Arquivo da categoria: dos Autores

Batman – Resenha: O Morcego na Cultura pop – Um Herói entre os deuses do Olimpo

O post que vocês vão ler agora sobre o Batman é uma espécie de Analise sobre o conceito e o que o morcego significa, depois de eu ter lido Cavaleiro das Trevas e também Piada Mortal. Qual o Significado do Batman na Cultura/POP? Qual o sentido de Super-Herói e Herói? Boa leitura!

batman-the-dark-knight-returns-part-1-01

Batman – Resenha: O Morcego na Cultura pop – Um Herói entre os deuses do Olimpo

Muito bem senhoras e senhores, bem no fim das minhas férias eu venho para fazer criticas. Tenho alguns textos na fila, e como sei que animes costumam dar uma canseira danada, venho falar de uma questão sobre o Batman que talvez seja deveras interessante.

Dividi o texto em duas partes: a primeira aonde eu discuto a questão do “Vigilantismo” que é muito presente no batmorcego, e depois sobre o conceito de Super-Herói e Herói, que também é longamente discutido em qualquer bom quadrinho do morcegoman.

Vamo la!

Afinal, o que é ser Vigilante?

watchmen-em-quadrinhosDepois de ter lido Watchmen e… para a falar a verdade a vocês, ter gostado muito pouco, até porque eu não gosto tanto da escrita do Alan Moore; fica claro que apesar de não tratar exclusivamente nisso ou não focar muito o tempo inteiro, um dos grandes problemas (o plot principal que dá motor à história) é, como lidar com os vigilantes? Quem vigia os Vigilantes?

Ourto fato interessante também, é que na verdade todos os personagens de Watchmen foram inspirados em outros que já existiam, e que na época, se bem recordo, haviam sido comprados pela DC; e inspirados de outros quadrinhos também. Sigam o link da Wikipédia abaixo para entender melhor.

Batman e o Vigilantismo

batman gottam
Batman e sua Gottam

Voltando ao ser vigilante em Batman, vamos falar do conceito. Ser vigilante é proteger a cidade (ou o mundo) do crime, mesmo que sem o aval da policia. Nisso você pode passar por cima da lei, ou qualquer coisa do tipo. É usar uma máscara, esconder o rosto, e dizer “Eu sou a noite“. Mas interessante, que outro herói também é tratado como um vigilante: Homem-Aranha.

Mas ele não é tratado como um vigilante no seu si. Por exemplo, o Batman sabe que é um vigilante. Ele sabe que ele não está a serviço da polícia, ou da política, mas da Justiça. E não importa a HQ ou desenho, ele vai tocar no assunto — se o autor respeitar o personagem.

j-j-jameson
Uma caricatura…rs

No Homem-Aranha quem fala “Seu mascarado, isso é trabalho da polícia“, “Você não me engana, você está mancomunado com o Duende Verde“, “Cabeça de teia maldito, se você é tão bonzinho, tire a máscara, só bandidos usam máscaras!” é o J. Jonah Jameson Jr. Ali o autor trabalha a questão do Vigilantismo, do “fora da lei”. Parece palhoça, mas dificilmente vemos isso em outros super-heróis.

batman cavaleiro das trevas

No Batman o Comissário Gordon, com vimos no Cavaleiro das Trevas (HQ), não apenas atura, suporta, e ajuda o Batman. Nas palavras dele, “O Batman é além de tudo isso, é maior do que eu“, apesar que caso o Batman queira matar, ele está ali para impedi-lo.

Aliás, Cavaleiro das Trevas trabalhou muito bem isso com a nova Comissária, que trata o Batman como um “fora-da-lei”, um vigilante, coisa que ele é mesmo — e ele sabe que é.

The Legend of Zorro
Catherina Zeta-Jones, a musa de 10 entre 10 nerds…aiai

Revisando o conceito de vigilante: Alguém que age sem ser da força policial. O Batman sabe disso e comenta sobre isso. Eu arriscaria que a luta dele contra o Superman foi exatamente por isso: nem sempre o Governo tem razão, é preciso que alguém se arrisque em favor da sociedade.

Sim, até aí nada demais. Mas o Batman é algo além de vigilante. Pode-se dizer que na constituição dele — inspirado no Zorro, em filmes antigos do Drácula (fãs ajudem!) e sua forte questão moral, que ele é algo além de um vigilante.

Mas ele não é um super-herói.

Batman, o Herói grego Moderno

Batman.o.cavaleiro.das.trevas.02 post

Super-herói é exatamente o que o conceito diz: Além de herói. Supera e muitos as capacidades humanas. Voar, super força, alguma habilidade própria: adquirida (aranha radioativa), ou que faz parte do super (ser um alien que ganha poderes pelo nosso sol amarelo).

Até o Homem de Ferro não dá para comparar com o Batman, porque adquiriu junto com sua inteligência, habilidades suprahumanas. Como um professor meu que é fã dele diz: “O Homem de ferro se reconstruiu, se refez como pessoa“.

Batman não é nada de supra.

homem de ferroMas aí me falam “o super poder do Batman é o dinheiro“. É o dinheiro. Mas Ele não é o Dinheiro.

Vamos analisar melhor. Alguém que deu o melhor de si para se tornar a pessoa mais forte possível. Sabe tudo de artes marciais, é altamente preparado, tem uma inteligência absurda (melhor detetive do mundo), mas que no fim não voa nem nada: Batman meus amigos é um Herói.

Sabe Ulisses da Odisseia?

Ulisse alla corte di re AlcinooUlisses ficou perdido de Ítaca (aonde era rei), e teve que enfrentar monstros, deuses (se bem lembro), desafios de razão e contava com ajuda da sua ‘guia espiritual’ Pallas Athena, a deusa da Astúcia. Tudo isso para voltar a ser rei. Vocês lembram de alguém?

Como Ulisses que usou a razão para escapar de diversos perigos, como por exemplo ele se amarrou no seu barco para não ser enfeitiçado pelas sereias, ou não comeu uma fruta deliciosa que deixou seus soldados entorpecidos, e presos numa ilha (eles morreram lá?).

Athena pallas athena wall

O único super poder de um herói, que não é super coisa nenhuma, é a Razão, a astúcia. E claro, uma preparação absurda. Mas como Ulisses tinha a deusa Pallas Athena como Guia (quando ela disfarçou Ulisses de velho para ele poder entrar na sua cidade sem ser percebido), Batman tem o dinheiro. Ambos, Athena e Dinheiro, são ‘super’, mas nenhum nem outro é o Herói.

