Death Note – Review do Anime: Raito (Light) e a busca pelo Sentido da História

Esse é um dos textos quais tive que fazer uma pesquisa imensa. Bem vindos a Review/ Crítica do anime Death Note, na busca pelo Sentido da História, no nosso já clássico “Conversando sobre Animes“. Espero que curtam!

Death Note – Review do Anime: Raito (Light) e a busca pelo Sentido da História

Death Note, quem diria! Antes de qualquer coisa preciso deixar claro duas coisas: assa crítica/ review terá muitos Spoilers, então esteja atento ou atenta em quanto estiver lendo — é por sua conta e risco… tomara que vocês já tenham visto o anime!

O Argumento sobre DN

Neste texto proponho um Argumento cujo debati com dois fãs dessa obra [o Chefe e o Rodrigo amigo meu] que creio humildemente, consegue desenhar todo o caminho lógico da obra:

1 – Raito [Light] Narrador da história, conhece todos os caminhos cujos esta percorre; ele tem acesso a todos os dados presentes e passados, idos e vindos.

2 – Raito é perfeito [essa é a premissa mais fraca, mas me apoio no que “L” falou: “Esse garoto [parece] é perfeito”]

Conclusão: Raito é o Death Note [história]. Caso não houvesse Raito, não haveria história.

Baby, baby? Justin Bieber…tá anotado.

Raito [Light] tem acesso a tudo no anime.” Sabemos muita coisa sobre ele, mas não sabemos todos os seus pensamentos [em cenas extremamente “chatas” para mim] sobre coisas que ele fará, ou que estão sob seu controle.  Porque é ele Quem nos conta a história e decide a hora de nos contar. A história segue sob seu controle até o aparecimento de Mello e Near, ou seja, até ele se tornar adulto.

Kiyomi Takada — como mulher sofre!!

Saber que alguém vai  investigá-lo; contar com a “sorte autoral” quando precisa… O fato que mostra bem essa premissa, é quando ele “perde” a memória.

Primeiro, nós não sabemos o que se deu no anime todo, somente  Raito sabe — nem tampouco o que irá se dar — seu plano.

A coisa chega a tal ponto, que me leva diretamente à segunda premissa: “Raito é perfeito“. Ele não é apenas lindo, sabe lidar com as mulheres — as domina — é o personagem mais inteligente do anime inteiro [quanto policial BURRO!], e por saber tudo o que está ocorrendo por termos a visão dele como narrador, ele é invencível [ao menos até a adolescência].

Por que adolescência? Formulei uma teoria do que vi no blog Otakismo, sobre o adoração que os japoneses têm com essa parte da vida. Quando eles crescem, não tem o que fazer a não ser seguir o ciclo “predestinado” pelos mais velhos. Que é trabalhar duro, voltar pra casa, trabalhar mais duro, ser o melhor…

Essa arte é belíssima! Às vezes eu não dormia com os olhos dos personagens na minha mente…muito bom!

Desde a adolescência com certa liberdade, já existe a busca por ser o melhor, o estudo muito focado na retenção de conteúdo

O que nos leva a uma vida sem saída.     Logo a juventude por ser a melhor época da existência, é a mais retratada nos animes  o que me leva a teorizar  que Raito não erra até aparecerem Near e Mello, porque ele ainda é adolescente.

Mas voltando a primeira premissa, “ele nos conta a história, logo sabe tudo o que ninguém mais sabe“, o que o torna invencível, me leva a um corolário terrível para os fãs — e passando pela premissa, “raito é perfeito”: “Lnunca teve a menor chance de vencê-lo.

L erra muito [não é perfeito]. Fala com ele seus planos, o chama de “amigo” e realmente o sente como amigo, enfim. Por mais que pareçam “jogos mentais“, os erros levaram a cena cuja Raito não teve total controle: A que Remu decide matar L e Watari.

Corre L, tão tentando te matarrr!!

Esse ep. 25 [Silêncio], junto o ep. 13 [eu acho, onde o pai quase mata Raito e Misa] e também o ep. 37, são os únicos geniais e perfeitos da animação. A motivação, o roteiro, a trilha sonora, a direção, a arte, a fotografia. Esses ep. valem à pena toda a obra cansativa que é Death Note: por conta do roteiro clássico, que exige uma demora desnecessária nas explicações de cada diálogo mental que Raito trava, às vezes com Ryuk.

