5 Curiosidades sobre Aviões que Você nem Imagina! (Parte 1)

Bem-vindos meus amigos and amigas a mais uma das Curiosidades Geek/ Nerds que você só encontra aqui, no Afontegeek! Nestas 5 Curiosidades Incríveis da Aviação Parte 1 temos  O Avião Mais Rápido (que parece com o avião dos X-men), O Maior Cargueiro e o Primeiro a Bater a Velocidade do som! Curtam!

5 Curiosidades sobre Aviões que Você nem Imagina! (Parte 1)

SR-71 Blackbird

5 Curiosidades sobre Aviões

Parte 1Parte 2

Especial Curiosidades Geek

Games > HQs > Animes > Gatas dos Games > História > Segunda Guerra Mundial > Aviões > Tecnologia Militar> Desenhos Animados > Invenções e Tecnologias que Mudaram o Mundo > Tecnologias Espaciais do Futuro

E lá vamos nós para mais um post de Curiosidades Geek / Nerd aqui do Afontegeek! Como sou um fã de aviação (principalmente dos caças, os aviões de guerra) resolvi reunir 5 Curiosidades sobre os Aviões que você nem Imagina! Aqui estamos na PARTE 1 de nosso especial!

Mas como as curiosidades ficaram “muitas”, resolvi dividir o post em duas partes. Aqui na Primeira Parte vamos saber um pouco sobre o Avião mais Rápido já feito, o primeiro a alcançar a velocidade do som, e o maior avião cargueiro já feito! E não esqueçam de depois ver as 5 Curiosidades sobre os Aviões que você nem Imagina Parte 2!

Enfim, boa leitura e boa Informação a todos!

SR-71 BlackBird – O “Avião dos X-Men”

SR-71 do filme X-men First Class

SR-71 do filme X-men First Class

Essa daqui vai para os “nerds de plantão” — afinal estamos num site geek né verdade? Este aqui é o espantoso e maravilhoso SR-71 Blackbird, ou como o apelidei: “O Avião dos X-men”. Simmm ele existiu na vida real — muito real na verdade.

Ele foi concebido ainda com a denominação A-12 (Archangel ou Article) a pedido da CIA para substituir o avião espião U-2, que já havia sido derrubado uma vez pela URSS — estamos falando da época da Guerra Fria senhoras e senhores. Pois então, ele tinha que: Voar Muito Alto, Muito Rápido e ainda ser “invisível aos radares” para que espionasse Melhor — mesmo que ele ainda não fosse tão “stealth” quanto seus parentes próximos F-117, F-22 e F-35 — esses dois últimos aparecem inclusive na nossa Parte 2. E ahh sim.. ele foi testado na Área 51 (que existe MESMO!).

A-12 OXCART

A-12 OXCART

Foi com esses propósitos que foi gerado o A-12 e mais tarde o seu “filho”, o memorável SR-71 Blackbird que conta com o Recorde de Velocidade Absoluta: 3.529,56 Km/h (+Mach 3); Altitude absoluta: 85.069 pés; Voo New York – Londres: 1 hora, 54 minutos e 56 segundos.

O “bichinho” foi colocado em serviço em janeiro de 1966 (pouco depois da estreia e aposentadoria do A-12) e foi tirado de serviço em 1989 — os USA dizem que foi porque os “satélites já conseguiam espionar melhor e + barato que o SR-71”. Mas nesses mesmos anos entraram em serviço os Mig-25 e Mig-31 que foram concebidos para… interceptar and abater o SR-71 Blackbird.

SR-71 BLACKBIRD

SR-71 BLACKBIRD

Bom… só pra fechar: tudo novo foi criado para ele. Ele era quase todo em titânio. Foi um dos primeiros aviões a usarem compostos em sua estrutura. Até o combustível era diferente — seus motores funcionavam em Ramjet em voos de altíssima velocidade. Foi o primeiro avião a adotar conceitos de Stealth a se tornar Totalmente Operacional e reza a lenda que quando lançavam mísseis para derrubar o bichinho, o piloto simplesmente ACELERAVA para Escapar.

E ainda fez uma aparição no filme X-Men Primeira Classe kk — mas o da vida real não planava no ar não que nem helicóptero não viu!

Fontes: Cavok – “A” de ataque: Lockheed A-12 OXCART, o pai do SR-71 Blackbird [Link] / Cultura Aeronáutica – Segredos do espantoso SR-71 Blackbird [Link]

Bell X-1: O Primeiro Avião mais Veloz que o Som!

Bell X-1

Bell X-1

Se vocês viram o nome “Mach” seguido de um número, quer dizer que o avião (ou objeto) ultrapassou a velocidade do som. Como o SR-71 fazia +Mach 3, quer dizer que ele ultrapassava a velocidade do som em mais de 3 FUCKING VEZES! Mas tudo tem um começo né não? E o começo do voo que supera a velocidade do som veio com esse bichim: o Bell X-1.