Bruce poderia ter ficado mais louco (Bruce é meio maluco) e torrado tudo, ficado pobre. Ulisses poderia ter comido aquela fruta deliciosa, ter ficado inebriado, e nunca mais veria a Pallas Athena. Athena o ajuda e protege, porque ele merece, e Bruce não fica mais rico se não for inteligente para gastar bem seu dinheiro — inclusive consigo mesmo.

Batman.o.cavaleiro.das.trevas. 04 post

Batman, portanto, Não é um super-herói. A sua própria construção foi pensada para ele ser um herói — acima de tudo Humano. Um Zorro que lutava pelo povo. Um herói que luta por Gotham. Mas como Ulisses, ele enfrenta deuses, seres mitológicos, monstros, e ganha o respeito do Olimpo, pelo bom uso da singela força humana: A Razão — O Batman e seu clássico “Eu tenho um plano“.

Batman é mais próximo de um bombeiro que se arrisca pelo amor ao próximo do que do Superman. Batman é um conceito de herói. O máximo da coragem do homem. Um herói Moderno.

liga da justiça originalTalvez por isso ele tenha tantos fãs e os roteiristas gostem tanto dele, porque Batman é um humano em meio a deuses. Um herói homem no Olimpo.

Abraços Batamigos, rs!

Puella Magi Madoka Magica – Review: É o Melhor Anime Maho Shoujo de Todos?

E no “Conversando sobre Animes” venho falar de um do textos que mais rendeu “tretas” aqui para o Afontegeek. Antes de tudo, peço para que “peguem leve” por se tratar só de uma humilde opinião. Mas então… Você acha Madoka Magica O melhor Anime Maho shoujo de todos? É o que veremos no texto a seguir. Boa leitura!

05

Puella Magi Madoka Magica – Review: É o Melhor Anime Maho Shoujo de Todos?

Oi pessoal, bem-vindos ao  “Conversando sobre Animes” de Madoka Magica, ou Maho Shoujo Madoka Magica, ou ainda Puella Magi Madoka Magica. Por se tratar de um anime “mainstream” atual, e ter diversas criticas a seu respeito, vou direto ao assunto neste texto com muitos Spoilers.

Vamos falar de três coisas aqui. O primeiro ponto a se pensar é em Sacrifício; o segundo é no público alvo: o Feminino; e por fim na questão de “Aonde estão os Homens na história?“, que é ligada ao público alvo. Lembrando que se trata só de minha humilde opinião (bem argumentada) de quem não sabe nada, então calma fãs, é só minha opinião.

madoka
Quem vê essas meninas não imagina que quase todas morrem o.O

O Sacrifício

Que é sacrificar-se? É dar-se pelo outro. Mas só há sacrifício de fato, quando você perde algo que lhe sensibiliza, lhe dói, e mesmo lhe Transforma. É uma característica essencialmente humana. Como a Madoka — que se “sacrifica” virando uma “deusa”,  (o que se trata de uma grande referência à Lain, de Serial Experiments Lain) para impedir que mais garotas mágicas se tornem bruxas…

Vamos com calma.

Mahou Shoujo Madoka Magica - 10 - Large 37
Ótima cena!

As bruxas são as próprias Maho Shoujos, o que quer dizer que não apenas o mal está nelas mesmas, como se transformar numa é “não vivenciar” a dor que de fato se sente. Em verdade, se transformar em uma “Bruxa” é evitar a dor, deixando-se de ser, consciente de si mesma.

Para piorar, quando a Madoka evita que as “garotas mágicas” se transformem em “bruxas”, ela evita que elas vivenciem a dor, evita que elas sofram, evita que elas cresçam como pessoas. Além deste “sacrifício” que a Madoka faz — como vimos, a Madoka se torna um meio das “garotas mágicas” fugirem dos problemas — ela sacrifica o amor que sente pela sua “melhor amiga”.

Eu não sei se os japoneses sabem, mas no início da poesia, os poetas/trovadores faziam canções de “amigo”, que eram endereçadas para suas amadas. Ter uma amiga, portanto, era ter uma amada.

madoka e homura
Sim elas se amam!

Acho que os japoneses não sabem disso. Mas é claro que todo o sacrifício que a Homura faz para que a Madoka exista, é porque ela a ama — e ao meu ver, é correspondia pela sua “amiga”. Só pra constar, o episódio onde a Homura mostra tudo o que passou pela Madoka, é de longe o melhor de todo o anime.

Por que o autor não quis que elas ficassem juntas? Todo Maho Shoujo tem romances “proibidos”, ou amores não correspondidos. Que o digam Sailor Moon e Card Captor’s Sakura. Então não entendi bem o motivo do autor/diretor “esconder” o profundo amor que a Batman, digo, a Homura sentia pela Madoka, e que bem sabemos, a Madoka retribuiria.

Todas se "sacrificam" e não se sacrificam: Por que não sentem a mudança, ou a tristeza...
Todas se “sacrificam” e não se sacrificam: Por que não sentem a mudança, ou a tristeza…

O anime fala de Sacrificar-se

Falando assim, parece que somente o nosso casal acima é o único que se sacrificou no anime. Errado! A Sayaka se sacrificou pelo Kamijou, a Kyouko primeiro pelo pai, depois pela própria Sayaka, e por fim a Mami que se sacrificou por ela mesma — não conta ela tentar salvar a Madoka daquela bruxa.

puella_magi_madoka_magica-02-mami-shaft
A Mami foi de longe a que mais gostei: Se sacrificou para continuar vivendo.

É claro como a água que o anime fala de sacrifício. Certo que eu só percebi isso quando a Madoka virou a Lain, digo, a “deusa”, rs. A questão são os motivos dos sacrifícios e a não vivência das tristezas no argumento do anime — que possui um Roteiro pós-Clássico frequente em Maho Shoujo, óbvio.

Repito, ficar triste faz parte de crescer, e se transformar em “bruxa” ou “deixar de existir” é simplesmente não vivenciar essas dores que nos constituem enquanto tais. O anime peca como uma boa obra, por defender “fugir dos problemas”, o que acaba nos fazendo não sentir as mortes, ou melhor, os sacrifícios das meninas — Há um real sacrifício se nós nem elas, não os sentimos? Mahou-Shoujo.Madoka-Magica

Público Alvo: Meninas

E isso cai diretamente no público alvo. O anime é um anime feminino. Não há presença importante de homens. As questões e necessidades são as “sentidas” pelas meninas, assim como as “grandes conversas” do anime como a que a Madoka teve com sua mãe: “às vezes é preciso deixar o outro errar”, reforçam a feminilidade da obra.