Personagem Genial!!!

Por que desnecessárias? Porque não nos mostram as verdadeiras decisões que ele toma, cujas vão dar o andamento da história. Como a que ele faz a troca “absurda” de cadernos.

Voltando ao ep. 25 [penso que os 25-13 foram momentos que os autores pensaram em acabar a história mas desistiram]. Raito não tinha mais o que fazer, a não ser esperar a decisão de Remu.   No final ela decidiu morrer para estender a vida de Misa. [volto à Misa mais tarde]

Erros lógicos e suposições

O único personagem de anime que quase me excita por ser dual: cruel/boazinha ao mesmo tempo…

Primeiro se diz que cada Shinigami tem um só caderno. Depois, na verdade cada um tem dois. Ai foi o o Ryuk que roubou um. No final aparecem tantos cadernos que me perdi. Mas nada de mais.

Entre as suposições que também chamo de erros lógicos [ou “sorte” de Raito] são fatos como a não invasão da casa dele para achar o caderno, etc…

Como mulher sofre!

O fato mesmo da morte da esposa do idiota do Ray Penbar é muito forte. Algo ajudou ele quando fortuitamente a encontrou. Raito mesmo nos fala “alguém além do deus da morte está do meu lado“. — os autores!

O aparecer fortuito do segundo Kira [chata/excitante Misa] a Kiyomi Takada…mas é tanta coisa, que provam a conclusão: “Raito é Death Note“.

Entre os erros, separo Misa. Ela fez duas trocas do olho diminuindo a vida duas vezes, e pelo caderno [32 – …mesmo que a troca dos Olhos de Shinigami tenha sido realizada, o humano perderá tais olhos, além da memória. Já a metade da vida paga pelos olhos não será devolvida] Mas tem o caso da Remu ter salvo a vida dela, o que acrescentaria a vida do Shinigami para Misa. [36 – … matar um shinigami é fazê-lo salvar intencionalmente a vida de um humano… sua expectativa de vida será passada ao humano salvo e o shinigami morrerá] mas ao que parece, não é bem assim.

Pelo que lembro, só se diz que morrendo o Shinigami a vida será estendida porque obviamente a pessoa iria morrer, mas o deus da morte a salvou. Para dar força ao que penso, achei isso:

How to Use: XVII
If the god of death decides to use the Death Note to kill the assassin of an individual he favors, the individual’s life will be extended, but the god of death will die. [Se o deus da morte decide usar o Death Note para matar o assassino de um indivíduo, e essa morte o favoreça, a vida do individuo será estendida, mas o deus da morte morrerá].

Mas vamos com um pouco mais de calma e analisar direito o negócio, porque até aqui, a Misa realmente deveria ter morrido antes de chegar no final  — e eu tenho pra mim que não deveria mesmo… seguindo a lógica, não minha mera opinião kk.

Então, seguindo o How to Use V aonde ele nos diz que “The human who becomes the owner of the Death Note can, in exchange of half his/her remaining life, get the eyeballs of the god of death…” [O humano que se tornar o dono do Death Note, pode pegar os “Olhos do deus da morte” em troca da metade sua vida restante…].

Misa-gives-L-a-peck

Fazendo uma conta rápida, se Misa no primeiro acordo vivesse até os 100, fazendo ele aos 18-21 [100-21=79/2= 40, ela viveria até uns…60 anos]. E como ela também realizou o segundo acordo [40/2=20… ela viveria até uns 39, 41 anos]. Logo seria MUITO DIFÍCIL dela chegar aos 40, que é a do final do anime. Contudo eu tenho de lembrar que fiz a conta baseado na ideia dela chegar aos 100 anos de idade.

Se eu for levar em conta a expectativa de vida das mulheres japonesas em dados de 2014, temos a idade de 87 anos… Isso em 2014… porque o mangá foi lançado em 2003… Dá para dizer com certeza que ela não chegaria até o final. A não ser que eu seja muito bonzinho e estenda a lógica ao extremo…

Coisa normal, se trata de um anime (shonen).

