Arquivo da categoria: Animes e Mangás

Nazo no Kanojo X – Review: A Verdadeira Ligação de Amor entre um Casal

Olá amiguinhos e amiguinhas, sejam bem vindos a mais uma review de anime aqui no bloguizinho, e logo um dos meus animes preferidos: Nazo no Kanojo X (Mysterious Girlfriend X). Isso mesmo,  aquele anime do cuspe que muita gente fala e tem nojinho. Venham comigo!

Urabe fica linda quando sorri. – Mas não existe!!

Nazo no Kanojo X – Review: A Verdadeira Ligação de Amor entre um Casal

Olá pessoal, como vão? Hoje trago para vocês um texto que tem quilos e quilos DE SPOILERS, então se você leitor desavisado ainda não viu Nazo no Kanojo X é melhor você ver o anime antes de ler esta minha review! Que tal ler a minha Critica que não tem spoiler nenhum? É uma boa pedida também

Lembrando que não vou colocar logo no começo do texto um argumento poderoso como eu fiz na Review de Death Note, mas quero dividir singelas palavras sobre essa obra, decifrando alguns de seus mistérios e enfim, falar sobre a sensação de quase vomitar no primeiro episódio, e depois quase chorar vendo o túmulo da mãe do Akira e trocando baba — mano, aquilo foi Bonito ou Nojento?

Os Mistérios de Nazo no Kanojo X

Os primeiros assuntos que quero falar são dos mistério de Nazo. Durante os 13 episódios sabemos algumas coisas interessantes sobre a Urabe. Ela sempre aparece sem seus pais; parece que ninguém mora com ela; e uma coisa que me intriga muito são as imagens sobre Aliens e ETs que pipocam no quarto da garota.

Eu tenho um colega que quase sempre adivinhou tudo o que aconteceu durante o anime, como o retorno da Aika Hayakawa, que foi algo realmente incrível — essa mina cheia de ardis para separar nosso casal preferido.

Ahhh!!! Run to the hills, and far away!

Ele acha que a Urabe é forçada a morar sozinha por ser quem sabe, irmã da Momoka (a idol das revistas, lembram?), talvez por causa de alguma outra coisa, como trabalhar à noite ou mesmo algo que envolva um thriller. De cá chego até imaginar que Se ela não for um Alien, penso que deve ser por ai mesmo: uma mina normal que por algum motivo mora sozinha e que gosta de uns etês…

No episódio 12 [9,47min], Aparecem as fotos do Caso Roswell, (primeira aparição de disco voador documentada no ocidente) e até a data: 1947 .

Claro que todas essas questões tem explicações lógicas plausíveis. Por exemplo, é muito comum em animes (principalmente shonen, o que não é o caso de Nazo) os heróis não terem pais ou mães, e enfim não terem representações de pais presentes no Dia-a-Dia.

Geralmente animes fazem isso por dois motivos: realmente existem jovens, ali na casa do ensino médio, que moram sozinhos para estudar na cidade. E também é feito isto para dar mais liberdade às personagens e transmitir este sentimento ao publico.

Esse me parece ser o caso da Urabe (até porque ela gosta de nadar, não tem medo de ficar moreninha, etc). Tanto para dar mais liberdade a uma personagem que já é por si mesma misteriosa, tanto que ela veio de longe, com certeza ela mora sozinha por isso, como uma estudante que precisa mudar do campo para estudar na cidade.

Some a isso o mistério dos aliens e coisas espaciais aqui e ali, e nós temos montado o cenário por trás da nossa Namorada Misteriosa. Eu sei. Eu sou um chato de Galocha.

Mas e o cuspe, você consegue Explicar?!

Mãeee, dá um HELP!
Mãeee, dá um HELP!

Bom, imaginado que ela é uma garota normal e não uma Alien ou personagem de um suspense, como acontece isso do cuspe?! Como é possível ela trocar sentimentos, ou mesmo vontades através dele?!

Então, há não muito tempo atrás lendo alguns textos que o próprio Ueshiba (autor de Nazo) escreveu, e também pesquisando artigos de psicologia descobri que realmente, secreções “provadas” entre duas pessoas que se amam… pode ter um gosto “diferente” do que é na verdade.  Eu sei, é isso mesmo que você pensou.

No episódio 8  [7,4min], podemos ver uma descida de um disco voador num quadro, e numa outro foto, tem uma nave espacial que se parece com a cápsula Mercury americana.

Levando em conta que Ueshiba parece mostrar um grande conhecimento da área principalmente em Yume Tsukai, para mim é claro que ele tirou essa ideia do “cuspe ser doce” daí. De que entre amantes verdadeiros secreções podem ter gostos… diferentes.

E você aí? Já que tem pesquisas de psicologia sobre o assunto… vai provar alguma coisa daquela sua namoradinha ou do seu namoradinho? Deixe seu comentário depois. Quero saber.

E ainda tem mais coisas Esquisitas em Nazo

Outros pontos interessantes em Nazo no Kanojo X são justamente as Parafilias — os modos diferentes de sentir prazer — e o uso simbólico desmedido, como aquele sonho onde a Urabe está com um urso amarrado na cabeça antes “daquilo”.

A própria tesoura que é símbolo das nossas queridas lésbicas; os limões do sexo explícito de Yaoi; a junção de desenhos sacros com figuras “malvadinhas”; a relação de Sêmen-Cuspe; ou ainda, a que eu realmente gosto, o desabrochar para o sexo, da flor e da borboleta. Está tudo lá, e é isso mesmo. Nem vou discutir mais sobre os temas, porque Nazo acaba abordando tudo isso.

