Shadow of the Moon, Blackmore’s Night – Critica do álbum: Um pouco do Belíssimo Folk!

Sabe aquele CD apaixonante que você ouve, e só pensa nele durante um bom tempo? Este é o caso do belíssimo Shadow of the Moon do Blackmore’s Night. Vamos falar um pouco dele no Crítica do Álbum  de hoje, apresentando um pouco do Folk para vocês! Boa leitura!

Shadow of the Moon, Blackmore’s Night – Critica do álbum: Um pouco do Belíssimo Folk!

Depois de muita preparação e coisa tal, vamos para a minha primeira critica de CD que não é de metal, sendo que a próxima tem uma grande possibilidade de também não ser. Antes de falar do álbum propriamente, o muito, muito bom Shadow of the Moon, tenho de explicar um pouquinho sobre o estilo da banda.

O que é Folk?

O Blackmore’s Night é uma banda de Folk rock. Mas o que é folk seu Tassio? Pois é galerinha, folk quer dizer povo, mas o gênero de música se remete a algo popular para a tradição europeia — creio eu. Estilos assim meio ‘bardos’, meio vitorianos, com flautas, violões da idade média. Creio eu que seja por ai.

Candice Night, me fazendo sofrer com sua beleza!

Candice Night, me fazendo sofrer com sua beleza!

Falo creio eu, porque de folk só ouvi mesmo o próprio Blackmore’s Night, e todas as músicas “bardas” do Blind Guardian. Então, acho que dei pra dar uma pincelada sobre o assunto. Se você ai do outro lado nunca na sua vida parou pra ouvir o Blind, tente lembrar de filmes com temáticas medievais, estilo Senhor dos Anéis, ou coisas do tipo. O Black é meio por ai, mas com uma pegada moderna do rock. — por isso é folk rock.

A banda aparenta pelos clipes ser bem grande, mas os cabeças da equipe são o guitarrista, Ritchie Blackmore que já foi Deep Purple e a belíssima multi-instrumentista e vocalista da banda, Candice Night — ela toca pandeiro, flauta, e é linda de mais. Já falei que ela é linda? E sim os dois SÃO CASADOS! Isso, Candice é casada com o ‘seu’ Blackmore!! É mano veio, temos esperança!

 

 

 

 

Shadow of the Moon

O Álbum

Falando do Shadow of the Moon, nossa, sabe aqueles CDs que você simplesmente aperta play e relaxa? Pois é, esse é um deles. Todo muito bom. Nenhuma música ruim ou coisa do tipo; algumas para melhorar ainda mais se sobressaem, como a titulo Shadow of the Monn, a Wish You Were Here, The Clock Ticks On, Spirit Of The Sea, Ocean Gypsy, Magical World — essa me lembra Zelda! — Be Mine to Night e a que mais gosto Greensleeves.

Seu Madruga, digo, Ritchie Blackmore

Seu Madruga, digo, Ritchie Blackmore

É um álbum realmente feito sob medida para você amigo, ou menina que gosta de boa música. A voz melodiosa e maviosa da lindíssima Candice junto ao violão bem balanceado e virtuoso do ‘seu’ Blackmore — que me lembra o Seu Madruga, não sei porquê — tornam tudo um paraíso para nós que curtimos as músicas com o jeitinho bardo de ser.

E como eu não sei bem o motivo, mas estou sendo um tanto quanto rápido nesse post — talvez porque eu não seja tão bem conhecedor de Folk como sou de Metal — despeço-me de vocês queridos e agraciados leitores, pela beleza da voz de Candice, que é do jeito que eu gosto de ouvir uma mulher cantar — — viu aê, falei da voz — com um pouco de história da música que mais curto desse cd.

Fonte

Greensleeves – música

Alas, my love, you do me wrong,
[Ai, meu amor, você me leva aos erros,]
To cast me off discourteously.
[Para me abandonar grosseiramente]
For I have loved you well and long,
[Eu lhe amei tanto tempo,]
Delighting in your company.
[Deleitando-me em sua companhia]

Chorus:
Greensleeves was all my joy
[Mangas-Verdes são toda minha alegria]
Greensleeves was my delight,
[Mangas-Verdes são o meu prazer]
Greensleeves was my heart of gold,
[Mangas-Verdes são meu coração de ouro]
And who but my lady greensleeves.
[E quem senão minha Dama-das-Mangas-Verdes]

Um pouco da história dessa bela canção:

“Conta a lenda que Greensleeves foi composta pelo rei inglês Henrique VIII (1491 – 1547). A lenda refere que Henrique VIII a fez para a sua amante e futura rainha consorte Ana Bolena. Ana rejeitou as tentativas de Henrique de seduzi-la e esta rejeição é aparentemente a que se refere na canção, quando o escritor do amor “vazio”. No entanto, Henrique não escreveu “Greensleeves”, que provavelmente é do período Isabelino e é baseado num estilo italiano, cuja composição não chegou a Inglaterra até depois da sua morte.”

Fonte

A Título de Curiosidade, o Stratovarius fez uma maravilhosa versão instrumental dessa mesma canção, no CD Dreamspace. Ela tem menos de 2 minutos, mas o toque é tão inconfundível que é só ouvir e admirar!

Abraços a todos, e como venho pedindo,
Parem de ouvir Emo crianças!

4 Respostas para “Shadow of the Moon, Blackmore’s Night – Critica do álbum: Um pouco do Belíssimo Folk!

  1. Gosto muito dessa banda. Tem belas músicas. Gostei também deste site (ou blog). (:

  2. Comprei esse cd em uma promoção no G Barbosa, foi R$ 9,90 na época. Um dos integrantes, não me lembro qual, descreveu o estilo como “classical renaissance”., de qualquer forma tem a pegada folk

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s