Personagens

No geral todos os personagens são rasos. Tiro L e Raito porque falo deles mais tarde. A Misa, o pai, os policias…todos são simples ideias [gerais] que fazemos de certas personalidades [“pai japonês orgulhoso”]. Nem adianta o argumento “Misa adora Kira porque ele salvou ela”. Vou ser ríspido: Não há qualquer densidade nestes que citei.

Um menino

O “L” é um caso à parte. Ele simplesmente  não existe.  Por que? Ele é um gênio, cresceu num orfanato, come doce…Legal né? Vou citar outro exemplo. Quem viu Monk percebe o quanto ele é um gênio.

Ao mesmo tempo que ele tem problemas psicológicos — como o Toc — não sabe lidar com pessoas, e é depressivo.

L não é nem mesmo a Representação da Personalidade “geninho”, pelo simples fato, dele não sofrer. Ele não se pega às voltas com sua vida, consigo mesmo, com seus problemas.

Um enlouquecido

A única cena que ‘quase’ temos isso, é a que antecede a sua morte: “Raito, você é meu único amigo“, mas sem aprofundamento. Uma pena. — diferente de Mello e Near: Um enlouquece porque quer ser o primeiro, o outro é UMA CRIANÇA.

Salvo porém o Ryuk. Personagem mais humano e genial de toda a obra. Cruel, simples, vivo. Senti muita falta dele quando levou uns tempos sumido. Ryuk é uma mostra do que os autores são capazes.

Raito e o Sentido da Obra

Como vimos, falar de Raito é falar da obra como um todo. Se o decifrarmos, deciframos a estória. Para o Chefe do blog, Raito é a formação, ou mesmo, a mostra do que é um psicopata. Para o MagoGivan, é alguém que deixou-se dominar por si mesmo, pelo poder [mal]. Para Rodrigo [fã], é “quando alguém se deixa levar por uma ideologia“.

A arte é em DN é um Primor!

Não concordo com nenhuma. Psicopata é complicado, por que até pelo pouco que sei, ele teria de ter rompantes de desespero e até sua juventude, ele não tem [“raito é perfeito”]. Não posso dizer que ele “cedeu ao mal” porque o anime é tão raso que não trata temas como bem, mal, justiça — quando “L” e Raito disseram juntos “eu sou a justiça“, ou seja, “eu sou uma entidade universal”, dei de mãos. É o mesmo que dizer:  “vou só colocar dois adolescentes duelando.

Agora a ideologia me intriga. Por mais que não tenhamos “L, Mello e Near são o bem” e “Raito é o mal”, Raito luta pelo o que acredita. Mas ele acredita que será Kami —  Também não é isso mais uma vez. Pensei na Teoria da Juventude. Raito é o melhor da turma, vive toda aquela formação social como todos os japoneses. Ao mesmo tempo que é filho do delegado, vivencia como ninguém a crença de “bandido bom é bandido morto“.

Me parece claro. Posso estar enganado [claro], mas se trata de uma discussão sobre a sociedade japonesa. O que ela faz com seus jovens, e o que a formação social os faz ser/crescer e fazer. Nós o vemos Crescendo, Vivemos a Vida dele em todas as fases [Raito é o narrador, lembra?], até a última onde o vemos lembrando de “antes do Death Note“:

“O que seria de mim se não tivesse encontrado o caderno? Seria um policial como meu pai, cresceria, e viveria mais. Me arrependo?” — Não sei.

Também é Shonen por não tratar nenhum assunto de forma séria: medo, loucura, pena de morte…

É meus amigos, ao meu ver humilde,  o sentido não é o duelo [Que por ser tão presente, torna o anime um Shonen], a vida de um psicopata, tampouco os lados bem e mal. É um anime político, discutindo o futuro que essa formação social faz com os meninos/meninas daquele país. — Existem muitos Raitos por lá?

Diante de uma situação extrema, como diz Rodrigo, seguirão até o fim suas crenças, como aprenderam. Não pesarão nem mesmo os maus que poderão sofrer — qualquer ser racional-cruel, como parecia ser Raito, pesaria o sofrimento que talvez vivesse. Uma pena que por ser um Shonen [não fala de assuntos sérios], os autores não conseguiram passar a ideia. — Qual o caminho desses jovens, senão a loucura?