Em 14 de outubro de 1947, o Bell X-1 tornou-se o primeiro avião a superar a velocidade do som, pilotado pelo Capitão da Força Aérea dos Estados Unidos Charles “Chuck” Yeager. Neste vôo de número 50 do X-1, foi atingido Mach 1,06 — isso em voo nivelado.

Bell X-1

Bell X-1

Também “reza a lenda” que o primeiro avião a jato a participar de uma Guerra, o assustador Me-262 alemão (que participou da 2º Guerra Mundial) conseguia superar a velocidade do som “caindo à toda velocidade”.

Pena que não vimos a “primeira batalha de caças à jato” na 2º Guerra Mundial — porque os Gloster Meteor (britânicos) e os P-80 Shooting Star (americanos) que entraram em operação, ali, perto do mesmo período, nunca “encontraram” os Me-262. Mas isso é outraaa história…

Fontes: Wikipedia – Bell X-1 [Link] / Velocidade supersónica [Link] / Area Militar – Me-262A 1a «Schwalbe» [Link]

Antonov-225 Mriya: O Maior Avião de  Carga do Mundo!

An-225 Mriya

An-225 Mriya

Esse é um verdadeiro MONSTRO. Se trata do maior avião cargueiro e também maior avião (mesmo) do mundo hoje: o impressionante An-225 Mriya ucraniano! Ele foi construído baseado no seu “irmão menor” (que também não tem iguais no mundo) chamado An-124 Ruslan, somente para poder “levar de um lugar para o outro”, o ônibus espacial russo, o Buran.

Ele só não é maior em envergadura (tamanho da asa de ponta a outra) que o Hughes H-4 Hercules. Mas nada se compara a ele, em… nada, vamos dizer kk. Fica a curiosidade “monstra” que ele tem o Record de maior carga transportada (claro). Isso foi em setembro de 2001, quando o An-225 voou transportando uma carga de 253,86 TONELADAS (dá mais ou menos umas 5 ou 6 sogras… hehehe). Sendo que sua capacidade máxima é de 300 TONELADAS (DENTRO ou FORA!).

An-124 Ruslan

An-124 Ruslan

Outra curiosidade, que na verdade o maior avião de carga do mundo “produzido em série” foi o seu irmão mais velho (“e menor”) o também gigante An-124 Ruslan, já que o An-225 Mriya foi feito com o propósito de carregar o Buran “nas costas”, sendo Só Um. E para ver a história completa do An-225 Mriya, basta Clicar Aqui e ver um vídeo da Discovery que conta tudo direitinho!

An-225 Mriya e Buran

An-225 Mriya e Buran

Ahh sim! Fica a curiosidade que a aeronave fictícia An-500 que aparece no Filme 2012 foi claro, baseada no An-225 Mriya!

Fontes: Plano Brasil – História do Antonov An-225 Mriya – OTAN “Cossack” [Link] / Wikipedia – Antonov An-225 [Link]

————————————-

F-35-701241

Na 5 Curiosidades sobre Aviões que Você nem Imagina PARTE 2, falamos um pouco sobre o Primeiro Avião feito pelo homem. Será que foi o Americano? A história oficial diz que sim. Eu tenho minhas duvidas… Será? Click também para descobrir qual foi o caça (avião de guerra) mais caro já construído e sobre a primeira pessoa que foi capaz de fazer um objeto voar!

Certeza que vocês não podem deixar de ler!

6 Respostas para “5 Curiosidades sobre Aviões que Você nem Imagina! (Parte 1)

  1. O SR-71 Blackbird nunca foi invisível aos radares, voava tão alto e rápido que nunca foi alcançado por misseis ou caças de interceptação, mas mais de dez naves foram perdidas por causa de acidentes. Tinha um altíssimo custo de operação e manutenção, seus pilotos usavam um traje similar aos dos astronautas devido a altitude de voo, usava um exclusivo combustível viscoso para alimentar 2 motores que operavam em regime de pós combustão contínua para voar a mais de march 3. Em junho de 1995 três blackbirds foram reativados na base aérea de Edwards para voos no Oriente Médio e na Coréia do Norte e outros usos não divulgados e depois definitivamente aposentados em outubro de 1997.

    • Nunca disse q eles foram invisiveis, disse q eles foram um dos primeiros a usar tecnologia stealth, “Foi o primeiro avião a adotar conceitos de Stealth…” o assunto é outro. N comparei eles aos F-117 por ex. É… o indice de perda (“atrito”) deles era alto mesmo, mas valia a pena. Sobre essa reativação eu n confirmo nem afirmo viu fera — ate pq né?