Não acho ruim isso não. ARIA, por exemplo, é um anime voltado para o público feminino e isso é um ponto capital — ARIA é 10 pessoal — mas Madoka simplesmente não consegue falar de fato dos sentimentos das meninas. As mortes não podem ser sentidas, a Homura vira uma “robozinho” depois de tanto voltar no tempo, e o sentir é sempre controlado, racionalizado, filtrado.

Tudo o que as meninas não podem é sentir, sentirem-se mulheres. E as que se sentem, como a Hitomi Shizuki, podem ser mal-vista pela audiência por “roubar o namoradinho da amiguinha”. Sinceramente me pergunto se os autores Sabem falar com o público feminino, se tanto excluíram a presença “do outro lado” no anime. puella_magi_madoka_magica-05-sayaka-sword

O outro lado: Aonde estão os Homens na história?

O pai da Madoka é ausente a tudo, assim como o Kamijou usufrui sem agradecer o seu “milagre”. Confesso que me preocupou essa ausência, ou falta de preocupação com o outro lado (conosco, com os homens).

É basicamente como ver Kingdom ao inverso: só aparece Uma personagem feminina no episódio 15 +/-. Além disso, ao meu ver, o futuro do anime é um futuro fortemente Feminino. Além de não haver presença “do outro lado”, no fim do anime com a não mais existência das “bruxas”, figuras “masculinas” formam o aspecto do que seria “o mal”.

Confesso até aqui certa preocupação. Ensinar as meninas a fugir dos problemas e tentar viver alheias do sexo oposto? Talvez seja muito forte a segunda proposição. Vamos dizer que, “o anime não fala com o público masculino” e fechar o assunto. homura-akemi

Conclusão

O anime ao meu ver, me perdoem os fãs, é fraco. Assisti ele até o fim porque gosto de “sangue”. Apesar de amar a Mami, saber que ela foi morta decapitada, me fez continuar. Foi realmente uma sensação estranha ver todas aquelas meninas morrerem, uma após a outra, e simplesmente não sentir nada, porque a única que mostrava algum sentimento era a Madoka.

MahouShoujoMadokaMagica225 mami
Mami = Moe = Eu gosto! rsr

E mesmo assim, a Madoka estava tão alheia com a/o Kyuubey para tentar descobrir como parar aquele “mal” — Kyuubey “não tinha culpa”, ele estava ali para continuar a existência da espécie dele; era um Soldado — que não tivemos tempo, nós, público, de chorar/sentir, as mortes da Mami, Sayaka, Kyouko, ou mesmo sofrer porque a Homura havia perdido o grande amor da sua vida.

Ou seja, não conseguimos vivenciar as grandes questões do anime, porque os personagens não trabalhavam essas emoções — elas não podiam ficar tristes lembra? — e por não poderem vivencia-las, é claro que elas não cresciam como… Personagens.

Mahou_Shoujo_Madoka_Magica_-_11_-_Large_17
Essa mina é muuito sensacional!

Vou fechar esta review repetindo o argumento do anime: Fugir dos problemas, como Evitar a morte de seu grande amor, ou evitar vivenciar a tristeza (se transformando em “bruxa” ou deixando de existir), de forma alguma é ao meu ver, um bom argumento, não importa para que público seja.

Ensinar as meninas a não encarar os problemas é uma tolice sem tamanho. O anime é ruim, assim penso. Indico (para Todos!) Black RockShooter por ele falar justamente do contrário. Crescer e renascer como uma fênix, diante das diversidades da vida.

Nota: 8,0 – 7,5

Fontes e Ficha do Anime:

Wikipedia ENG [Link]
AnimeList [Link]
Diretor: Akiyuki Shinbo [Link]
Escritor: Gen Urobuchi [Link]
(Gen Urobuch também é autor da Light Novel de Fate/Zero da Type/Moon e parece que participou de muitos outros animes conhecidos)

Feliz Natal a Todos, de toda a Equipe do Afontegeek!

Um post de Feliz Natal direto do pessoal do Afontegeek para vocês. Nele trago as novidades do site deste ano e também do próximo. Como fã de Star Wars não poderia faltar alguma coisa a respeito né? darth-vader-natal

Feliz Natal a Todos, de toda a Equipe do Afontegeek!

Não costumo postar nada comemorando o natal. Quem fazia isso era o antigo dono do site. Mas haja visto que agora sou o editor-chefe, resolvi deixar algumas mensagens.

Click aqui e curta a página do AMSScan no Facebook!

AMSScan no Facebook

Antes de tudo quero agradecer imensamente aos nossos grandes editores. Primeiro ao PierrotGluton que me deu uma grande força quando ainda estávamos voltando a editar o blog —muito graças às suas belas reviews. E também claro, por ele fazer parte do AMSScan e estarmos divulgando essa ótima tradução do mangá Ah! Megami-Sama aqui no site.

spice and wolf project brasil

(Página do Facebook)

Venho dizendo há um tempinho já, que o site nunca teve um conteúdo tão interessante e diversificado como agora. E ainda temos um pouco as notícias que foram o carro chefe do site. Assim como ter a presença tanto do Ah! Megami-Sama Scan, como do Spice and Wolf project Brasil, principalmente os posts dos nossos editores enriquecem demais o nosso conteúdo — eu acho né? rs

Por fim, um Obrigado Gigante ao nossos leitores e leitoras, em especial àqueles que comentam com sobriedade, carinho e argumentação. Sim Nekomimi, também estou falando com você cara!

darth_vader_com_gorro_Natal É isso pessoal, espero que esse ano finalmente minha Estrela-da-Morte fique pronta, porque como venho dizendo, dominar o mundo é para os fracos, o negócio é ter sua própria Estrela-da-Morte, Yeah! Que Deus sempre esteja conosco, Feliz Natal a todos com muita felicidade, saúde, e em vez de ouvir Simone, vamos ouvir a Marcha Imperial!

Neon Genesis Evangelion – Review: O Terror Absoluto da Solidão!

E aqui temos um texto feito pelo meu irmão e amigo Vo0d1s, que cursou filosofia na UFBA comigo. Como ele é um fã irrestrito de Neon Genesis Evangelion, me pediu para colocar esta pequena Review que ele fez do anime. Boa leitura pessoal!

"Evangelion", finalmente poderá ter seu fimNeon Genesis Evangelion – Review: O Terror Absoluto da Solidão!