Abraços!

Fontes:
Wikipedia
Wikia [Oficial de Death Note]
Outro site

27 Respostas para “Death Note – Review do Anime: Raito (Light) e a busca pelo Sentido da História

    • Meu arg. envolve tbm a questão de raito saber tudo, n falei q ele é ruim ou bom por esse fato. Mas, o anime se torna cansativo exatamente por isso: ele fala de coisas desnecessárias todo o tempo, tomando um tempo completamente inútil d quem assiste — culpo muito o roteiro, mas tbm o fato de ser um shonen, ou seja parece ser o estilo dos mangakás.

  1. Como eu já disse no MinnaSuki, o que eu entendi é que não é a vida do shinigami que passa pro humano (deuses tem muuuuuuuita vida), mas sim a de quem eles mataram pra salvar o humano. E o Shinigami morre.

    • Oi mel!! vou repetir a resposta q t dei lá, ok? mas de antemão agradeço muuito seu coment, e acho q essa pode ser uma interpretação realmente correta. Segue:

      Essa pode ser msm a interpretação correta. Problema foi a trad do pt-br, q é parecida com a encontrada na Wikipedia: “35- Uma das formas de matar um Shinigami é fazê-lo salvar intencionalmente a vida de um humano. Ao fazer isto, sua expectativa de vida será passada ao humano salvo e o Shinigami morrerá”

      Mas o problema msm é a fonte original:

      How to Use: XVII
      If the god of death decides to use the Death Note to kill the assassin of an individual he favors, the individual’s life will be extended, but the god of death will die. [Se o deus da morte decide usar o Death Note para matar o assassino de um indivíduo, e essa morte o favoreça, a vida do individuo será estendida, mas o deus da morte morrerá].

      Em nenhum momento fala q a vida de um individuo passa para o outro, mas so q a vida da pessoa salva é estendida, oq mantem a minha ideia de q a Misa ja deveria ter morrido. Mas eu confesso, essa é uma otima interpretação da obra.

      Abração menina, ;)!!

      • Vai ver ela tava muito nova ainda e no primeiro caso, a hora dela morrer estava muito distante, ou na hora q Remu “mata” L e a vida dela é estendida (relaxe eu sei q eu posso está extremamente errado nessa segunda frase mas sei la nunca se sabe), ou ela “morreu” já no final e q tipo ficou oculta essa ideia. sei la rsrs.
        Mas na minha opinião, pra tá chegando a uma conclusão certa, apesar de eu ler vários livros sobre a vida e ser espiritualista (característica q veio do Japão fundada por Masaharu Taniguchi), eu procuro enxergar sempre a moral q pode está se aprofundando sobre tal evento.
        Então o q eu aprendi sobre esse anime, através de um conhecimento meu, de q cada um tem uma missão na terra (mundo efêmero), uns conseguem cumprir e outros não, tendo várias chances pra na outra vida alcançar o objetivo certo, é q sempre haverá a justiça certa e a errada, a verdadeira e a ilusória, a q é da vontade do ser supremo e a q não é, Justamente pra puder evoluirmos e aprendermos para com o próximo. Então tudo leva tempo.
        Através disso a quem acaba sendo dominado pela ilusão, q não tem a serenidade de seguir o caminho correto da vida como o Raito, só acabará atraindo consequências até o indivíduo acordar e poder finalmente evoluir através da sua capacidade infinita, a capacidade do Homem (do ser divino) e ter o verdadeiro Sucesso.
        Então sobre o L pra mim pode-se dizer q ele fez a sua parte na terra. Ele foi legal com o Raito, tentou mostrar o lado correto da vida pra ele, arriscando sua própria vida (tanto q em um ep. ele fala q decide arriscar), msm tendo um passado não muito agradável, assim tendo q partir
        de forma honrada com o verdadeiro sucesso dando lugar para o Near, o Mello e o Ryuki, terminando assim o caso do Kira, para poder na outra vida ele fazer o certo sempre focando no Positivo e no aprendizado da vida. Como Ryuki disse “foi bom enquanto durou” o tempo q o Raito passou nessa vida e q foi interessante, Justamente para ele evoluir mais e mais n como se fosse essa a ideia do Ryuki mas como se fosse do autor ou do espectador, q sou eu neste momento rsrs. mas enfim é uma das visões q pode tá se aprofundando sobre esse anime. eu achei até interessante a ideia do adolescente q é a do autor ou da autora como vc falou, por isso eu quis passar essa ideia, essa experiência tbm pra vcs né pra ta se discutindo um pouco e tals. mas é isso, gostei da análise tudo muito bom, bem interpretado, tudo de Bom!😀