      • O primeiro avião a tentar usar tecnologia de não detecção foi o Horten Ho 229 ou Horten H.IX da segunda guerra mundial, projeto da Alemanha Nazista, seu protótipo foi confiscado pelos EUA e seu design acabou dando origem ao atual bombardeiro B-2 Spirit. O bombardeiro Avro Vulcan da RAF também teve seu desenho baseado no chamado ” V BOMBERS ” , a forma triangular ( e os materiais da estrutura ) forçam parte das ondas dos radares a ir para o interior da nave onde ficam presas e perdem energia, apesar do tamanho o Avro era de difícil detecção para os radares da época, mais tarde essa técnica foi novamente empregada nos aviões SR-71.

      • Eu diria que NÃO Heitor. O Horten Ho229 não foi feito pensado em ser stealth — ou seja, em ser invísivel aos radares. Ele foi feito no formato de asa porque esse formato garante Grande Autonomia. Isso quer dizer IDA E VOLTA da Alemanha-USA-Alemanha. Na verdade, NA MESMA ÉPOCA, os Estados Unidos inclusive a propria Nortrop Grumman estava desenvolvendo um bombardeiro em formato de asa chamado XB-35 — dizem alguns que ele era problemático porque “de repente” ele sumia dos radares. E depois o YB-49. E o mesmo vale para os V-bombers ingleses (“deltas”) — grande autonomia; V-bombers esses que não tinham nenhumazinha intenção de serem stealth, muito pelo contrário.

        Fica até o fato de que o Vulcan foi interceptado aqui no Brasil qnd ele passava em direção à Guerra das Malvinas na Argentina — vimos ele no radar, os F-5e perseguiram o bichão, ele pousou aqui e nós “pegamos emprestado” a tecnologia de missil antirradar…

        MAAAS é notório que os alemães conheciam bem de stealh porque na mesma epoca do F-117 eles estavam desenvolvendo um projeto com as mesmas especificações. Já os A-12 e SR-71 (se vc procurar na internet vai encontrar informações até de que russos desenvolveram o stealth) começaram a utilizar os conceitos que foram aos poucos sendo adquiridos. Alguns pela Boeing, outros pela LM e outros pela Nortrop.

        ps: Agora o formato de Asa realmente garante baixa visibilidade aos radares MESMO. Se a intenção do Ho229 TBM era ser stealth, além de ter grande autonomia… bom… Bom… Enfim, rs. Certo que os americanos tbm estavam desenvolvendo um bombardeiro com o mesmo formato na mesma época (ou seja, ANTES, dos americanos terem acesso aos planos do ho229). Toca música do Arquivo X por favor!

        ps²: Lembrando q a força aerea alemã não gostava muito da ideia de “bombardeiros de longo alcance”, dando mais atenção sempre aos de “voo picado”. Por isso, diferentemente dos Aliados, ela não chegou a ir adiante com os projetos de Nenhum Deles. Por outro lado o XB-35 e o YB-49 americanos voaram… Mas depois da guerra. De novo música do Arquivo X…

        ps³: “A static reproduction of the only surviving Ho 229 prototype, the Ho 229 V3, in American hands since the end of World War II was constructed in the very early 21st century and later tested by the U.S. military, who found the basic shape, paint and laminating adhesive composition of the mockup copy would provide for 37% reduction in detection range against the British Chain Home radar used for Ground Controlled Intercept (GCI) earlier in the war, but no significant stealth benefit against more modern radar systems in use when the aircraft was under development” [Wikipedia]

        Ou seja, o formato de asa garantia um pouco de baixa visibilidade para o Ho229 em caso dos radares usados no comecinho da 2GG. Mas o beneficio era 0 (nulo) sobre os radares mais utilizados no decorrer da Guerra, quando ele estava sendo desenvolvido. Reforça a tese de que seu projeto foi feito pensando em ter uma maior autonomia mesmo.

  2. Vou divergir um pouco do seu ponto de vista, muitos especialistas e até a própria Northrop consideram o Horten Ho 229 a primeira tentativa de uma aeronave ter baixa assinatura no radar, um artigo da BBC que descreve como ele foi um avião muito a frente do seu tempo e como seu projeto é admirado até hoje ( http://www.bbc.com/future/story/20160201-the-wwii-flying-wing-decades-ahead-of-its-time ). Em 2008 a Northrop-Grumman construiu um modelo em tamanho natural desse avião que foi testada para determinar a sua assinatura de radar (RCS), nos equipamentos usados em meados da década de 1940.
    Os testes mostraram que se o Horten Ho 229 fosse totalmente funcional ele se aproximaria da costa inglesa a partir da França a 885Km/h e voando entre 15-30 metros acima da água teria uma RCS 60% menor de um Messerschmitt Bf 109. Essa diferença associada a elevada velocidade da aeronave teria dado as defesas britânicas apenas dois e meio minutos de aviso para responder, o que não seria suficiente, para poder ser feita uma interceção. Veja bem, o projeto do Ho229 não era se tornar invisível ( não existia tecnologia para isso naquela época ), o objetivo era mais tático, ter uma assinatura baixa o suficiente para não dar ao inimigo tempo para reagir, mesmo assim por ser um projeto tão inovador para a época ao incorporar turbinas a jato na fuselagem ele é considerado o primeiro avião furtivo da história. Tudo foi filmado pelo produtor Michael Jorgensen do National Geographic Channel que montou um documentário dos testes chamado Stealth Fighter – Hitler’s Secret Weapons Recreated | Greatest Mysteries of World War II.