Essa cena é uma das melhores de todo o anime — Vai Tsubakii!!

A questão que não sai da minha cabeça porem é por que um autor que constrói tão lindamente personagens femininas, que sabe como contar uma história de amor, coloca essas coisas? A resposta veio no episódio 11, na frase que Oka diz:

De todo modo, o que vocês duas estão pensando de ficarem ai peladas no meio da sala?

Todos os assuntos que Nazo mete o Bedelho

Isso mesmo, mas kawaai que isso…

Sobre o mistério do elo do cuspe (que como vimos, tem a ver com psicologia); dela possivelmente ser Alien, uma menina até agora sem família (nós já vimos porquê); dos simbolismos, do sentido da obra de ensinar a seu público como realmente são os relacionamentos, como é o desabrochar sexual.

O autor faz isso tudo, porque ele pode. Ele é o autor. Ele faz o que ele quer na obra dele. Afinal tudo junto funciona tão bem que estou escrevendo sobre isso. Sim, ele é um gênio, e no seu mundo, ele pode fazer o que quiser, afinal ele é o autor dessa pérola, não é mesmo Oka?

Mas é só isso daí mesmo? Quer dizer que eu escrevi esse bucado de texto para dizer que ele fala de tudo isso por que ele pode? Bom, ele pode mesmo e tudo funciona de maneira sensacional, graças a escrita (e o traço) sem igual do Ueshiba. Mas eu gosto de pensar que tem mais. Afinal, o próprio Ueshiba deu a dica em algum lugar do mangá…

A Ligação de amor entre um Casal

ova de nazoSobre o Beijo e a ligação entre os dois é exatamente isso. E isso Ueshiba fala no mangá, meio que abrindo um jogo, talvez até mesmo abrindo o coração. Claro que este e também todos os diversos assuntos que eu cito. Mas principalmente Ueshiba escreve sobre o Crescer como um todo, como pessoa, no amor.

Beijar e Sexo não significa crescer de fato, crescer como um casal, mas sim, o que o faz, é uma ligação emocional que é criada a partir deste sentimento que cresce aos poucos e que se torna tão poderoso, a ponto da Urabe saber o que o Tsubaki está pensando (e raras vezes, vice-versa). Ou do próprio Tsubaki saber esperar o tempo certo da Urabe, até de pegar nas mãos dela.

Essas pequenas coisas que se solidificam e se formam, antes ou além do sexo, deste nível de entendimento e crescimento entre duas pessoas, que mais Ueshiba trata.

Acrescentei este algo a mais, muito também graças ao amigo Nekomimi, que me alertou sobre isso há bastante tempo. Além do próprio Ueshiba falar isso no mangá. Do crescer como casal e do elo verdadeiro que pode existir entre duas pessoas que se amam. Além do cuspe! É claro!

É isso meus queridos amiguinhos e amiguinhas. Espero que tenham curtido. Deu maior trabalhão e coisa e tal.

Abração!

Nazo no Kanojo X – Crítica: O Erotismo e o Simbolismo que fazem parte da Vida

Este é um dos textos que mais gostei de fazer no Afontegeek. Se trata da Crítica de Nazo no Kanojo X. Isso mesmo, daquele Anime da Namorada com Orgasmos de Saliva (sem spoilers). Você pode ver as Primeiras Impressões dele também. E boa leitura!

Run to The Hills…ou não.

Nazo no Kanojo X – Crítica: O Erotismo e o Simbolismo que fazem parte da Vida

E lá vamos nós para a minha primeira Critica de um anime. O irônico que tinha de ser de um dos animes mais controversos dessa temporada que acabou de acabar, e porquê não, um dos mais estranhos quais muitos amigos otakus vão ver em suas vidas. Sim, estou falando dele, Nazo no Kanojo X!

A Critica em trata do Roteiro e Direção, Trilha Sonora, Character Design e Personagens, Historia e Enredo, tudo nessa ordem, e sem nenhum spoiler para você amigo leitor. A Segunda Parte, que é apenas para quem viu o anime,  e que está cheia de Spoilers. É nela que está minha humilde opinião sobre o sentido da obra.

– Mas primeiro… A [the mine] SINOPSE:

Nazo no Konojo X, ou Namorada Misteriosa X, é um anime que veio de um mangá que é seinen que é ecchi também. Conta a história entre a menina Urabe Mikoto e o gurio Akira Tsubaki. A menina é a tal da menina do cuspe… De forma resumida, o cuspe dela parece transmitir sentimentos, pensamentos, e todo o tipo de coisa, para a pessoa que ela tem algum tipo de afeição/ligação especial, e vice-versa. Ai bem, é troca de saliva para cá e para lá. (Ecaaaa!)

Roteiro e Direção

Corree Akiraaa!

Não é muito habitual quando a gente tem quase a mesma opinião de nossas “primeiras impressões“. Falo isso porque mantenho o que disse lá, quando eu falei do Primor que eram o roteiro e a direção.

O Roteiro segue o estilo mais moderno, ou seja, ele não perde nosso tempo explicando mil coisas em seus mínimos detalhes. Na verdade, a justa graça desse anime está ai, em montar um certo mistério que envolve a nossa querida Urabe Mikoto.

E a Direção? Ela nos arma as cenas mais emocionantes e ao mesmo tempo intrigantes que você meu querido, ou querida amiga, vai ver. Quase sempre os episódios seguem em duas partes que se unem de modo inteligente, nos faz realmente querer ver o próximo e o próximo…episódio. Sem contar que, como o que liga os personagens e dá movimento à história, é o cuspe, o diretor fez aqui um trabalho magnânimo, onde nós ficamos “ahh não” quando vemos… Ou até mesmo, com uma perguntinha: Isso foi Bonito ou Nojento?