      • “Então sobre o L pra mim pode-se dizer q ele fez a sua parte na terra. Ele foi legal com o Raito, tentou mostrar o lado correto da vida pra ele, arriscando sua própria vida (tanto q em um ep. ele fala q decide arriscar), msm tendo um passado não muito agradável, assim tendo q partir” — Concordo e assino embaixo.

        Bom mano eu sou teísta e n costumo falar de minhas crenças, mas concordo com o seu comentário. Foi uma boa visão do anime, e mesmo que os autores n tenham pensado isso ao fazê-lo, sua interpretação é extremamente válida. Recomendo vc ver as reviews de Angelbeats ( https://afontegeek.wordpress.com/2012/09/08/conversando-sobre-angel-beats-o-lindo-encontro-entre-uma-anja-e-um-rapaz-de-coracao-sagrado/ ) e Guilty Crown ( https://afontegeek.wordpress.com/2013/05/09/critica-de-guilty-crown-acao-romance-e-filosofia-o-homem-em-busca-de-ser-humano/ ); só lembrando q elas têm spoilers, então leia por sua conta e risco, rs. São animes que tocam bastante nestes assuntos que você falou. Outro q eu recomendo seria Air Tv, que por acaso é provável que eu faça uma review sobre ele — parece que há uma certa dificuldade para falar dele na internet, e acho que o Afontegeek ta aq pra isso🙂. Mas sem promessas, n sei se falarei de Air.

        Então é isso, concordo e assino embaixo.
        Abração, fica com Deus mano!

  2. Concordo que Raito é muito inteligente,mas sobre “L errar muito”,”tratar Raito como seu amigo e lhe contar seus planos”,discordo.Primeiramente,L nunca considerou Raito como seu amigo,sendo que ele sempre suspeitou dele desde o início.L era o melhor detetive do mundo,e o único erro dele foi ser bonzinho demais.A sua inteligencia pode até se igualar a de Raito,pois sempre (ou quase sempre) ,conseguia decifrar os pensamentos dele e seus planos.Enfim,a meu ver,Kira só conseguiu matá-lo porque tinha várias vantagens,como o death note e Misa,que possuía os olhos de shinigami u.u

    • Ehn. desculpe ser franco contigo , mais acho que você esta defendendo o L porque talvez seja fã dele kk Eu entendo . Obviamente TassioBruno tem razão em L achar que Raito é um amigãao kkk

    • tbm acho🙂
      E tipo nem foi o raito foi a remo que matou , o L n tinha nenhum shinigami do lado dele.

  3. concordo com a Carol… se Remu nao tivesse matado L tinha provado todo… Raito só era melhor (na minha humilde opnião ) por causa dos shinigami e do Death Note… L sempre pegava Raito de Alguma forma… E mesmo depois que raito supostamente se fez de inocente com uma regra falsa que dizia “quem que começasse a matar nao poderia ficar sem matar durante 13 dias” L desconfiou e ia testa pra ver se era verdade, mais graças a Remu L morreu antes de prova isso e toda sua teria entao pra mim fica claro Raito venceu por que tinha o Death note e os Shinigami…