Uma vez, vendo documentários sobre evolução, um estudo em particular me chamou atenção. Um biólogo se dedicou a estudar porque os seres vivos possuem uma borda que os separa do ambiente; uma pele, carapaça, escamas ou o escambal que nos separa do resto do mundo externo.

A Humanidade

A resposta que ele encontrou foi que, no início da vida, os coacervados que formaram as primeiras células auto-replicantes (células de RNA) se juntaram dentro de bolhas na sopa fervente da vida, onde encontraram segurança suficiente para continuar se reproduzindo e evoluindo ate formas mais complexas de vida.

Primeiras proteínas, protegidas pelas bolhas de água.
Primeiras proteínas, protegidas pelas bolhas de água.

Com a humanidade essa diferenciação alcançou níveis astronômicos. Somos a única besta que grita “EU” no coração do mundo! Diferenciamo-nos não apenas com relação ao nosso entorno. Defrontamo-nos com o mundo usando os sentidos e a razão; com as experiências sensíveis criamos mundo pela linguagem e ação; além de tudo desenvolvemos Personalidade a partir das vivências que acumulamos durante a vida.

O Campo A.T. e Aquilo que Somos

Neon-Genesis-EvangelionTudo isso nos torna diferentes do restante da vida, porque cada exemplar da humanidade é fundamentalmente único e possui uma personalidade precária. A nossa personalidade é precária porque vivenciamos apenas uma pequena parte da infinitude de possibilidades do mundo.

Isso aprofunda a nossa solidão, uma vez que o que vivenciamos e o que não vivenciamos constituem a totalidade da personalidade. Somos formados pelo que somos e pelo que não somos ao mesmo tempo.

Disso que se trata a simbologia do A.T. Field (Campo de Terror Absoluto) em Neon Genesis Evangelion. O Campo de Terror Absoluto, responsável pela defesa sobrenatural dos Anjos e o diferencial da arma Evangelion é – como afirma Kaworu no Episódio 24:

“A região sagrada que não pode ser invadida por ninguém”.

Nem Deus pode transpassar a solidão do Campo A.T!
Nem Deus pode transpassar a solidão do Campo A.T!

Todos nós possuímos um “Campo A.T”, ou seja, a força da personalidade, que o fundamento da beleza de sermos humanos é o que nos deixa permanentemente, como uma maldição, certos de que a Solidão é parte da condição humana.

A solidão é o Terror absoluto da condição humana, pois seremos sempre seres lacunares, com ansiedades, expectativas frustradas e uma personalidade tão grandiosa quanto inefável. Tão bela quanto inacessível. Nossa condição nos obriga a lidar com essa solidão, com as frustrações e ansiedades causadas pela nossa alma lacunar.

A Escolha de cada um de nós

Imagem aleatória porque eu gosto da Rei

Abrigar-nos na solidão com medo de aprofundar nossas angustias ou buscar preencher nossas lacunas criando vínculos explorando o Terror Absoluto de ter nossa vida devassada? A força para escolher também está em cada um de nós.

O Ben Affleck tem a ver com o Batman barriguinha?

Batman é um dos heróis mais populares da DC Comics, mas na verdade até a minissérie (The Dark Knight Returns-1986 by Frank Miller) Batman era mais lembrado pelos POW… POFF… do seriado televisivo da década de 60.

Imagem da série televisiva da década de 60.
Imagem da série televisiva da década de 60.

O Ben Affleck tem a ver com o Batman “barriguinha”?

Nos desenhos animados, era um coadjuvante principal no Superamigos, e seu cinto de utilidades e batveículos eram a sua maior referência, fora as piadinhas sobre Robin… mas vamos pular essa parte. Até então a imagem que se tinha de Bruce Wayne era a de um playboy (alguém ai lembra de na biblioteca do apartamento em que morava ele descer por um mastro de poli dance – Ah louca???).

Na DC houve uma salada de frutas com a história de Batman, existiram as fases sombrias também. Mas, realmente quem deu o grande BOOM da coisa foi Frank Miller, ali Batman tornou-se ao invés do playboy bon vivant, o homem rico e cínico (Alfred atrás de Bruce e ele: “faça um cheque” é memorável).

Capa da mini -série Cavaleiro das Trevas de Frank Miller - 1986
Capa da mini -série Cavaleiro das Trevas de Frank Miller – 1986

Ali realmente as pessoas o viram como um homem sombrio e capaz de antever as coisas a partir de uma simples notícia… um homem sem piedade.

Então saiu no cinema a Quadrilogia do Batman, com Michael Keaton como Batman em dois, Val Kilmer e George Clooney fechando. O primeiro foi muito bom, (apesar de que Keaton parecia um cara com torcicolo, por conta da fantasia de Batman que lhe arrumaram).

O segundo já me deixou com sono, e os últimos dois dessa fase são ótimos… para você que tem insônia. Renderam muito dinheiro… bilheteria… diretores bons e péssimos… roteiros interessantes e terríveis desastres.

Vilões memoráveis (Nicholson como Coringa, e De Vito como pinguim, Pfeifer como Mulher-Gato foi delicioso… o Robin… bem… pula), e alguns micos. Então vem a Trilogia de Nolan, com consistência, apesar desaparecerem algumas coisas que não curti como uns veículos e tals… mas beleza… deu pra aceitar. Christian Bale se saiu bem em Batman. Aí… eis que surge a notícia da filmagem do confronto entre Super Homem e Batman… Baseado em???

Cavaleiro das Trevas de Frank Miller. Nem sei quem foi chamado para ser o super escoteiro, mas surgiu  a notícia de que Ben Affleck faria o Batman. Não sei realmente dizer se estou certo, mas fico com o pé atrás.

Porque? Bem, Keaton era famoso por comédias, foi uma aposta e pessoalmente acho que deu certo já que a ideia era de um Batman mais velho mesmo. Mas, quem era Christian Bale antes de Batman? Bale era um desconhecido do grande público.

Da esquerda para direita: Keaton, Kilmer, Clooney e Bale.
Da esquerda para direita: Keaton, Kilmer, Clooney e Bale.

E Ben Afleck?

Chegamos a questão. Famoso por papéis de mocinho, o que realmente não mede o talento de um ator. Tudo em papel de mocinho é chavão… lugar comum. Poderíamos falar do micão em Demolidor, mas ali temos que nos deter, vejamos: Demolidor nos quadrinhos virou o cara depois de Frank Miller (lembram dele?) em A Queda de Murdock…

Ben Afleck em Demolidor
Ben Afleck em Demolidor

Mas o filme que fizeram?

