Daft Punk, Random Access Memories – Crítica: Quando o Groove alcança a Música Eletrônica (techno)

Bem vindos caros amigos, leitores e leitoras, a mais uma review de álbum feita com todo carinho para vocês. Nesta crítica (análise) nós vamos dar aquele look no incrível álbum Random Access Memories da dupla francesa de música eletrônica: Daft Punk! Apreciem porque são músicas Sensacionais!

Daft Punk, Random Access Memories – Critica: Quando o Groove alcança a Música Eletrônica (techno)

Random-Access-Memories-Daft-Punk

Bem vindos meus bons amigos, a tão prometida criticada banda (dupla) Daft Punk! Já fazem muitos meses que venho prometendo fazê-la, mas finalmente tomei aquela coragem básica. Eu sei que é meio estranho um “metaleiro” falar de uma banda “techno”, mas pensem sempre que: Ninguém vive só de Metal.

Pois muito bem… neste texto vou falar um pouco sobre o álbum da vez: “Random Access Memories”; e também um cadinho só sobre quem “são” esses dois Gênios da música eletrônica (ou será… do soul, do funk, do groove?). Vamos descobrir juntos enquanto ouvimos algumas músicas escolhidas deste álbum perfeito!

Quem são o Daft Punk

O Daft Punk é uma dupla de (dois rs) de músicos que se juntaram para fazer um som eletrônico: o luso-francês Guy-Manuel de Homem-Christo e o francês Thomas Bangalter. Eles que se fizeram a dupla lá no começo dos anos noventa (mais ou menos em 93) e alcançaram relativo sucesso ainda no final dos anos 90, lá mesmo na França: no estilo “house” — seja lá Deus o que isso queira dizer.

Give Life Back to Music 

Até agora lançaram 5 álbuns, dos quais conheço Discovery, este Random Access Memory (2013) e também a trilha sonora de Tron: O Legado (2010). Na verdade conheço o Discovery graças a animação Interstella 5555 (2003) — One More Time! — que foi feita pela Toei com o supervisão do mesmo mangaká de animes sensacionais como Galaxy Express 999 (que sou um puta fã) e também de Capitão Harlock: o senhor Leiji Matsumoto.

Fica a curiosidade de que nos shows ao vivo a dupla de música techno é conhecida por trazer vários elementos visuais incorporados às cançções (além de usarem seus trajes espaciais): Deve ser mítico ver um show ao vivo deles.

Mas como estou aqui para falar de um álbum deles…

Um pouco sobre o álbum Random Access Memories

daft punk random access memories cd

Random Access Memories é o último trabalho dos caras e na verdade começou a ser desenvolvido ainda em 2010 enquanto eles faziam a trilha sonora do filme Tron: O Legado — mesmo tendo sido lançado somente em 2013 (ou seja… 3 anos de gestação).

Esta belezura de CD foi um belo sucesso de público e crítica (não só do meio eletrônico) e chegou a ganhar o Grammy como o melhor álbum do ano de 2013, além de CDs de platina na Austrália, Bélgica, Itália, Nova Zelândia e Reino Unido, além de um CD de Ouro na Espanha. O lugar que mais vendeu foi justamente na Terra da Rainha: com +300,000 cópias vendidas!!

Get Lucky (com Pharrell Williams)

Quem sinceramente não ouviu essa em 2014 em?

O álbum ainda conta a participação do “gogó de ouro” Pharrell Williams nas músicas “Lose Yourself to Dance”, e “Get Lucky” (ambas com clipes LINDOS!), de Julian Casablancas na música Instant Crush, de Todd Edwards na “Fragments of Time”, Panda Bear na “Doin’ It Right” e do DJ Falcon na “fucking awesome final music” “Contact”.

Sem contar no escritor/ cantor Paul Williams que participou na música “Touch” que junto com o com o guitarrista da banda Chic e o aclamado produtor Nile Rodgers colaboraram na com os caras do Daft Punk para fazer o álbum.