  4. Discordo um pouco sobre a sua visão de que os temas não são aprofundados no anime. Pra mim a questão é que o próprio embate entre L e Raito já é uma grande abordagem sobre ética e justiça, pois veja: de um lado L, um detetive genial e a favor da justiça legal, que tem o conceito comum perante a lei de preservação da vida humana, ainda que esteja se tratando de criminosos; por outro lado, Raito, um adolescente brilhante que teve um ótima vida (tão confortável que chegava a ser entediante) e vê na sociedade moderna aos moldes ocidentais (o Japão é um centro econômico mundial) uma perda de valores em relação às pessoas do seu próprio convívio no cotidiano, e nesse contexto aparece toda a personalidade egocêntrica de Raito, inclusive o fato de se considerar superior a ponto de decidir sobre a vida e a morte de quem ele considera criminoso. Em todo o anime as figuras desses dois se confrontam e deixam ao espectador o levantamento de algumas questões, como: a teoria de Raito é tão errada assim (aposto que qualquer um que tenha assistido com um pouco de atenção se perguntou isso)? Por que eu tendo a achar que Raito é mau e L é bom? O mundo de fato não seria melhor sem criminosos? É válido justificar assassinatos para prevenir mortes que ainda não aconteceram de pessoas consideradas inocentes? Será que essas pessoas são tão inocentes assim? Como saber?
    Então acho que dentro da história todas essas questões são possíveis de surgir por parte de quem assiste e o anime não tem obrigação de dar respostas diretas (perderia toda a graça se isso acontecesse, pois imaginem Raito e L discutindo suas ideologias por um episódio inteiro!). O próprio decorrer da história fornece pistas quanto a visão dos autores sobre os personagens, pois Raito gradualmente é consumido pelo poder do death note e por seu ego, e não titubeia em matar quem quer que seja para que o seu poder seja mantido, ainda que não sejam criminosos. Simplesmente ele se considera o “Deus de uma nova era, onde não haverá crimes”, ainda que para isso ele mesmo tenha que cometer crimes (mesmo que o death note seja algo sobrenatural, Raito é um assassino). Personagens que na sua opinião são pouco densos, e eu concordo pq apenas compõem a história (com exceção de Misa, que ao meu ver é crucial), revelam bastante também sobre a visão de sociedade: Misa alienada, mas que não é burra (afinal ela sobreviveu) e se apaixona pelo cara perfeito que vingou a morte dos seus pais (muitas pessoas na situação dela teriam o mesmo pensamento); o próprio pai, que como vc mesmo disse, representa a figura do pai orgulhoso que sempre trabalhou em função da lei e nem ao menos reflete sobre as ações de kira; os policiais, que chegam até mesmo a refletir sobre Kira, como Matsuda (se eu n me engano) que questionou em um dos episódios se kira n estaria certo, mas logo foi repreendido por um dos colegas (assim como acontece na sociedade se alguém questiona coisas que aparentemente são naturais e óbvias, chegando a serem tachadas de burras ou loucas).
    Achei legal a perspectiva da juventude que vc colocou na história. Nunca tinha pensado nisso. A confusão dos cadernos perto do final do anime tbm foi tensa. E com relação a Misa, no final do anime ela n tem 40 anos nem a pau, pois salve engano, o anime termina em 2013, ou é 2015, e a primeira parte está na virada de 2006 pra 2007. Além disso, lembrem que ela já tinha um maior tempo de vida pq Remu pegou o caderno de um outro shinigami que já tinha morrido para proteger ela, pois era apaixonado. Gostei da análise, só indico um maior cuidado nesses detalhes de informações. Ao contrário do que vc acha (pois vc considera que ele aborda temas superficialmente), eu considero esse anime muito rico para um bom debate sobre valores e ética na autalidade. Flw e até a próxima!

    • Fala Thiago meu velho!

      Adorei seu argumento sobre a profundidade do anime. Quando você cita “a teoria de Raito é tão errada assim (aposto que qualquer um que tenha assistido com um pouco de atenção se perguntou isso)? Por que eu tendo a achar que Raito é mau e L é bom? O mundo de fato não seria melhor sem criminosos? É válido justificar assassinatos para prevenir mortes que ainda não aconteceram de pessoas consideradas inocentes? Será que essas pessoas são tão inocentes assim? Como saber?” — é justamente isso que todos nós somos propostos a pensar enquanto o anime desenrola.

      Ou seja, o anime tenta nos levar para essa discussão, mas seguindo meu argumento sobre o anime, ele pega justamente por 2 pontos:

      1 – Todas essas questões são falacias, ou seja, n são questões de fato.
      2 – Nenhuma dessas questões são abertas a serem travadas pelos personagens. Elas não são abertamente discutidas e tratadas. Ou seja, nenhuma das duas ideias são colocadas em confronto: somente talvez no final, qnd o Near acha o Raito e resolve o caso. Mas a discussão é parada no mesmo instante com a resposta fria dele “isso é errado” — porque é exatamente falacioso.