Pelamordedeeeuuuussss… que &*%¨&$%¨ de filme foi AQUILO (nem chamo de aquele), O roteiro mais ruim que poderiam fazer, Murdock tomando banho de ervas??? (Palavrão) Que foi aquilo? O rei do crime virou uma piada.

Como desperdiçaram o Michael Clark Duncan daquele jeito… é pecado… e me largaram a direção na mão de um cara que fazia filmes água com açúcar pra Disney… nasceu morto. Por isso a lembrança de Ben Affleck ficou tão associada a um herói canastrão.

Bruce Wayne num momento relax by Ben Afleck
Bruce Wayne num momento relax by Ben Affleck

Mas pera… Canastrão? – Ator mocinho/canastrão (associação básica). Se for pra apostar, aposto que não serve pra Batman… Ele parece ser o Jack Johnson e não o Batman. Ben não tem cara de quem pode ficar preocupado com algo, muito menos com outro micão em sua carreira. Mas para quem é fã, “matar” o Batman é crime mortal.

Porque o Ben Affleck como Batman simplesmente não Desce!

Este post sobre Ben Affleck como próximo Batman, simplesmente rendeu uma das tretas mais homéricas do Afontegeek. Mas então, este que vos escreve ODEIA o Ben Affleck, e se pergunta se até ele poderia estragar um filme do Batman. Você também acha que é possível?

batman_3_the_dark_knight_rises

Ben Affleck como Batman não Desce!

Pois bem pessoal, eu como fã do morcego-man resolvi falar um pouco sobre essa notícia bombástica. Geralmente reúno fatos de sites gringos, mas como ando meio sem paciência, vou usar uma fonte brasileira que eu gosto bastante.

Mass, tem algumas coisas que eu realmente não sei. Por exemplo, eu não vi o  Man Of Steel ainda, então não dá nem pra comentar como será feita essa sequência, ou em que vibe ela será, tendo fonte ou não. E outra, não sou especialista em HQs, então né? Não sei tudo não!

Então, do que eu vou falar?

man of

Assim que soube que o novo Batman seria baseado na Graphic Novel de Frank Miller, Batman O Cavaleiro das Trevas — que se bem lembro, tem 4 filmes em animação contando de uma forma, meio ‘diferente’, a HQ — fui ler a referida  posso dar uma opinião legal a respeito, já que o filme terá influência dela.

110638_Papel-de-Parede-Batman-O-Cavaleiro-das-Trevas-The-Dark-Knight-Batman-Begins-2--110638_800x600

A primeira coisa a se dizer é que parece que o Ben Affleck já esperava esse convite. Não tenho dúvida que o diretor do Man of Steel, o Zack Snyder e provavelmente o produtor, o Nolan, tinham uma noção de que o papel do Batmão seria do Ben — que não é o tio Ben.

Também parece meio claro que o Ben, que não é o Tio, tem uma boa relação com a Warner, e não é de se espantar caso ele venha a dirigir a possível sequência: Liga da Justiça. A coisa para o lado dele também vem boa desde o filme Argo que ele dirigiu — não sei, não vi — e pelo que parece, rendeu bons dividendos e boa crítica. Vale dizer que ele foi defendido pelo Damon?

Mas peraí!

Vamos com calma. Primeiro que ao meu ver, os heróis da DC são meio diferentes dos da Marvel. Podem me xingar, mas eu comparo facilmente a Marvel à Naruto, que é repleto de conceitos, arcos longos e personagens com poderes impressionantes.

Thor HQ

Claro que isso não foge muito da DC — HQ no fundo tem configuração de mangá shonen — mas quem viu, por exemplo, o desenho do Homem-Aranha — que é bom dmais — dos anos 90 e um da Disney dos anos 2000, sente uma diferença enorme quando comparado com o Batman Animated Series.

Sabe? Não há uma Mary Jane. Há problemas psicológicos e dramas existências. Há um medo perpétuo e uma tensão constante de ‘ele vai morrer’. Isso é impensável com o Wolwerine por exemplo, mas se um autor for gênio o bastante facilmente mata o Superman.

darkseid
Darkseid

Claro que essas diferença diminui um pouco com os trabalhos do gênio Jack Kirby que tem personagens nas duas. Só citando, Thor (Marvel) e Darkseid (DC). Até porque HQ como shonen, trabalha com conceitos e arcos… Mas se ficarmos somente em filmes, animações da DC, e compararmos com os da Marvel, veremos perguntas como, “Olha o Batman não é só um louco, um vigilante mascarado?”.

Perguntas que não aparecem no Quarteto Fantástico, e que poucas vezes são feitas do Peter Parker, para o Peter Parker, e não do J. Jonah Jameson para o Homem-Aranha. São perguntas que claro, não lembro que o Batman se faz, mas que têm uma aura ao redor do seu manto de ‘hei aquele é um cavaleiro acima da lei?’

Liberdade DC x Marvel

Novo-poster-de-Os-Vingadores

Acho que isso fica bem claro quando comparamos os Vingadores com o Batman dos cinemas por exemplo — o Batman do ‘Nolan’. Primeiro, não é o ‘Batman do Nolan‘, muitos conceitos ali foram pensado no próprio ‘Cavaleiro das Trevas‘ e possivelmente em outros quadrinhos.

coringa jack-nicholson-as-joker

Quem leu a HQ de Miller viu coisas como ‘precisamos do Batman, é o que temos’, ou então ‘é preciso fazer mesmo que acima da lei’. O próprio Bane é idêntico a um dos arcos da HQ com a dominação da cidade de Gotham pelos esgotos, e nem vou dizer que o Coringa de Miller é de uma loucura parecidíssima com a de Ledger/ Jack Nicholson.

Acho que há uma maior liberdade de bons escritores, para trabalhar os personagens da DC, mesmo que isso não queira dizer que o filme vai dar boa grana. Convenhamos, os filmes Marvel como o próprio Vingadores, são divertidos, de ação, são realmente quadrinhos. Mas não são Filmes. São filmes que você senta e se diverte vendo com amigos — coloco no meio até filmes como Blade que são pesados.

coringa Ledger

Mas tá, vamos pensar na loucura e falar do filme 1 do Homem-Aranha. O Duende-verde é inspirado no Coringa, mas não chega perto do caos do primeiro. E quando falo loucura, falo da aura de que o filme do Batman de 88 tem. Durante toda a película fica a dúvida “quem é o louco, o Batman ou o Coringa?“. ‘Grandes poderes vêm grandes responsabilidades‘ nem chega perto!