Trilha Sonora

Fãs de moe têm Espasmos — ahh, deixa de ser chato!

Esse é um ponto interessante. Eu não tinha notado a trilha sonora até reassistir para fazer a crítica. E comparando com os dois volumes e meio que li no mangá, nossa, a trilha sonora não poderia ser melhor. Nos momentos de emoção, te traz aquela dorzinha gostosa no lado esquerdo do peito, nos de comédia, ela ri junto com você, e nos de simbolismo-mistério, te intrigam ainda mais. Das trilhas sonoras que gostei mais,  só a de Guilty Crown ou a de Death Note.

Character Design e Personagens

Quem diria que seria tão geniosa em menina?

Aqui uma coisa deveras notável. O Estilo do mangaka é realmente “antigo” e o anime trouxe uma fidelidade mais bela para obra. Apesar de achar que todo mundo se parece um pouco, as diferenças estão justamente nos olhos, e nas personalidades dos personagens. Agora, um fato inusitado, o mangaka é muito mais “brincalhão” nos seus traços do mangá, enquanto o anime é mais secreto, mais misterioso, simbólico mesmo. Ponto para o anime.

Os personagens são extremamente densos. O que mais posso dizer? Que todas, eu disse, todas as personagens femininas deste anime são completas — algumas são doces, outras parecem tímidas, algumas brincam com o que os meninos sentem — todo o universo feminino às vezes em uma só personagem.  Sempre que vejo uma “menina-mulher” de Nazo, lembro instantaneamente da vida.

O jeito que elas sabem o que os rapazes pensam, ou quando elas estão mais vulneráveis nos momentos de fraquezas  emocionais. Os personagens femininos — muito a Urabe, a irmã do Tsubaki, a Oka — foram as responsáveis por eu ver o anime todo. Os meninos são exatamente o que éramos na adolescência, com um toque de anime. E como os dois, tanto meninos  quanto meninas, mentem para si mesmos, e para os outros, é uma coisa que poucas vezes vi em uma obra.

Ahhh!!! Run to the hills, And far away!

E sim meu amigo otaku, esqueça das mulheres que se matam pelo principal, que são burrinhas, ou que são realmente aspectos masculinos do próprio autor. Esqueça tudo o que você viu. E vocês meninas, eu realmente fico aqui pensando, se esse anime não é feito para vocês.

Historia e Enredo

É o amoooooorrr!!

Por fim, a história. E bom, ela é o casal em si e os que o cercam — não tem muita historia porque afinal, quase tudo é Mistério por aqui. Contudo dois pontos devem ser ressaltados:

Primeiro o sentido ambíguo da obra: “ensinar os japoneses adultos a se relacionarem” em meio “ao uso de simbolismos para exprimirem o que não se diz“; isso me deixou com uma dúvida imensa: Por que um autor tão genial para contar os laços entre um casal nos coloca em meio a tantas coisas misteriosas e esquisitas? Dúvida essa sobre o Sentido da obra, que eu tento responder humildemente no Segundo Texto de Nazo.

Segundo, o enredo por ser Realmente despretensioso, por contar a vida de um casal estranho —  que não se beijam, mas que trocam “fluidos” — e principalmente, de sempre te impressionar sobre Quem é dona Urabe Mikoto. Eu mesmo estou louco para ver o beijo do Akira com a Urabe!

Conclusão

É amigo, vai dizer que não?!

Ao fim, penso que tenham coragem como eu tive e vejam. Sim, temos usos descarados/latentes de simbolismo, é nojento e há um pouco de yaoi entre a namorada e o namorado. Mas, e quando não tem na vida real? Quando a mulher não divide com você o relacionamento? Quando ela não faz “ahh vamos, por favor“, ou então “ahh é, então nada de beijo hoje!” — quando ela não manda em nozes?!

E o echii seu Tassio? Aqui quase chego a dizer que é Belo de se ver. Tudo no seu devido lugar, no seu devido contexto, não mostrando por mostrar, mas sim porque às vezes,um rapaz fantasia sim com sua namorada — quer algo mais doce que isso? E ainda assim, não te mostra.

O que é isso na sua canga Urabe?!

ps: Por ser Seinen, ter alta dose simbólica, e ser feito para gente mais ‘véinha’, eu acho que pessoas muito novas não deveriam ver esse anime. Crianças, lembrem, é um Seinen!! Estão avisados, rs.

Nota do anime:
8,5/10 na escala Geass,
onde só Code Geass é 10, 🙂

Ficha do Anime:
Estúdio: Hoods Entertainment
Diretor: Ayumu Watanabe
Baseado na obra: Nazo no Kanojo X – Mangaká: Riichi Ueshiba

Então é isso, tomara que tenham gostado, e nossa, quero a Segunda Temporada desse anime urgentemente, desde com a mesma qualidade técnica, claro!

Abraços aos nerds, firmeza pros otakus!

Nazo no Kanojo X – Primeiras Impressões: A Namorada Misteriosa que tem Orgasmos de Saliva!

E vamos para as Primeiras Impressões de Nazo no Kanojo X, o querido anime da Namorada Misteriosa que tem Orgasmos de Saliva! Se você não conhece o anime, essa Primeiras Impressões pode até servir como Indicação. Sem spoilers, claro. Vem comigo!

Nazo no Kanojo X -- O que dizer?!
Nazo no Kanojo X — O que dizer?!