      Ou seja, o(s) autor(es) pq sabem (ou porque não sabem) não colocam nenhuma das duas ideias em real duvida no decorrer do anime, porque a resposta é obvia: “isso é errado”.

      Então, seguindo o que eu falei, para o anime realmente ter sido “profundo” as questões tinham de ser postas em discussão, ou mesmo, em representação da discussão: e foi colocado um pouquinho, com a diminuição nas guerras do mundo (o que tira a livre escolha: e é esse fato de livre escolha que nos torna humanos – “é errado” – falacia)

      Ai você cita: “pois imaginem Raito e L discutindo suas ideologias por um episódio inteiro!)” — um bom anime para tratar um tema de modo profundo “n precisa que os dois discutam”, mas que representem certa ação, como eu cito em Guilty Crown, aonde Shu nos mostra as passagens de ser humano, e Inori a descoberta de si mesmo.

      Sobre a personalidade de Raito, vc cita o argumento do meu colega “ele foi consumido pelo seu ego”, qnd na realidade eu discordo dessa opinião e cito o seguinte dele:

      Me parece claro. Posso estar enganado [claro], mas se trata de uma discussão sobre a sociedade japonesa. O que ela faz com seus jovens, e o que a formação social os faz ser/crescer e fazer. Nós o vemos Crescendo, Vivemos a Vida dele em todas as fases [Raito é o narrador, lembra?], até a última onde o vemos lembrando de “antes do Death Note“:

      “O que seria de mim se não tivesse encontrado o caderno? Seria um policial como meu pai, cresceria, e viveria mais. Me arrependo?” — Não sei.

      Ou seja, o anime que aparentemente é psicológico ou mesmo trata dos assuntos de forma individual, quando justamente porque é superficial, n tem interesse em tratar isso, mas ao inverso, falar da formação dos jovens enquanto na sociedade, e o que essa formação pode os levar a fazer.

      Sobre a parte que vc cita

      o anime termina em 2013, ou é 2015, e a primeira parte está na virada de 2006 pra 2007. Além disso, lembrem que ela já tinha um maior tempo de vida pq Remu pegou o caderno de um outro shinigami que já tinha morrido para proteger ela, pois era apaixonado.

      Essa parte eu praticamente sempre tenho que “copiar e colar” pq causa muitas duvidas:

      “Entre os erros, separo Misa. Ela fez duas trocas do olho diminuindo a vida duas vezes, e pelo caderno [32 – …mesmo que a troca dos Olhos de Shinigami tenha sido realizada, o humano perderá tais olhos, além da memória. Já a metade da vida paga pelos olhos não será devolvida] Mas tem o caso da Remu ter salvo a vida dela, o que acrescentaria a vida do Shinigami para Misa. [36 – … matar um shinigami é fazê-lo salvar intencionalmente a vida de um humano… sua expectativa de vida será passada ao humano salvo e o shinigami morrerá] mas ao que parece, não é bem assim.

      Pelo que lembro, só se diz que morrendo o Shinigami a vida será estendida porque obviamente a pessoa iria morrer, mas o deus da morte a salvou. Para dar força ao que penso, achei isso:

      How to Use: XVII
      If the god of death decides to use the Death Note to kill the assassin of an individual he favors, the individual’s life will be extended, but the god of death will die. [Se o deus da morte decide usar o Death Note para matar o assassino de um indivíduo, e essa morte o favoreça, a vida do individuo será estendida, mas o deus da morte morrerá].

      Assim, até que alguém me mostre uma regra numa fonte Original — a vida do shinigami não passará para o humano. O que quer dizer que Misa já Deveria ter MORRIDO, antes de ficar mais velha.

      Numa conta rápida, ela no primeiro acordo [viver até 100/passa= 50 anos] no segundo [50=25 anos] logo ela não teria a idade de quase 40, que é a do final do anime.