É tudo HQ

Kirsten-Dunst-as-Mary-Jane-in-2002-spider-man

Para fechar, não quero defender nem atacar nenhuma das duas. Mas pra mim é claro, que grandes autores tem maior liberdade para trabalhar os conceitos dos personagens da DC que nos da Marvel, e claro que vão surgir filmes/ obras mais líricas na primeira — tirando o ótimo X-Men Primeira Classe, que é um bom filme, mas não é um ‘Batman do Nolan’, rs.

Agora me pergunta se o Batman é um conceito melhor que o Homem-Aranha, ou se o universo Marvel é menos coeso que aquela loucura de universos paralelos que a DC tem, me pergunta? É tudo HQ, tudo tem a mesma vibe. Mas enquanto não derem, ou que eu ainda não saiba — todo mundo que lê quadrinho fala que o Homem-Aranha na época do Stan Lee era Genial! — os autores não têm liberdade de trabalho na Marvel. Ponto.

Porque O Ben Affleck não desce!

ben-affleck-batman-bashing-on-twitter

Ai me pegam o Ben Affleck cujos filmes que vi são uma bosta. E são mesmo. Só vi atuações ridículas e não esqueço de um filme de polícia/ladrão que ele dirigiu, que eu e uma menina que estava namorando achamos um saco.

E botam ele pra fazer uma das encarnações mais geniais do Batman — Matt Damon, leia a HQ de Miller! Frank fala de tudo ali: loucura, sociedade, motivações, o que é ser um vigilante, poder, feminismo — A melhor Robin já feita! — humanidade, divindade. Ai me baseiam nessa obra-prima e chamam esse idiota.

Não me desce. Tomara que, como fã do Batman, eu esteja errado, ele mande bem e eu morda a língua. Porque Ben, leia a HQ de Miller, e veja que você está lidando com uma obra-prima ocidental — obra-prima que só foi possível na DC pela maior liberdade Autoral que ela tem, quando comparada à Marvel, ao menos até aonde sei.

Galeria com Spoilers da HQ de Frank Miller

Este slideshow necessita de JavaScript.

Abraços!!

Fonte: Judão
1 [Link]
2 [Link]
3 [Link]

Kimi Ga Nozomu Eien – Review: Quando o Anime é uma Novela Terrível!

Que tal falarmos um pouco de anime ruim em? Sim, nos meus textos eu digo logo no início se acho bom ou ruim o que resenho. Então, a bola da vez se chama Kimi Ga Nozomu Eien, que foi muito badalado por vários sites aqui no Brasil. Mas não aqui no meu blog. Venham comigo e vamos falar mal de novela… digo, de anime!

kimi ga nozomu

Kimi Ga Nozomu Eien – Review: Quando o Anime é uma Novela Terrível!

Esse texto na verdade é apenas mais uma das minhas resenhas que chamo carinhosamente de “A série dos Piores animes que EU já vi”! E hoje nós vamos falar de um anime que sinceramente, é UMA BOMBA: Kimi Ga Nozomu Eien! Claro que para explicar porque o anime é tão ruim, vou defender minha humilde opinião com bons e sólidos argumentos, o que quer dizer que vou respeitar os fãs no texto — pois é, se você gosta do anime pode acreditar que vou respeitar seu gosto também.

Na verdade acabei tentado em falar deste anime porque soube que tanto no Japão, cuja Visual Novel parece que fez sucesso, mas principalmente aqui no Brasil o anime bombou Muito. Inclusive fizeram uma blogagem coletiva desse anime. Vários blogs e sites especializados em anime fizeram vários textos rasgando seda desta obra. Indignado com essa situação, venho aqui com argumentos sólidos e minha sensível “cara de pau” demonstrar o porquê esse anime é uma Meleca.

Ahh… sim. Temos SPOILERS. Estão avisados.

Sinopse

Antes uma breve sinopse: Triângulo amoroso básico. Menina tímida, a Haruka, pede ajuda a sua amiga Hayase pra conquistar um carinha. Acontece que a tal amiga já gostava do mesmo rapaz, o Takayuki, mas mesmo assim com pena de sua amiguinha tímida, ela resolve ajudar. Então… a tímida é atropelada e fica em coma O.O.

“Culpamento da Sekai”

Alguma mina parece com a Sekai ai? Beijo me liga!
Alguma mina parece com a Sekai ai? Beijo me liga!

Indo direto ao ponto, este anime é mais uma obra que eu apelidei carinhosamente de “Culpamento da Sekai“. Faço referência à Sekai de School Days que defendi em outro post. Como assim, do que estou falando? Acontece que em alguns animes o Diretor tende a colocar toda a culpa do que acontece de ruim numa só personagem. Isso acontece em School days, aonde o diretor só faltou chamar a Sekai de vadia (não que ela não seja, mas digamos que ela não é uma má pessoa como o diretor tentou colocar).

Aqui nós temos basicamente a mesma coisa: o diretor tenta fazer com que toda a audiência fique contra à Hayase 100% do tempo do anime, para que apenas no final (talvez porque não fizesse sentido que a Hayase fosse tão “Paola Bracho” quanto o diretor queria que ela fosse) ele revertesse a situação para dar um final lógico ao anime depois de vários acontecimentos irreais.

Mas como assim, a Hayase não Prestava?

Hayase deixa de nadar que ela amava, por culpa e também para cuidar do cara, e ela não presta...sensacional isso!
Hayase deixa de nadar que ela amava, por culpa e também para cuidar do cara, e ela não presta…sensacional isso!

A Hayase meus caros amigos e amiguinhas, Salvou a vida do palerma uma dezena de vezes. De uma certa forma me lembrei até da Nagisa em After Story. Pois é, eu citei a Nagisa que é praticamente uma santa para defender uma Vadia. Calma, vamos por partes.

A Hayase Tirou o idiota da depressão; manteve ele FINANCEIRAMENTE durante um bom tempo antes dele voltar a trabalhar — e convenhamos, ter uma mulher linda e forte como ela para te recuperar… é o MEU Sonho. Mas mesmo assim, apesar de uma mulher se doar totalmente para um babaca, todos os personagens do anime a acusavam de “ladra de maridos” — obrigado diretor por ser tão fã de novelas mexicanas.

E agora eu vou colocar ainda mais água no seu feijão, vento no seu pastel e água na sua coca-cola: além do diretor propositalmente ter feito da Hayase uma vilã da obra sem ela o ser… o anime é uma completa fantasia incoerente e nada tem de realista.