Nazo no Kanojo X – Primeiras Impressões: A Namorada Misteriosa que tem Orgasmos de Saliva!

E lá vou mais uma vez me arriscar no mundo dos animes meu Deus… Na época eu entendia muito pouco de animes, mas hey, não temam, eu (2018) ainda concordo com meu eu (2012). Sim, esse texto foi revisado por mimzinho agora, no ano da copa da Rússia, então não temam, ele está bom sim. E sim este texto NÃO TEM SPOILERS, então se você quer usar ele como Indicação, de ver ou não o anime, vem comigo.

Mas antes nós temos quer ler…

A [the mine] SINOPSE:

Nazo no Konojo X, ou Namorada Misteriosa X, é um anime que veio de um mangá que parece ser seinen — ou seja, que tem o público adulto como alvo, mas não se trata de ser +18. Mas sim é um mangá/anime ecchi.

Conta a história entre a menina Urabe Mikoto e o gurio Akira Tsubaki. A menina é tal da menina do cuspe… De forma resumida, o cuspe dela parece transmitir sentimentos, pensamentos, e todo o tipo de coisa, para a pessoa que ela tem algum tipo de afeição/ligação especial, e vice-versa. Ai bem, é troca de saliva para cá e para lá (Ecaaaa!).

Qual o Enredo do Anime?

O ritmo do anime é extremamente despretensioso, lembra um pouco as resenhas que já li sobre Ranma 1/2, e mesmo a aparência old school dos character designs lembram obras de Gonagai (mesmo eu pensando que “literariamente” tenham pouca a coisa ver).

Eu li muitas críticas sobre esse anime antes de fazer essa primeiras impressões, inclusive vi o vídeo lá dos meninos do VideoQuest— que eu costumo discordar muito do que eles falam, e na época, acreditem se quiser, eles eram minha “fonte primária” de animes. Hoje (2018) eu realmente não recomendo o trabalho deles.

Cuidado, vejo coisas Ecchi!!
Cuidado, vejo coisas Ecchi!!
A minha impressão é ambígua até agora nesses 7 episódios. Primeiro, temos uma Direção e Roteiros primorosos, visto que o grande movimento do anime é o Cuspe, e deixar a coisa aceitável é tão bem feito, que como eu disse, não tendo muito ecchi eu assisto sem problema.

Mas taí a questão meu amigo Otaku, nenhuma das criticas/reviews/videos que vi sobre a obra relatam o grande sentido que Creio eu, o autor tenta nos trazer:

A Simbologia

Temos duas histórias interligadas rolando na nossa frente: a da descoberta de um garoto sobre o que o é o ‘amor’ para com uma garota, e ao mesmo tempo, temos doses exaustivas e cansativas de símbolos usados a torto e a direito.

Mãeee, dá um HELP!
HELP!

Dado que se trata de uma obra seinen não vejo nada de incomum. Mas o que me preocupa, é a falta de preparo emocional do público que pode ver a obra. Visto porém que o autor visa claramente o japonês contemporâneo que não sabe como funciona um relacionamento a dois, no caso, com um mulher.

Simbologia/História/Sentido da obra

Bom, como aqui não se trata da crítica da obra, não vou defender os pontos Simbologia/História/Sentido da obra. E claro, para não parecer que estou sendo muito paranoico, hehe.

Alguém mais tá vendo alguma coisa dual na canga dela?
Alguém mais tá vendo imagens duais na canga dela?

Posso citar exemplos mais claros de símbolos, como dois limões — o limão para fãs de Yaoi significa sexo explicito na obra  — o uso da tesoura por parte da Urabe — pode significar o movimento lésbico; não que eu tenha nada contra ao Yaoi e ao movimento lésbico, claro — e enfim, tem muita coisa.

Então seu AdminTB, você Indica o Anime?

Olha, pra quem gosta de slice of life, ótimas direção/roteiro, história cativante, eu recomendo sim. Mas advirto, se trata de um seinen, e penso eu que é preciso se ter uma bagagem de vida para não ser atingido pelos símbolos expostos.

Cena de alguns episódios à frente para Instigar

 

Na boa, tirando a parafilia do orgasmo pela boca ou o  sêm… Digo, da saliva, é um anime bom sim, e nossa, muito engraçado! Mas o autor quer assim, paciência. E se você ficou curioso ou curiosa de como eu aguentei os símbolos e o ecchi, presentes na obra, e caso também você queira saber um pouco mais, dê uma olhadinha na Crítica (sem spoilers) que fiz sobre Nazo no Kanojo X.

Lá o texto é bem mais completo, não tem spoilers, e talvez faça você pensar duas ou até cinco vezes antes de ver o anime. Mas sincero? Vale à pena.

Abraços!

Code Geass – Review: Mechas e a Mentira que Mudou o Mundo!

E estamos num dos textos mais interessantes do site, a Review de Code Geass, no primeiro post da série Discutindo Animes. Espero que curtam. Têm muitos “easter eggs”, coisas que poucas pessoas comentam, e muito mais! Boa leitura.

Code Geass – Review: Mechas e a Mentira que Mudou o Mundo!

Senhoras e senhores, depois de algum hiato no mundo dos animes hoje vou dar uma sacada naquele que foi o culpado por me fazer achar esses desenhos japoneses verdadeiras obras de arte — Code Geass. Já falei sobre ele em outros posts — onde eu discuto seu roteiro dos animes — mas agora vou me aprofundar de verdade no anime, discutindo até mesmo  o sentido da obra no geral. Estão prontos? Vem comigo!