      A Misa tinha, se bem recordo, quase 30 anos quando conheceu Raito, e no fim do anime, se passam quase 10 anos… o que quer dizer que ela pode sim ter 40 no fim do anime. Eu poderia pegar a historia original como fiz no caso do “How to Use” mas vc vai me perdoar, porque eu fiz esse texto gigante e tbm, essa resposta enorme rs.

      De resto eu realmente ADOREI seu comentário. Foi uma das poucas vezes que alguém chegou, sem problema algum, e contra-argumentou a maioria dos pontos do meu texto. Acho que os animes (quando são geniais, como é o caso de DN, mesmo que eu n goste) são propícios a gerar essas conversas interessantes.

      eu considero esse anime muito rico para um bom debate sobre valores e ética na autalidade” — eu só discordo sobre a parte da “ética” exatamente por eu fazer filosofia, e de antemão saber que o “assunto” do anime não pode ser tratado (pq é falacia – os seres humanos são conscientes e portanto, livres). Mas concordo integralmente que ele gere boas conversas entre amigos e bons debates.

      Peço que volte sempre aqui e comente mais de nossas reviews, não só as minhas! Sei que comentários como o seu serão bem vindos pelos nossos Editores do Afontegeek. E sim… só lembrando, se trata de minha opinião bem fundamentada, n quer dizer q eu estou certo não rs. Posso tá errado e a graça é essa. Aliás, o bom de “dar opiniões bem fundamentadas” como foi a sua, é essa mesma, dividir e aprender opinião e visões diferentes da mesma obra.

      E um abraço meu velho, tamo junto.

      ps: Eu n falei do fato de vc achar a Misa profunda pq vc só falou “ela continuou viva”. Isso n tem mt haver. Profundidade é você dizer: “Esse personagem é único, é quase como se ele fosse uma pessoa e existisse de verdade”. Eu assim… rs, n vejo a Misa desse modo, rs.

      Abraços de novo mano, é noiz.

  5. Ah Blz. Vlw ae pelos animes! Eu já cheguei até ver a abertura do Guilty Crown hehe parece ser muito foda msm. Já vou logo procurar aqui os episódios e salvar os links.
    Muito Obrigado msm! Um abraço! (y)

  6. Então… A Misa quando morreu tinha 26 anos, não lembro no anime porque tem muito tempo que assisti e minha memória é péssima mas, eu tenho o mangá How To Read, e na pagina dos personagens etc, tem a parte da Misa dai tá o seguinte:
    Data de nascimento: 25/12/1984
    Data de falecimento: 14/02/2011

    Se for 26 anos mesmo, faz todo sentido seus calculos que tinha dado 25 hehehe.

    No mais, adorei a review, eu sempre achei o L meio banana por ter confiado no Light mesmo suspeitando dele, mas como ele sempre foi sozinho acabou a ver nele um amigo… O que mostra que o emocional dele realmente é de certa forma ‘fraco’ por confiar em alguém sabendo que não deve, por mais que ele seja o fodão e saiba das coisas ele vai confiar justamente no Light né lol … A Misa eu sempre achei ela uma chata mesmo, parece que se fazia de idiota apenas pra conseguir o que queria, coisa de gente mimada, porque no fundo era esperta, e isso era um tipo de estratégia… Mas eu mal suportava as partes dela e toda aquela lambeção de ovo pro Light lol e o Light era meu personagem favorito, adorei ele se ferrando no final, afinal não podia ter outro fim, eu acho.

    To pra rever Death Note um dia, e quando o fizer eu comento de novo porque não lembro quase nada mais do que eu assisti.

    • Obrigado d+ Chubbyz!

      Poxa vida, fiquei felizão com seu comentário. Primeiro pq a gnt concorda na maioria (acho que em todos né?) os detalhes de death note, do L, da Misa, etc. E também por vc ter colocado aqui os dados exatos da Misa e só confirmado “as minhas suspeitas”, hehehe.

      Abraços e volta sim se vc rever o anime.
      E Tamos ae sempre viu, temos muitas mais reviews de anime, dê uma olhadinha em todo o site!
      Abraços!

  7. Meu personagem preferido é o Near. Já viu os capitulos extras 108-5 e 109?
    O 108-5 se passa 1 ano após a morte do Raito. E o 109 se passa 3 anos após.
    No 109 Near é adulto, mais astuto e assustador.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s