Novela fantasiosa e Incoerente demais

Esse anime ao meu ver, “parece” ser real mas guarda muito pouco do que é a realidade de fato. Um bom exemplo de anime verdadeiramente real é Koi Kaze. Em minha opinião um tanto quando delirante, até mesmo animes como Black RockShooter têm muito mais realidade que Kimi Ga.

Até a irmã da Haruka se apaixonou por ele...aff
Até a irmã da Haruka se apaixonou por ele…aff

Mas como assim, do que estou falando, será que enlouqueci? Começo com o fato de todas as minas do anime acharem o idiota do Takayuki “um cara gentil e amável”, sem enxergar em nenhum momento sua fraqueza de caráter — aliás isso é de praxe em animes “culpamento da Sekai”. E o principal deles: o fato da Haruka ter acordado do Coma sem NUNCA perceber que já estava velha para depois de ter Outro Coma, voltar mais uma vez dos mortos e acordar OUTRA PESSOA

Para piorar ainda me fazem uns ovas que só o primeiro episódio desconstruiu todo o bom final. Falemos a verdade, o anime só vale os episódios 1-2 e 14. E algumas outras poucas cenas… Não entendo porquê fizeram essa blogagem coletiva dessa obra — uma novela da Rede Bobo japonesa. Mas enfim, gosto é gosto e respeito isso.

Tomara que dentre todos os blogs que comentaram ele, tenha algum com uma opinião adversa e bem argumentada, citando pelo menos o ponto do “Culpamento da Hayase”… nem precisa citar a Haruka ter acordado lelé, e depois de ter outro coma, acordar Outra Pessoa.

Sabiam que o Anime era uma Visual Novel?

Kimi_ga_Nozomu_Eien_386_1280x1024Vocês sabiam que este anime era uma Visual Novel antes de se tornar um anime? Digamos que vocês nem ao menos saibam o que seja isso… eu explico o que são Visual Novels neste link. Mas falando de maneira sucinta, Visual Novels são jogos de conquista, ou jogos de namoro, que você encarna algum personagem para conquistar meninas ou meninos — depende do seu gosto, depende da visual novel.

Então, Visual Novels, tem o que chamamos de “Rotas”, que é por exemplo, quando você escolhe namorar (conquistar) a Hayase, ou a Haruka. Então você escolhe uma ou outra, a rota de uma ou de outra — e em cada “rota” nós temos acontecimentos e futuros diferentes. Ou ao menos era para ser assim.

As Duas Rotas Juntas mas com Finais Diferentes

Sabemos que ele ficou culpado 'forevermore' por causa do acidente, mas esse é o motivo, o lado dele é compreensível demais. Até demais.
Sabemos que ele ficou culpado ‘forevermore’ por causa do acidente, mas esse é o motivo, o lado dele é compreensível demais. Até demais.

Dito isto, alguns argumentam que a rota do anime é a da Hayase porque o lerdão ficou com ela no final. Eu penso que isso é um pouco complicado. Claro que não joguei o erogue — vou só dar uma opinião pessoal. Então, caso o anime conte a rota da Hayase, levando em conta que você é o manolo babacão herói do anime e do game, logo se trata de Sua Visão e das outras personagens sobre a Hayase — o anime parece na verdade tentar contar uma única história mesclando ambas as rotas (a dela e a da Haruka).

Por que o seguinte, se pensarmos que se trata da rota da Hayase somente porque ela ficou com o tapado no final, não acho possível. Afinal, foi só mudar o fim do anime e readaptar os OVAs para que a Haruka ficasse com o Palerma. O que significa que ambas as rotas do anime foram a mesma historia readaptada — e eu culpo o diretor mais uma vez por ter feito isto — somente mudando o final para se identificar de quem é a rota.

Tá na cara que o diretor adaptou as duas Rotas no Anime, só mudando o final

Por que acho isso? Imaginemos que alguém joga o game focando a rota da Hayase, e a rota dela trata justamente de mostrar o quanto ela é uma “vadia”. Isso parece fazer algum sentido? Você ia tentar conquistar uma garota que todos odeiam e te faz pensar que não presta? Pergunto: Se a rota da Hayase for assim mesmo, focando apenas seu “culpamento”, como é possível que esse jogo tão ruim seja tão aclamado, e como esse anime que é uma BOMBA foi tão bem falado até aqui no Brasil?

Como não joguei a VN e como também não acho que seja possível que no game o “culpamento da Hayase” seja tão forte como no anime, continuo culpando o diretor. Ao meu ver ele mesclou as duas rotas (Hayase e Haruka) para mostrar o quanto a nossa nadadora gata “não presta e não valia nada” — porque a rota da Hayase deve mostrar que a Haruka não presta, e vice-no-versa. No fim, ele escolheu o final que quisesse, sendo feliz para uma, ou para outra. Fim.

Agora, se o próprio game na rota da Hayase mostrar que ela é uma vadia…. eu desisto, sério mesmo. Até o game deve ser terrível.

Conclusão

Pobre Hayase...
Pobre Hayase…Todo mundo gostou quando você traiu o palerma…hehe

O diretor tentou colocar a opinião da audiência contra a Hayase; personagem principal palerma e mesmo assim, diretor insiste em dizer que ele é “um cara legal”; realidade espelhada, ou seja, de real esse anime não tem é nada.

Salvo apenas o sentido que só veio aparecer no último episódio: As coisas Passam/ às vezes ninguém tem culpa do que aconteceu. Elas só são do jeito que são e devem ser aceitas como tais. Mas como focar esse sentido ‘tão bom’ no meio de uma direção ‘pirada’ e de uma história sem sentido? Isso porque não falei da falta de profundidade dos personagens.

E reitero, repito e não desisto de falar: não entendo o motivo dessa blogagem coletiva. Tanto anime melhor… Toradora por exemplo. É por essas e outras que reviews de animes só leio as minhas!

Abração!

Tsubasa Chronicles – Review: É um Anime Muito Clichê?

Quem gosta de Tsubasa Chronicles ai? Pois é, neste texto vamos falar um pouco da história do anime/manga, falar um pouquinho sobre a recepção do público, e bem, dissertar sobre o primeiro episódio do anime! Vem comigo!

Tsubasa Chronicles – Review: É um Anime Muito Clichê?

tsubasa chronicles

Quem diria que a seção “Piores Animes que já Vi!” ia ganhar logo de cara, um anime da CLAMP né, verdade? Ela que conta com obras como Haruhi Suzumiya e Kimi ga Nozomu eien.