    Sobre o Avro Vulcan que pousou no Rio de Janeiro em 1982, foi um pouso de emergência. Depois de bombardear a pista e os ”radares” argentinos em Port Stanley nas Malvinas teve problemas na bomba de combustível e não conseguiu ser reabastecido no ar. Foi forçado a pousar no Brasil para não cair no mar, solicitou ajuda pelo canal internacional de emergência e o Brasil como país neutro fez o que esta prescrito de acordo com a convenção de Genebra, autorizou o pouso, enviou escoltas para o Vulcan pousar no aeroporto do Galeão ( hoje Tom Jobin ), foi liberado uma semana depois quase no fim da guerra das Malvinas.

    • Humm Heitor eu acho que a grande questão aqui sobre o Ho229 não é ele ter sido stealth ou não — mas sim QUAIS fontes estamos utilizando para afirmar uma coisa e outra. Falo isso porque a fonte que cito mostra que ele era “um pouco stealth” para os radares ingleses de 1940, período exato à guerra da Inglaterra aonde os ingleses sagraram-se vitoriosos (sendo que seu primeiro voo foi em 1944 MUITO DEPOIS desse conflito). E que já neste período (pos-guerra da inglaterra) a fonte mesmo mostra que o Ho229 NÃO ERA MAIS STEALTH para os radares desenvolvidos no decorrer da guerra.

      Trocando em miúdos: se o Ho229 estivesse operacional no período da guerra da Inglaterra, os radares ingleses teriam alguma dificuldade sim de detectá-lo. Mas, depois desse período, no meio da 2GG, os novos radares já presentes no conflito detectariam o ho229 como se ele não fosse “nada” stealth.

      Vou ser sincero contigo, não confio lá muito nos docs que vejo por ai, porque já vi muita informação errada. Mas de qualquer jeito isso de modo algum quer dizer que os alemães não tivessem algum estudo sobre tecnologia stelth (que foi o que eu deixei em aberto no comentário quando citei que na mesma epoca do F-117 eles já tinham um projeto parecido em curso chamado MMB Lampyridae). Eu quis dizer que por fontes oficiais e pelo uso da formato de asa voadora, o grande objetivo dele era ter maior autonomia — tendo sido o stealth talvez um efeito “indesejado-desejado”, mas que, segundo a fonte que citei, não tão grande assim para que ele fosse à época que ele voou a 1x (no finalzinho da 2GG) uma projeto stealth.

      Sobre o Vulcan então… Ele não era nem em sonho Stealth e vc sabe disso pela deriva que ela apresenta bem no centro da fuselagem — ela teria de estar “dos lados” assim como nos avioes verdadeiramente furtivos. Ou melhor, NÃO ter deriva alguma — eu não posso dizer que ele era uma asa voadora, mas sim, um delta. E outra coisa, de fato os F-5e trouxeram ele até pousar e sim, reza a lenda que nossa missil MAR-1 foi projetado a partir “dos espólios” que ele deixou.

      Agora concordo com vc no ponto que em se tratando de asa voadora, o ho229 de fato foi o primeiro projeto já com motores a jato na propria fuselagem, coisa que so foi repetida agora com o B-2. E eu até pensei em citar o Ho229 como primeiro avião stealth, mas como ele nunca entrou em operação pelo que eu falei sobre a Luftwaffe sempre preferir bombardeiros de voo picado a estratégicos, pela fonte q eu citei, por seu desejo de grande autonomia e blablabla, achei melhor falar um pouco+ do SR-71 que na vdd, é o que entrou em operação e já se utilizava sim de conceitos stealh — olha as derivas dele, as superfícies facetadas, etc.

      Mas se vc chegar pra mim e perguntar “Hei #ADminTB vc acha que ho229 influenciou de alguma forma os projetos da nortrop, apesar dela sempre ter estado envolvida em asas voadoras?” eu vou dizer que sim. Mesmo ela estando com seus projetos próprios ANTES de saber da existência do Ho229 eu acho (opinião minha) que eles ganharam alguma coisa (p/ nao dizer muito) qnd puseram as mãos no projeto alemão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s