Arquivo da tag: Anime review

Kono Oto Tomate: Escute esse Som – Indicação do Anime

PierrotGluton não para meus amigos e amigas! Desta vez indicado um anime que tem aquela cara de shoujo, aquela cara de slice of life, mas que sempre tem aquele algo mais, que só os japoneses são capazes de proporcionar. Vamo ver o que ele acha? Bora!

Kono Oto Tomate: Escute esse Som – Indicação do Anime

Os japoneses são bem bairristas, os monstros só atacam lá, somente japoneses são evocados para outros mundos e por aí vai. Mas… no caso temos algo que realmente só tem no Japão, uma “harpa deitada” que é um dos instrumentos mais tradicionais do Japão.

A trama gira em torno de um clube de koto que está prestes a fechar, restando apenas um membro. A ele se juntam um “delinquente”, uma virtuosa instrumentista solo, uma patricinha despeitada, três cabeças de vento, orientados por um músico/maestro fora da curva… Plot de um anime chato pacas não é?

Errou! A trama e os personagens são tão bem desenvolvidos que o balizador de um bom anime se apresenta… assistir e acabar sem você perceber que o tempo passou. Venha se apaixonar por personagens, músicas e casais que se formam. Um shoujo escolar com doses bem pensadas de drama, numa grata surpresa de um tema bem out side.

Aproveitem e deem aquela passada na página do AMS Scan Oficial.

Blade – A Lâmina do Imortal (Mugen no Juunin): O que pensar da Imortalidade? – Indicação do Anime (2019)

Grande pierrotGluton. Provando que a imortalidade existe até no Brasil, terra que nunca houve um “Brasil Feudal”, ele nos traz uma bela indicação do anime Blade of the Immortal, também conhecido por aqui como Blade, A Lâmina do Imortal. Ele que já leu o mangá quando era mais novo, resolveu dar umas bisbilhotada no anime deste ano (2019) produzido pela Amazon. Vamos ver o que o velho amigo achou.

Blade – A Lâmina do Imortal (Mugen no Juunin): O que pensar da Imortalidade? – Indicação do Anime

A poucos dias, a Amazon lançou um remake de um mangá já lançado no formato de anime. Não assisti aquela primeira versão. Vamos contar como conheci Blade, a lâmina do imortal (Mugen no Junin). Na década de 90, ainda influenciado pelas revistas Marvel, não me sentia muito atraído por qualquer outra coisa (sim, fã boy), mas por alguma razão, uma revista, um mangá me chamou a atenção.

Era Blade. Não, não confundam o Blade do Wesley Snipes… A história se passa no Japão da era Tokugawa (saudades Samurai X), onde um samurai sem patrão (um Ronin) vagueia tentando se redimir de seus pecados… Na primeira cena, o sujeito é retalhado… Morto deveria ser, mas morto não estava (Yoda me inspirou).

As partes cortadas se juntavam com minhoquinhas puxando os pedaços cortados e fazendo se juntar novamente. Não vou relatar sobre detalhes dos plot e tal… Mas o nível de carnificina me lembrou os de revistas de terror dá década de 80. Eis que esses dias… Sem pretensão… Assisto ao primeiro episódio… E fico deslumbrado… Que obra meus amigos… Que artes lindas de se ver… Não tenham esperanças… Não pensem em roteiros melosos e grudentos… Grudentos de sangue talvez…

Trazendo que a vida, mesmo a de um imortal é feita de sangue, dor e solidão. Algo corriqueiro no universo japonês… No entanto… Há poesia, mesmo no lodo… E as flores surgem dos lugares menos esperados… Assistam.

Até Samurais sanguinários em busca de redenção têm waifus…

Review do velho no AMS Scan: [Link] passem lá e curtam a página.