Lelouch, pensando.
Lelouch, pensando, vestido de galã de novela

Antes de tudo, tenho que deixar claro que não sou fã “clássico” de animes, mas na verdade gosto da cultura nerd/geek como um todo.

 

Eu também avalio os animes como se estivesse fazendo uma análise literária, então não espere coisas como “adoro esse personagem” ou então “essa luta foi demaais!” e blablabla. Resolvi escrever sobre esse anime, porque ele é um dos mais perfeitos que assisti — uma obra prima. E claro, caso você não queira ler a review inteira, pode ver o vídeo que postei no canal OsEscudeirostv sobre Code Geass.

Sim, Geass é incrível. Para completar, ele vem com uma nova forma de contar a historia — aonde os fatos são o que realmente contam; os personagens pouco influenciam no que vai acontecer, deixando o espectador sempre sem saber como será o próximo episódio, porque a personalidade dos personagens não nos permite adivinhar o futuro — acho que dá pra imaginar minha cara de extasiado a cada episódio. Eu falo mais sobre esse ponto no texto dos Roteiros de Animes pós-Clássicos.

Mas e aí, só são flores? Nada é somente feito de flores.
Agora que começa a discussão. Mas antes…

a [minha] Sinopse:

Lelouch é um cara que resolve dominar o mundo, para descobrir o que afinal de contas aconteceu com sua mãe, e o por que seu pai mandou ele para o fim-do-mundo, sendo que seu pai, já dominava o mundo… Aí ele encontra uma mina, que lhe dará poderes, e assim facilitar o processo.”

ATENÇÃO TEREMOS SPOILERS

Como já avisei lá em cima, teremos spoilers. Na verdade imagino  que você já tenha visto o desenho para acompanhar a discussão. Não viu? Veja. Eu recomendo MUITO.

Como o que eu gosto de ver em obras literárias é se os personagens são vivos, começo por ai. Os destes aqui, simplesmente não são. São rasos. Rasissímos. É fã, tô nem ai pra você. Somente dois personagens tem personalidade, e não são os principais. Nem o Suzaku, nem a Kallen, nem a irmã ‘médium’ Nunnally, ninguém realmente é uma personagem aqui.

Mas e agora, como o anime é tão bom?

Pelo fato do autor nos contar uma história aonde os personagens pouco ou nada influenciam na mesma, era óbvio que eles seriam não-vivos. Porque afinal,  se suas decisões não contam para o andamento da história, ela anda por si. — mas como assim, explique-se!

CC, adoradora de pizzas Hut
CC, adoradora de pizzas Hut

Darei um exemplo: Desde o começo a gente já sabe que o Zero, vai dominar o mundo, certo? E com toda a teatralidade que Geass nos proporciona.

Ele não muda sua personalidade em momento algum. Mesmo não sabendo da CC, ou descobrindo aos poucos o Suzaku — o que o motiva — ou traçando planos 100% fodas e cruéis — como bem lembrado pelo querido chefe — para vencer as contendas, em nenhum momento ele esboça uma mudança na sua forma de ser, apesar dos pesares — mesmo que ele chore, que a CC bata no ombro dele, no outro dia, ele é ele mesmo.

O único momento que parece fraquejar racionalmente é quando ele reencontra sua irmã insuportável, a Euphemia — sim, eu a odeio!
E enquanto eu repetia “mata ela logo”, ele com pena — acho que só eu não tenho pena dela…por mim ela empacotava ali mesmo — revela quem é, e somente a mata depois de alguns episódios — para minha alegria pela metade.

Euphemia, a mina de cabelo rosa da vez
Euphemia, a mina de cabelo rosa da vez

Por que pela metade? Simples, porque ninguém tem culpa da morte. Oh vida! E ainda assim, ele segue com seus planos. Nem com a Shirley sofrendo MUITO, ele volta atrás — essa mesmo,  mais uma que “ama” Lelouch apesar de tudo, e não mudando nada ao descobrir as verdades sobre tudo.

Ai alguém fala: “Mas se ele voltasse e desistisse acabaria a historia.” É provável. O questionável é que ele se mantém do mesmo modo, com os mesmos ideais, prosseguindo com seu plano, sem repensar nada, ou mudar suas ações. E mesmo com o final, ao descobrir que a adorada mãe não valia nada — pra mim o enredo do anime acaba ai — ele continua com o intuito de melhorar o mundo para sua irmãzinha ‘médium’, mesmo que através da mentira: é este aqui o Sentido do Anime. O mundo é passível de boas mudanças, mesmo que através de uma Mentira.

Mas o problema é que Lelouch não cai. Ele não pensa em outra coisa — ele não transmite sofrimento através do que diz, ou de suas ações. E todos os outros personagens são do mesmo modo. O Suzaku porque matou o pai, a outra porque quer morrer — coitado do MAO, esse eu fiquei com dó. Claro que isso não diminui em nada a qualidade da obra, mas é preciso que nós — e vocês ai — abramos os olhos para todas as particularidades.

Quais os Personagens Vivos, Afinal?

Villetta Nu, quem diria que casaria com um pé-rapado?
Villetta Nu, quem diria que casaria com um pé-rapado?

E então, quais são os 2 personagens que possuem vida? Caros amigos, são Villetta Nu e Kaname Ougi. Isso mesmo: uma que tinha altos cargos no império, o outro um joão-ninguém que se torna comandante dos cavaleiros negros. Se encontram no acaso — como é quase o desenho todo — mas vivem uma história entre si que os mudam internamente — como personagens.

