é um “game”. É um conto. O leitor só deve ler e seguir a história. Mais do que isso, Planterian inaugurou os “Romances Multimídia”, com fotos, símbolos e músicas: são as ainda raras Kinect Novels.

E é dela que eu falo na mais nova Review do Afontegeek. Como eu disse, não joguei nenhuma Visual Novel — pelo motivo de me dizerem delas serem tão longas quanto RPGs. Mas espero ter ajudado um pouco aos leitores entenderem o que elas são, a importância delas, e os motivos dos diretores em cada “porte” que fazem ao transformá-las em animes.

Planetaria: O sonho de uma pequena estrela
Planetaria: O sonho de uma pequena estrela

Para terminar, espero que apareçam mais Kinect Novels — os Livros/Contos com música e imagens. Adorei conhecer uma e seria interessante mais algumas com os elementos que citei.

ps: Todos os fãs e fontes online dizem que o maior gênio por trás da Key é um dos fundadores: Jun Maeda. Pesquisando, até algumas músicas foi ele quem fez. Eu não sei vocês, mas considero o cara um gênio!

Fontes:

Key: [Link]/ Eroges: [Link]/
White Album: [Link]/ Sobre Kinect Novel: [Link]
Visual Novel Database: [Link]/ Mashiroiro Symphony: [Link]