As influências do Random Access Memories!

Finalmente estamos chegando na parte boa né? Como vocês podem ver eu coloquei todos os clipes deste álbum aqui mesmo no post — sem contar que peguei as músicas que achei mais sensacionais também. Mas antes é preciso falar um pouco da influência groove e funk do álbum: quem conhece um pouco de música Disco (anos 70) e também um pouco do Soul presentes nos músicas de James Brown.

Lose Yourself to Dance (com Pharrell Williams)

E seguindo o pessoal da Wikipedia: esse álbum lembra “diversas passagens que lembram o disco Songs in the Key of Life de Stevie Wonder” e também a perceptível influência do músico italiano “Giorgio Moroder, principalmente na canção Giorgio que utiliza a faixa The Chase da trilha sonora de Midnight Express (1978)” na música “tributo” “Giorgio by Moroder”. Dizem até que influência do Off the Wall de Michael Jackson!

As “músicas que + gosto” do álbum

daft_punk_random_access_memories_wallpaper

E para “até que enfim Meu Deus” chegarmos ao fim deste texto,  vamos falar sobre “as melhores faixas” do álbum. Na verdade o álbum inteiro é um Primor, e você pode facilmente colocar play nele e ouvir do começo ao fim: coisa que eu faço numa boa sempre que quero ouvir.

Instant Crush (com Julian Casablancas)

Talvez seja porque simplesmente eu goste do CD inteiro… nunca se sabe kk. Vou falar um pouco de cada uma… sendo que as que + gosto estão por ai em todo o post, “of course”.

Comentando: Até Instant Crush

Anyway… começando com “Give Life Back to Music”, que é um puta bom começo, bem animada para aquele seu dia na praia, extremamente groove com aquelas jogadas “clássicas” de techno.

Giorgio by Moroder

Já “The Game of Love” é um pouco + lenta com alguma coisa de “games antigos”. Daí para “Giorgio by Moroder” que sinceramente é uma das MELHORES DO CD. Não se preocupem: no começo é o próprio Giorgio dando uma explicação de como ele começou a entrar no mundo da musica. Realmente curto demais.

Daí para “Within” e que também é um pouco lenta… e lembra aquelas músicas da Madonna, coisa de inicio dos anos 80, finais dos anos 70. Também excelente. A “Instant Crush” (com Julian Casablancas) já tem uma pegada + anos 70, disco mesmo. Com uns vocais lindos, devo dizer.

As “Groove” e o final + Techno

A “Lose Yourself to Dance” com o Pharrel, também muuuuito groove. Um Groove perfeito. A “Touch” (com Paul Williams) é para mim a “mais fraquinha” do CD mas também muito boa. “Get Lucky”, também com Pharrell Williams é a música que digamos assim… consagrou o álbum com um clipe lindo demais da conta. Groove total!

Doin’ It Right (com Panda Bear)

“Beyond” apesar de um começo meio “vai começar um filme da Disney” é bastante intimista junto com a “Motherboard”. Indo para “Fragments of Time” (com Todd Edwards), sendo outra música com um groove incrivelmente lindo.

Terminando com a mais Techno “Doin’ It Right” (com Panda Bear) e uma das que + gosto desta belezura de cd: “Contact” (com DJ Falcon) — eu diria que é uma das que + lembra a Trilha Sonora de Tron: O Legado. Esse final cara… o final é digno do final desta obra prima!

Conclusão

Contact (com DJ Falcon)

Final ÉPICO!

E ficamos por aqui galerinha boa! Espero que vocês ouçam o álbum inteiro e curtam esta obra prima do nosso século — se quiserem vejam e ouçam a crítica do álbum do Black Eyed Peas!

Aquele abraço!

Galeria de Imagens

Fontes:

Random Access Memories (Wikipedia): [Link]
Discografia (Wikipedia): [Link]
Interstella 5555 (Wikipedia): [Link]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s