Ougi -- sortudo.
Ougi — sortudo, mas que mudou seu interior no decorrer do anime.

A gente percebe a luta interna dela, que não quer deixar de ser quem é, e ele que deixa de ser um cagão aos poucos. Nós vemos toda uma mudança de caráter de ambos, ao redor de todos os outros personagens mais rasos. E não, não tô nem ai pro “amor” envolvido, estou falando de “pessoas” que mudam, vivem as consequências, sofrem pelos atos… Isso é fazer algo vivo.

Gosto deles? Não muito.

FATOS INUSITADOS

Arthur o gato
Arthur o gato

Chegando aos finalmente, temos os fatos inusitados do anime. No meio do anime encontramos um gato (o Arthur) que me encasquetou até não poder mais, mas no fim, não significava nada, era só um gato mesmo…

Nunnally -- eu tenho medo
Nunnally — eu tenho medo

A Nunnally que sempre adivinha quem está na porta, quem está subindo na torre da escola, de quem são os passos chegando — sendo que os pés dela nem mesmo tocam o chão! Cara ela tem poderes paranormais!! É quase uma médium véi! Acho que por isso demorei pra entender algumas coisas que a envolviam…

Quantas vezes temos a cena:

Lelouch: “Vou entrar devagarzinho para a Nunnally não me ouvir chegar…”
Nunnally: “Lelouch, é você?!”
Lelouch: poker face.

é Nina, quem vê sua cara nem imagina...
é Nina, quem vê sua cara nem imagina…
Quem não?
Quem não?

Temos também a Nina, que meio que inventou uma arma de destruição em massa. Mas ela só está aqui porque sentia ‘algo’ mais pela Euphemia, na cena clássica da mesa, que todo jovem já passou — apesar que devia haver algo entre ela e a Milly.

Contudo  sempre pensei disso só acontecer com  garotos, porque afinal, não sei se algo assim ocorre com as meninas… Ocorre?!

Cornelia, isso que é mulher de verdade!
Cornelia, isso que é mulher de verdade!

Temos também a Cornelia, que é A CARA da Carmem San Diego, morreu 2 (duas) vezes, sendo que levou até uma rajada de tiros nas costas, mas estava lá, impávida para destronar Lelouch. Sem dúvida alguma uma personagem forte cuja o autor sentiu muita falta quando deu uma “sumida”. Taí o porquê dela sempre voltar: Cornelia faz falta no andamento da história. Na boa, quem não gosta dela?

Zhou Xianglin, ou será Shun-lin?!
Zhou Xianglin, ou será Shun-lin?!
Li Xingke ou Shiryu?
Li Xingke ou Shiryu?

Temos também os chinesinhos apaixonados, numa mistura de Shiryu (Li Xingke) e Shun-li (Zhou Xianglin]), mas e daí não é mesmo?

 ELE MORREU ou NÃO MORREU?!

Lelouch é zero, ou zero é Lelouch?!
O Grand Design de Lelouch!

Sim amigos, antes do fim, o fim do desenho. E ai? Lelouch morreu ou não? Tem um imensa discussão de que o final onde ele aparece vivo só tem no DVD, ou foi lançado só no Japão… mas ainda assim C.C. conversa com alguém…

Existe até uma teoria interessante que vi num fórum, que explica como ele ficou vivo — parece que ele roubou a imortalidade de Charles, ou a pegou com a CC, visto que Nunnally ao tocar nele, viu o “grand design“. Não tô afim de discutir isso. De certo só que foi uma estratégia muito sagaz do autor, para agradar dois tipos de fãs: os que queriam ele morto, e os que queriam ele vivo.

Para quem ainda não viu Lelouch vivo!

Eu de cá não estou nem aí, para mim a decisão do autor, é a decisão do autor. Nos resta admirar o quão eficiente foi, afinal dispomos de dois finais para podermos discutirmos ainda mais essa obra-de-arte. O mais interessante disso tudo é que teremos uma Nova Temporada de Code Geass, assim como tivemos algumas animações contando o “prequel” do anime. Mas… será que neste “novo” Code Geass, Lelouch está REALMENTE vivo? Tudo leva a crer que sim.

Aliás, é assim que vejo os mangakás, pintores, escritores etc. Sempre procuro respeitar as decisões tomadas. A única coisa que espero, é uma obra completa, repleta de nuances humanas e que tenha lógica, com inicio, meio e fim. O resto, é com ele/a, e nos resta admirar ou odiar — E você, o que achou do fim do anime?

Então é isso. Foi um prazer poder discutir Geass com vocês, o anime que em momento algum se perdeu para contar o incontável, mesmo com o final duplo, o que na minha humilde opinião nos faz admirar ainda mais a genialidade do autor.

Um Easter egg interessante sobre a C.C.:

C.C. a mina que amava de mais... pizzas Hut.
C.C. a mina que amava demais… pizzas Hut.

Direto do Codegeass.Wikia: “Durante o estágio de planejamento de CG, o nome originalmente pretendido para C.C. era Cera (セラ, Sera), mas depois isso foi esquecido. De qualquer jeito, em algumas legendas, se refere a ela como Cecile de vez em quando. (Eu ainda acho que seja Snow, mas né…)”

Abraços a todos!

Fonte de pesquisa:
1. Lista dos personagens da Wikipedia
2. Codegeass.Wikia

Sakamichi no Apollon – Sinopse: Uma bela surpresa para quem gosta de animes

Grande apreciador do entretenimento japonês, eu mesmo conferi este anime Sakamichi no Apollon, e posso adiantar pelo que vi até agora, que o anime é bom e tem tudo para ser um dos melhores este ano.