Mas antes tudo, primeira coisa que eu devo dizer aos fãs que já devem estar com vontade de me trucidar, é que este texto se trata tão somente da minha opinião pessoal, meu gosto e blábláblá. MAS, antes que comecem a “me bater”, devo dizer também que minha opinião será baseada em argumentos e premissas lógicos, logo, vai dar um “trabalhinho” bater “ni mim”.

Primeiro eu sei de alguns fatos

tsubasaO Anime de Tsubasa acabou tendo diversas mudanças com relação ao mangá, inclusive o nome, vejam só. Coisas foram cortadas, como o sangue das lutas, e até, acho eu, os personagens parecem “alongados”, mais “grandões mesmo” com relação ao original.

Muitas dessas mudanças se devem porque o anime passou na NHK que se bem lembro, é uma tv educativa/pública — não ia pegar bem ver sangue e ‘amor’ num desenho que passa na tvCultura Nippon. Meio que eu entendo bem essas mudanças. Parece que até o horário não era viável: passava muito cedo.

Também devo acrescentar que Tsubasa e xxxHOLIC — este que eu não vi, mas dois amigos meus viram e gostam bastante — são interligados.

E aqui meus amigos, começa minha critica

Duas histórias é meio complicado?
Duas histórias é meio complicado?

A ideia é genial. Contar num mundo paralelo as histórias de Syaoran, Sakura e seus friends, mas dentro de uma perspectiva Shonen, e além disso, poder transportar estes personagens para outros de outro mangá, no caso xxxHOLIC e a sua “bruxa das dimensões”.

Parece realmente a ideia mais genial do mundo, inclusive, para trazer àqueles fãs que gostaram de Card Captors Sakura, Chobits e tudo mais. Mas caros amigos, como acompanhar duas histórias diferentes? Este é o primeiro ponto. Nem quero imaginar a pressão que era ler duas histórias.

tsubasa facepalm Ep52Então como “ideia” a coisa parece ser genial. Mas como FATO parece ser no mínimo bastante difícil se ver as duas. Sem contar a incrível repetição de personagens, que convenhamos, é preguiça de criar/desenhar personagens diferentes.

Além disso, quem lê um Shonen? Sabemos que é destinado a “garotos jovens”. Mas xxxHOLIC não é um Seinen? Como fazer duas histórias serem uma, para públicos diferentes? Aqui eu acho que meu argumento é frágil — um fã dos personagens não se importaria.

Difícil de fazer, difícil de ler, ‘repetitivo’ até certo ponto por serem as mesmas personalidades em universos diferentes. Por que fez tanto sucesso? Creio que assim como procurar as “Cartas Clow“, procurar a “Mente de Sakura em forma de asas” deve atrair o leitor — rapaz eu achei isso o BICHO! Mas sejamos sinceros…já vimos esse filme, não?

Nossa..só tô batendo e nem falei do anime

Sakura pronta para ser salva!
Sakura pronta para ser salva!

Pois é, antes que alguém me pergunte, não vi o anime inteiro. Faltou-me paciência. Falando a verdade, não passei do Primeiro episódio, que começo a relatar agora:

Achei o começo genial. Meio rosado e com as musiquinhas, muito boas por sinal, sempre ‘entrando no momento certo‘, mas até ai nada de mais. Gostei do ‘love’ entre Syaoran e Sakura, dele ser “arqueólogo” e tals. Também tinha aquela tensão que os outros reinos participariam de uma busca que envolveria a ‘bruxa das dimensões’, vi tipo, “olhaa, legalzudo”.

Gandalf é você?
Gandalf é você?

MAS AÍ, apareceu…o Lelouch! E era o irmão da Sakura!!! Bomm tuudo beem. Mas então também surgiu o Yukito!! A coisa tava ficando cada vez melhor. Até chegar a linda cena entre Lelouch e Yukito, quando a Sakura foi dormir, ou saiu, e Lelouch com um cara de “ahaam” falou para o Yukito: “Finalmente estamos aqui sozinhos“, ahaaaam! rs

Nossa, se eu já estava quase rindo do começo rosinha com as músicas milimetricamente colocadas, a partir daí foi riso o episódio inteiro.

Eram cenas como: “DO NADA” aparece Lelouch com uma espada para ajudar o Syaoran, e lutando demasiadamente fodão, do lado o Yukito dando uma de Gandalf, aquela correria…e o melhor: um dos manolos dos outros reinos, malvadão.

Agora a última cena do episódio, e tenho CERTEZA que os fãs não notaram: Todo mundo chega em bolinhas rosinhas na casa da “bruxa das dimensões” vindos de cima — de cima da ‘onde’, ninguém sabe — menos o manolo malvadão de um dos reinos. Nãao, ele é mau, ele vem DE BAIXO, from Hell, rs! E para completar — esse diretor é um gênio — ele faz uma pose fodástica exatamente na hora que a músiquinha termina.

Nessa hora eu não estava mais me aguentando de rir. Eu e meu amigo, pausando cada cena sen-sa-ci-o-nal para rir e comentar. Ou seja, não tinha mesmo como continuar depois de uma maravilha dessas tão lotada de clichês.

Para finalizar

tsubasa_chronicle_shunraiki-42218
100% das imagens que achei: Syaoran com cara de “Lelouch”, Sakura com cara de coitadinha — clichê!

Eu sei que tanto o manga de Tsubasa RESERVoir CHRoNiCLE quanto xxxHOLIC devem ser grandes histórias. Mas creio que deu muito trabalho para acompanhar ambas. Também acho uma pena que fizeram uma adaptação tão ruim de Tsubasa, o que não aconteceu com o segundo — porque xxxHOLIC parece ser consenso: manga/anime como uma das melhores obras das Clamp.

Muito Chi não é?
Muito Chi não é?

Uma história com universos paralelos contada pela visão de Syaoran tentando salvar sua amada Sakura, sem mais o kawaai ou moe de Card Captors, com uma pitada de HOLIC, com certeza dava para ser um bom anime. Mas adaptações são assim mesmo. Algumas não respeitam os mangakás, e creio que essa foi uma delas — assim como a TERRíVEL adaptação de Yume Tsukai!

Por fim, não retiro nenhum de meus argumentos sobre a ‘boa ideia’ que foi unir duas histórias, mas que a realização não deve ter sido nada fácil, tanto para as Clamp, quanto para os leitores. Também não tiro os clichês da história como salvar a donzela e tudo mais. E haja dor de cabeça…

Abraços!