Sakamichi no Apollon – Sinopse: Uma bela surpresa para quem gosta de animes

Sinopse:

Era uma vez sobre o forte calor do verão de 1966, Kaoru Nishimi mudou-se para viver com parentes em Kyushu. Ele tem sido um aluno encrequeiro toda a sua vida, mas começa a mudar quando conhece Sentarou Kawabuchi, um menino famoso da escola. Através dele, ele aprende o apelo do jazz e faz suas primeiras amizades verdadeiras.

Gênero: Josei, Mangá
Ano: 2012
Episódios: ?? Só Deus sabe!!!

Trailer:

Golden Boy – Critica: Não custa nada aprender sobre a vida

E aqui uma Crítica do Anime Golden Boy, feita pelo nosso querido amigo Alan Borges. Espero que curtam, porque ele é um grande fã do anime e um grande conhecedor do mangá. Se você quiser ver um Clip de Golden boy, basta clicar Aqui.

Golden_Boy wall

Olá pessoal da Fonte Geek, meu nome é Alan Borges e eu sou do Blog N64 Brasil, do qual meu amigo Tássio Bruno também faz parte, e, como uma forma de retribuição cá estou para ajudar o blog com um post.

Golden Boy – Critica: Não custa nada aprender sobre a vida

Pois bem, hoje eu irei falar de um anime no qual eu gosto muito, que é o Golden Boy. Escrito por Tatsuya Egawa, o anime é um OVA (formato de anime que consiste em apenas alguns  poucos capítulos e que são lançados pro mercado de vídeo), e que conta a História de Oe Kintaro, um jovem de 25 anos de idade que larga tudo na sua vida para viajar de bicicleta pelo Japão de cidade a cidade  a procura de novas experiências e aprendizados.

Durante a sua viagem, ele conhece vários tipos de mulheres, tendo relacionamentos diferentes com cada uma e consequentemente aprendendo mais sobre o universo feminino.  Kintaro consegue mudar e fazer parte da vida de todas as mulheres que conhece, embora a primeira impressão que as mulheres tenham dele seja de um cara pobre e desajeitado.

Com o tempo, Oe Kintaro desenvolve várias habilidades devido aos diversos empregos no qual ele já trabalhou (No decorrer dos capítulos, são justificadas as habilidades que ele adquiriu, como artista circense e lutador de karatê, por exemplo).  Kintaro leva consigo um pequeno bloco de notas no qual usa para anotar todas suas observações sobre o comportamento humano. Esta é uma das lições que o anime prega, que se deve sempre ir em busca de novos aprendizados e de sempre aperfeiçoar o seu ser.

O gênero do anime pode ser considerado como “Comédia Romântica”. Embora haja algumas cenas picantes, o Anime em si não é considerado hentai, ao contrário do mangá, que a partir do segundo volume passa a ser pornográfico.

Wallpaper

Golden Boy é uma ótima pedida pra quem se amarra no gênero e curte OVAs. Gostaria de agradecer a equipe da Finte Geek, em especial o brother Tassio Bruno pelo espaço pra divulgar esse ótimo anime. Valeu pessoal, abraços!


Esse foi nosso grande amigo Alan Borges, direto do blog N64Brasil; se você também quer ter um post seu aqui na AfonteGeek, basta entrar em contato! Abraços!

Another – Crítica: O Suspense e Terror em Anime!

Aqui nós temos uma Crítica de Anime de terror e suspense, Another. Sem spoiler algum, para você que ainda não conhece o anime. Se você não conhece o anime e está em dúvida se ele vale à pena, com certeza você deve ler o texto.

Another – Crítica: O Suspense e Terror em Anime!

Recentemente estava me perguntando se realmente animes nos apresentam estórias boas e diferenciadas em sua forma de contar. Este questionamento ocorreu devido a uma safra muito ruim de animes na ultima temporada. Estou com pouco entusiasmo para animes recentemente, mas eis que surge “Another”  e me mostra que os animes ainda têm muito a oferecer.

Sinopse do anime

Another é uma adaptação do romance de Yukito Ayatsuji, sendo adaptado também para o mangá por Hiro Kiyohara.  A serie de TV foi produzida pela PA Works, contendo doze episódios.

Sei que estou atrasado com esta critica e por isso peço desculpas, a demora foi por que tive que pensar com cuidado sobre como avaliar esta série, mas enfim vamos ao que interessa.

Tudo foi Intencional

Como eu suspeitava, aqueles erros que mencionei nas Primeiras Impressões eram intencionais e faziam parte da trama. Another é um grande presente para nós, mostrando que ainda é possível fazer estórias originais em tempos como o nosso.

Calma amiga ou amigo que esta lendo esta critica não vou fazer spoiller, mas vou lhe dizer que os primeiros dois episódios foram muito maçantes mais cruciais, afinal todo inicio de uma obra é meio chato. E o suspense? E o horror? paciência caro amigo, pois irei chegar nele agora.

O Suspense começa

O suspense de Another realmente começa no final do episódio três e ainda nos surpreendendo, pois ele muda o foco do anime, ou seja, ele se inicia focando em uma estória e depois  muda para contar outra até então desconhecida, mas que esteve sempre presente de forma sutil devido ao clima ambientado no anime. Isso foi uma sacada de gênio, porque faz você se interessar mais na trama,lhe mostrando que ela é muito mais do que você imagina.

Tudo muda a partir do terceiro episódio, inclusive mostra o que o anime quer passar, que é: “Desespero”. O medo de você saber que o pior lhe espera, e que  não há nada que você possa fazer.

O Desespero

Essa sensação o anime segura e mantém muito bem, e quando você menos espera já esta totalmente envolvido com a estória. Isso também foi possível devido ao bom traço do anime,o efeito de claro e escuro e o constante uso de cores frias. Com isso o anime se encaminhava para uma ótima obra … Mas como você bem sabe caro leitor nem tudo são flores.

Infelizmente a forma como você conclui algo acaba pesando muito. A conclusão de Another não fez jus ao conteúdo apresentado até então. Isso ocorreu devido ao número de episódios que foram muito poucos para uma trama muito densa. Os cortes de cenas no episódio final, são inacreditavelmente erros absurdos.

O exagero nos dois últimos episódios é gritante, confesso que existem mortes legais, mas como acabei de dizer exageraram muito. A  loucura final foi muito mal construída, fazendo somente você pensar: “vixe!”

O climax

O climax que você esperou todo o anime, que é era a resolução do mistério, é mostrado de uma forma tão deprimente que você nem se surpreende tanto, simplesmente… Você aceita. A falta de desenvolvimento dos outros personagens foi o erro, e atrevo-me a dizer até infantil.

Conclusão

Com esta conclusão ficou claro que o anime merecia mais episódios e não ser transformado no filme “Premonição”, mudando o foco para algo menos interessante que são como eles irão morrer. Foi uma pena… Realmente o anime tinha tudo para ser ótimo.

Another não é um anime ruim, na verdade ele está muito longe disso, mas a sensação de que poderia ser algo mais fica clara no término do último episódio. Para quem adora ver sangue e mortes desenfreadas irá adorar o anime.

Também quem adora uma estória muito bem contada e consistente, verá que a chance do anime se consagrar foi perdida. Uma pena! pois realmente estava gostando muito dele, mas ainda assim Another é um dos melhores animes da Temporada de 2012.

 Avaliação: Bom!!

Sankarea: Anime e Mangá para quem gosta de um Ecchi – Indicação

Fala galera, tudo bem? Espero que sim. Trago a sinopse e uma indicação tanto do mangá quanto do anime de Sankarea, para aqueles e aquelas apreciadores da cultura japonesa. O mangá de Mitsuro Hattori, é dos gênero Comédia, Terror, Shounen, Romance, Sobrenatural, Ecchi, Zumbi… isso mesmo, Zumbi! Mas será que pelo menos o anime vale à pena? E ah sim, o post tem um videozinho também! Enfim, vem comigo.

Sankarea: Anime e Mangá para quem gosta de um Ecchi – Indicação

Segue abaixo a sinopse do Mangá:              

Furuya é obcecado por zumbis. Ele coleciona figurinhas, assiste todos os filmes e joga qualquer jogo de mortos vivos… E só se interessa por garotas zumbis. Quando seu gato morre, Furuya começa a tentar trazê-lo de volta usando um antigo livro de arte oculta que ele comprou em uma loja. Mas o que acontecerá quando ele ver a garota mais famosa da escola de garotas, andando perto de onde ele faz seus experimentos, desejando morrer e renascer como uma pessoa diferente?

Bom eu ainda não li esse mangá, então não posso dar a minha opinião sobre ele, mas ele é um dos mangás mais comentados da atualidade. O mangá já esta no seu 24ª capitulo. E  para quem gosta de comédia, cenas sensuais e romance, ele pode ser uma grande pedida. Agora… eu vi o anime. E ai?

Mas e a Indicação do Anime de Sankarea?

O quê? Não quer ler o post? Então vem ver o vídeo!

Pois é senhoras e senhores, apesar de não ter lido nada do mangá — confesso que prefiro mangás de romance seinen ou algum shonen “diferentão” — eu dei uma olhadinha sim no anime. Na verdade eu cheguei a assistir até mais ou menos ao 8º episódio. E como esse post não é nenhuma review ou análise, o que posso dizer são essencialmente 2 coisas: a arte da Rea é linda. E o romance… é meio limão com mel. Mastruz com leite.

Vamos fazer uma analisada rapidinha para que vocês possam entender melhor. A Rea, que é a garota “nova do bairro”, vamos dizer assim (para encurtar um pouco mais) tem uns do character design mais lindos que eu já — Rea inclusive aparece no meu Top5 Mulheres +Lindas dos Animes. Para resumir ainda mais: a Rea é linda e de encher os olhos. Apesar de já ser um pouco mais velho, confesso que ela é daquelas meninas que ainda nós deixa doido, sabe como é?

Principalmente depois que ela morre… ou melhor, depois que ela morre e revive de um jeito “fantástico”, se tornando uma lindíssima zumbi: que de vez em quando tem acessos de fome e quer literalmente COMER o protagonista do anime… que cá entre nós, é um pé no saco durante o anime inteiro (pelo menos até aonde eu acompanhei).

Incrivelmente o anime não tem doses cavalares de ecchi, como o mangá parece ter. Mas palavra certa é… sensual. Você não vai ver peitos saltando e calcinhas *recheadas* a todo momento, ou mesmo rapazes saradões (se essa for sua praia), mas você vai ver uma menina linda, maravilhosamente linda e com fome… de sexo.

Recomendo deveras se você, menino ou menina, gosta de um anime de romance diferente, com uma sub-trama “normal”, mas com uma trama principal que tem desde um gorezinho, a uma linda jovem sensual for caralhos.

Sanka-Rea

Rea… VEM NI MIM! (Tem especial cosplay da Rea no site!)

Já conhece a iniciativa Os Escudeiros?